Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bom Ano!

Em nome de toda a família, deixo aqui os nossos votos para que o ano de 2011 seja um ano de Paz.
É nosso desejo que todos possam viver em Harmonia uns com os outros, na Plenitude do seu próprio Ser, em respeito para a sua própria natureza e a dos outros, em liberdade e igualdade. Que todos em conjunto, possamos dar mais um passo na direcção da plena consciência que todos somos UM.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Solstício de Inverno e Lua Cheia em Sagitário...

Na próxima terça feira, dia 22 de Dezembro, será novamente dia de Solstício - o dia mais curto do ano, a noite mas longa... Tradicionalmente sempre foi um dia de festa, de celebração da Luz, porque a partir do Solstício do Inverno, o Sol dá a volta e os dias começam a crescer!

Este ano, o dia é ainda mais especial, porque coincida com a Lua Cheia do dia 21, o que acontece só uma vez em cada 19 anos. Se é verdade que a Lua Cheia traz bom tempo, teremos pelo menos um vislumbre do que será das Luas Cheias mais luminosas do ano! Na manhã cedo do dia 21, terá lugar um eclipse lunar, o que faz da ocasião um momento triplamente interessante - parece que a última vez que isso aconteceu foi em 1648 ;) Com bom tempo vamos poder ver, na manhã do dia 21, a coloração típica da Lua em noites de eclipse - que pode ir de cinzento rosado a laranja viva.

O Sol estará em Sagitário - a Lua em Gémeos... o pensamento que forma a base da meditação deste mês será: Vejo o objectivo. Alcanço o objectivo e vejo um outro.
O Sagitário direcciona os nossos pensamentos  e os nossos sentimentos para novos objectivos,  mentais e espirituais. Um só objectivo pode surgir mais claro do que outros, e podemos perceber a que aspira a nossa alma.
O que podemos chamar " o nosso caminho" , é o objectivo da nossa personalidade, que anseia poder realizar-se numa dimensão mais elevada, onde mais Luz e entendimento estarão disponível. Enquanto Sagitário te pode mostrar este objectivo, ele, tal como qualquer bom arqueiro, pede equilíbrio - a mão segura, o olhar seguro, a atitude serena. A meditação é um método  de treino da mente que pode oferecer acesso a este equilíbrio.  Aumentando a concentração e capacidade de focagem, a capacidade de introspecção cresce, bem como a sensibilidade para os sinais da alma.

O signo do Sagitário faz-nos sentir o desejo de alcançar uma espiritualidade elevada, a iluminação - sabemos que é uma característica da pessoa iluminada,  ter sentido de direcção, e ser guiado pelo seu Eu Superior. Nestas pessoas, é constantemente activo o desejo de unificação da personalidade com o Plano Divino. No final de contas, o objectivo do Sagitário é exprimir a Sabedoria e o Amor. É um objectivo sem interesse pessoal, mas dedicado ao bem-estar de Tudo que É.
As características de Sagitário - o direccionar para um ponto, a actividade focada, a libertação do desejo pessoal - encontram-se nestes dias de Lua Cheia opostos a Gémeos, signo da fusão, da unificação entre Amor e Sabedoria, do equilíbrio entre os opostos.
Nesta meditação da Lua Cheia - momento em que a Luz do Sol (masculino) nos chega através da Lua (feminina) focamos este equilíbrio, necessário para ter capacidade de pontaria - o Sagitário é retratado como arqueiro num cavalo branco, ou mesmo um centauro com arco e flecha (meio homem/meio cavalo). É um símbolo do Ser Humano que se direcciona para objectivos espirituais, e se liberta da identificação com a sua forma física.

Haverá uma meditação /cerimónia no dia 21 de Dezembro às 18.00h, no Cromeleque dos Almendres, (Guadalupe - Évora) para quem tiver vontade de partilhar o momento, apesar do frio e - provavelmente, embora esperamos que não - da chuva. Como o período do Solstício e da Lua Cheia se estende por três dias, a meditação da quinta-feira, dia 23, vai ainda retomar a mesma temática - mas agora numa sala aquecida ;)
Faço votos que todos possam usufruir das energias auspiciosas numa boa meditação!

