Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Em que medida o nosso amor é incondicional?

A Conversa em Grupo do dia 15 de Novembro vai ser dedicada ao tema "Amor ou Apego" - um assunto a que voltamos vezes sem fim, numa procura constante para a felicidade duradoura.

Amor incondicional.
Este amor que tudo abrange, que se oferece... sem limites ou condições, sem olhar para ti. Muitas vezes falamos nisso - mas como lidamos com o amor na nossa vida?
Podemos sentir amor para o(a) nosso(a) parceiro(a) - mas em que medida este amor é incondicional?
Falamos em amor para os nossos pais - mas quantas vezes o é?
Mesmo o amor que sentimos para os nossos filhos pode surgir mistura com necessidade e dependência.
Quando analisado mais de perto, Amor puro é muitaz vezes confundido com o apego - em que o outro na realidade funciona como complemento de nós, preenchendo um vazio afectivo ou emocional com que deixamos de lidar. Para sentir a felicidade, a pessoa de outro lado torna-se indispensável... o seu apoio, a sua presença, a apreciação e reconhecimento que recebes... tudo isso é uma afirmação de ti como pessoa. É o Ego, que subtilmente está a chamar a atenção sobre si.
Será que é justo perante o outro e perante ti próprio, amar assim? O teu amor é um fluxo energético, e quanto mais flui, tanto mais recebes do que flui através de ti. Mas se o teu amor no fundo é condicional, quandohá segundas intenções, como funciona? Quem beneficia do fluxo energético?
O apego surge quando as nossas acções são motivadas por necessidades emocionais, por motivos egoistas, condicionado pelas experiências do passado e por expectativas acerca do futuro.
Para poder analisar a nossa capacidade de amar, precisamos de confrontar-nos com as nossas necessidades emocionais (que dizem respeito a não querer ficar magoada, traída, abandonada, por exemplo.) Confrontar-nos com os nossos medos: de não ser capaz, de ficar sozinha, de não sentir realização pessoal. A partir daí: perceber como aconteceu este condicionamento: sendo necessidades emocionais, dizem respeito a acontecimentos que ocorreram nesta vida em específico. Percebendo isso, podemos abrir mão deste condicionamento – e começar a Amar sem expectativas, sem preconceitos, livremente.


As Conversas em Grupo visam o intercâmbio de experiências, um espaço para perguntas e respostas, sobre um assunto que todos encontramos diariamente no nosso caminho.

2 comentários:

  1. Tem um selo para você em meu blog, espero que goste. Um abraço, namastê.

    ResponderEliminar
  2. Como sempre mais um tema interessante.
    Obrigado

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...