Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Os murmurios da brisa


Quando passo pelos prados
Procurando o fim do arco-iris
As cores na distância
trazem vozes na brisa.
E entre as flores
Escuto sem um suspiro;
Os espíritos dos Ancestrais
São um echo da resposta dos seus corações.
Murmurios sagrados na brisa
O que irias me dizer
Se me tornar o arco-iris
Ou a árvore que está de pé?
Irias pedir-me de escutar,
Ou acrescentar a minha voz às vossas?
Transformando num Espirito Guardião
Destas florestas ancestrais.


(tradução de Murmurs in the Breeze - por Jamie Sams)

Se tu consegues imaginar, tu consegues aprender a entender os pontos de vista de outras formas de vida. Imaginar qual a sensação de ser uma outra parte da Natureza, é um bom exercício para o entendimento. A nossa perspectiva alarga-se, e à vezes é nos permitido ouvir os pontos de vista dos nossos Companheiros do Mundo Natural. O nosso coração cura-se quando toca nas coisas vivas através dos sentidos.

Na próxima quarta e quinta feira, as meditações visam a criação de um ambiente em que possas identificar com elementos da natureza. Embora nunca posso dizer com muita precisão qual será a inspiração do momento, proponho para esta semana a identificação com a vida das plantas e árvores - os Standing People. Na semana a seguir, dedicaremos aos Animais. Segunda-feira, dia 10, a meditação visa explorar à visão de cima - a Águia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...