Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

sábado, 25 de setembro de 2010

Encontrar a Sabedoria dentro de nós

Em resposta ao post o "poder xamânico" recebi uma reacção que me estimulou...  foi escrito em defesa do xamanismo e da liberdade individual de escolher cada um o seu próprio caminho. É um assunto oportuno, nestes dias à volta do Equinócio...

Agora, após o Verão ter virado Outono, muitos de nós sentem alguma inquietação, um dessassosego, algo em mudança.  O nosso sistema energético recebeu do Universo o  convite de surgir tal e qual como somos, de darmos forma ao nosso SER - um convite de olhar para dentro e perceber, a cada momento, onde estamos, o que ÉS em cada momento. Um convite e um estímulo para ter consciência das nossas escolhas - para poder perceber se vieram efectivamente de dentro de ti, e se as tuas acções efectivamente exprimem o que tu ÉS.

Obviamente, isso chega a ser bastante complicado...O fluxo de informação é enorme, e o potencial de manipulação também o é: acontece que há tanta informação que nos rodeia que chega a ser difícil de perceber o que pensar, como igualmente difícil é a escolha onde te posicionar perante isto tudo.
Surgem todos os dias propostas de novas cerimónias, cursos, workshops; televisão, jornais, livros, artigos na Internet, conversas com amigos - notícias de todos os lados, nova informação, opiniões.... Perante tudo isso que cai sobre nós ininteruptamente, não é tarefa fácil de manter contacto com a nossa própria opinião, de sentir como o coração reage, e de  agir e pensar a partir do coração. Para isso é necessário ter os pés bem assentos na terra!

Porque só com os pés bem assentos na terra, com uma base segura para poder erguer-te no teu próprio equilíbrio, poderás voar alto e manter uma visão abrangente, uma vista geral.
Realmente "voar alto" não é propriamente estar "solto" da Terra ou "levitar". É elevar-te por cima de toda a confusão e informação, tendo os pés firmamente enraizados na Terra.
O verdadeiro conhecimento encontra-se aí - servindo O Grande Conjunto, estando em ligação com Tudo que É, e, acima de tudo, é benéfico a Tudo que É.

Não é fácil. Pessoalmente, o que eu aprendi fazer, é ouvir o meu Coração. Procuro saber se algo estimula o meu Ser verdadeiro, se me faz sentir coragem para mostrar quem Sou. E naturalmente ainda acontece enganar-me... também a mim acontece que me deixo levar a acreditar, não porque reconheço a Verdade, mas por causa das ilusões que ainda tenho, de  medos que ainda procuro esconder e de dor que ainda não curou. Cada vez que isso acontece, é uma oportunidade de reconhecer o que ainda não foi limpo, e de fazer mais um passo para a minha cura e libertação, mais um passo para poder Ser integralmente quem Sou.

As seguintes palavras do Buda Shakyamuni (o buda "histórico") fazem parte da sua primeira lição:

"Não acredite em algo simplesmente porque ouviu. Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito. Não acredite em algo simplesmente porque está escrito nos seus livros religiosos. Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão, e que conduz ao bem e beneficio de todos e de ti proprio, então aceite-o e viva-o. "


Todos  trazemos dentro de nós, a Budeidade - a perfeição divina. Nos tempos que correm, com as grandes mudanças sociais e energéticas, com a elevação dimensional que estamos a passar, é de importância fulcral retomar a tua própria força. Erguer-te, dar te forma, mostrar-te. Saber que não dependes de um médium ou intermediário ou substância para entrar em contacto com o Grande Conjunto. Tudo o que precisas, trazes em ti. Tudo o que precisas ser, já o És. Porque cada um tem a sua Verdade, como cada um tem o seu próprio espaço. Muitos de nós procuram apoio em descobrir que espaço é o seu, e não há mal nenhum nisso, antes pelo contrário. Estamos todos juntos nesse caminho, nada mais natural do que aprendermos uns com os outros. A arte está em manter os pés na Terra e continuar a fazer o nosso próprio caminho - em conjunto e de mãos dados com o outro, e não seguindo o outro.

Há muitos que trilham o mesmo caminho, não é preciso inventar as palavras. Há muitas mensagens que te podem tocar no coração, que podem acordar algures dentro de ti, a tua própria sabedoria, a tua própria verdade. A mim tocou-me por exemplo a mensagem de "Little Grandmother" Kiesha Crowther, que podes ver e ouvir em www.tribeofmanycolors.net.

1 comentário:

  1. Olá! muito bom o artigo, gostei muito... gosto dessa perspectiva pessoa que imprimes na escrita!

    de facto torna-se complicado discernir no meio de tanta (des)informação.

    Apesar disso considero esse fluxo de informação uma coisa positiva.
    Toda essa miríade de novas propostas que aparecem todos os dias fazem parte desta realidade terrena e está a acontecer aqui e agora (se calhar como nunca!)... acredito que servirá um propósito e encerra em si muitas possibilidades.
    Mas concordo que é difícil perceber o que ressoa verdadeiramente dentro do nosso peito... e chega a ser muito muito confuso.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...