sábado, 11 de dezembro de 2010

O Fogo Sagrado

 The longest night, by Marcus Rudolph
É inverno... e se o frio ainda não aperta, já temos noites compridas - às cinco e meia de tarde anoitece e temos que esperar quinze horas para vermos a luz do dia novamente.
Todos os anos, quando os dias se tornam curtos, lembro-me do Madeiro de Natal que conheci quando vivíamos na Beira Baixa ... Uma fogueira enorme, ritualmente acesa numa praça no centro da povoação, na noite da Consoada.... Lume que chama famílias, grupos de amigos, vizinhos, para se juntar à volta dele e se aquecer na noite fria, para se iluminar na noite longa. Uma noite de partilha, em que todos exprimem o desejo que os outros estejam bem de saúde e feliz.
A força e o calor do fogo fazem parte da nossa natureza humana, como faz parte da Natureza da Mãe Terra: Fogo, Terra, Água e Ar - num jogo constante de procura de equilíbrios - definem a meteorologia, a composição da matéria, a energia, o espaço, o tempo...
Conhecemos várias formas de Fogo: o Fogo primordial, vindo do Avô Sol; o Fogo no coração da Mãe Terra; o Fogo vindo do relâmpago; o Fogo contido na lava, a partir da qual as pedras são formadas; o Fogo que queima a madeira; e o Fogo dentro de cada um de nós, que é a chama eterna do Grande Mistério, a nossa força vital e espontaneidade.

Assim como é em cima, é embaixo; assim como é dentro, é fora...o Sol encontra-se no Céu, e ele se encontra também dentro de cada um de nós. No centro energético do plexo solar, localizado na zona central do corpo podemos encontrar o nosso Sol Interior. Quando irradiamos o nosso carinho e amor para os que nos rodeiam, permitimos o Sol do Céu de brilhar através do nosso.
A força do Fogo em nós é a nossa vontade de viver, o nosso desejo de amar e ser amado, a nossa necessidade de ter companhia humana, calor humano. É a nossa força física, a nossa espontaneidade, a nossa força criativa bem como a força que alimenta os sonhos curativos.

A paixão física, por sua vez, nasce na nossa ligação ao Fogo no Coração da Mãe Terra. É uma forma de fogo que incendeia os nossos corpos, permitindo que nos exprimimos através da criação: sexualidade, criatividade, acções espontâneas. Se trazemos o amor da Mãe Terra para cima, através dos nossos pés, deixando que sobe até ao nosso centro solar, para se encontrar com o fogo interno do Avô Sol, conseguimos uma forma de criação interior: a União Divina entre o masculino e o feminino. (Para ler mais sobre o encontro entre o Pai e a Mãe, através da respiração, veja aqui)

Quando a nossa ligação com a Mãe Terra enfraquece, esta união dos dois Fogos deixa de ter possibilidade de alimentar os nossos corpos com o Fogo Sagrado.... podemos ficar doentes. Isto pode acontecer com pessoas que vivem num ambiente hóstil à natureza humana, por exemplo uma cidade grande. As pessoas podem sentir a necessidade de se proteger, fechando sobre si próprios para sobreviver ao stress do trânsito e do trabalho; aos problemas alheios com que estão confrontados mas os quais não podem resolver ou evitar; à poluição sonora, ou à atenção indesejada vindo de pessoas que não querem conhecer. Acontece muitas vezes que estas pessoas se fecham para os estimulos vindo de fora - desligando também a ligação com a Mãe Terra. O espaço privado destas pessoas vai diminuindo, e as raízes energéticas que normalmente fornecem energia vindo do fogo da Mãe Terra, vão deixando ter a capacidade de alimentar o corpo.
É uma situação favorável para a desconfiança, o medo e a ansiedade, para a sensação de solidão e de estar separada da vida... que só podem ser curados se a ligação com a Terra se restabelece. A partir daí, também a ligação com os outros pode ser refeita - e levada para outro nível.

Quando abafamos a nossa natureza humana, e não respeitamos a nossa necessidade do calor que vem do Fogo Sagrado, o corpo vai ficar com partes frias. Rapidamente o corpo vai esquecer de enviar o seu próprio fogo interior para as partes que necessitam de atenção, calor, amor. As partes do corpo que abandonamos, ficam livres para que desconforto e dor se instala - ou até mesmo doença.

O Fogo interno nutre e protege o nosso Ser - tal como a Mãe Terra nutre  e o Pai Céu e Avô Sol protegem. Se permitimos a união do Fogo Sagrado em nós, podemos chegar novamente ao nosso estado natural - que é um estado de equilíbrio perfeito. Neste estado, o Fogo do nosso espírito será reforçado e a ilusão de tempo e espaço pode ser quebrado, permitindo que o espírito viaja livremente - sem medo de não poder voltar, em ligação plena com Tudo que É.

O Fogo Sagrado faz nos lembrar que todo É e tudo tem a sua origem no Grande Mistério, que é a Fonte Original.  O Fogo da Criação vive dentro de nós - e dentro de todos com quem relacionamos.
E o abraço fraterno ao lado da fogueira de Natal, quando desejámos a todos felicidade, boa saúde e abundância, pode ser oportunidade de passar por mais uma iniciação e sentir o Grande Mistério...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...