Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

terça-feira, 5 de abril de 2011

A motivação

Perguntaram-me que nome podem dar ao meu trabalho - as meditações regulares, o coaching, as sessões de sons... como chamar o método? como dizer que escola pertenço ou que nome dou? Procurei uma explicação, mas senti como é difícil descrever o que faço.
O que vou dizer? Como encontrar uma descrição curta para o que ofereço nas sessões e meditações?
Não pertenço a uma escola, combino nas sessões as técnicas e ferramentas que se oferecem no momento específico, e para esta pessoa e a sua situação em particular. Faz parte das sessões a massagem com as mãos, a aplicação de cristais, mas também os sons formam um elemento importante. Taças tibetanas, didgeridoo, tambor xamânico, voz....junto a isso outros tipos de trabalho energético para a reactivação da Luz Universal e Amor que Tudo Abrange. Sinto como desadequado quando me chamam terapeuta (embora tenho que reconhecer que sou), porque na minha maneira de ver, a verdadeira cura sempre vem de dentro de cada pessoa, e não é algo que posso "aplicar" a alguém.  Por isso sinto como limitativo, uma descrição que põe a ênfase na técnica ou no método aplicado.

Talvez seja mais fácil chegar a uma descrição do que faço, entendendo a motivação que me leva fazer o trabalho que faço.
A descrição mais adequada em que me revejo, é "Lightworker" - trabalhadora de Luz.
Existem milhares de trabalhadores de Luz à volta do Mundo - e eles aumentam em número todos os dias. Trabalham sozinhos, ou em grupos - não existem regras rígidas para o seu trabalho.
O que têm em comum é que sentem como a sua missão ou vocação, a assistência aos seres vivos e à Criação. Sentem que são guiados por um espírito, um guia, ou outra entidade que se encontra no outro lado. O trabalhadores de Luz optem por uma vida de serviço ao outro - em benefício de todos.
Qualquer um pode aprender ser um trabalhador de Luz, desde que encontra o seu equilíbrio e aumenta a sua vibração. Além de uma dedicação contínua para se curar e equilibrar, é preciso treino e prática, como em qualquer arte ou ofício. Se és guiado para ter como missão evoluir e ser Trabalhador de Luz, a tua alma será o guia do teu caminho, encontrando o sincronismo necessário para poder encontrar os teus mestres. Meditação e uma ligação contínua com os Guias da Luz é benéfico. Tudo se mostrará quando estiveres preparado.

Assim, tudo o que faço tem como objectivo último ser em benefício do Grande Conjunto, ou seja, para o bem de Tudo que É. Procuro contribuir com o meu trabalho para a elevação da consciência, para que a vibração da Mãe Terra como um todo se eleva. Cada um de nós é um elemento indispensável para o bom funcionamento do Grande Conjunto - comparável com o funcionamento das células no corpo humano. O Corpo Divino funciona em pleno se cada célula assume a sua própria harmonia, a sua própria função. O equilíbrio de cada um de nós, a capacidade de cada um de funcionar em harmonia consigo próprio, é fundamental para o Conjunto. Assim, a missão dos trabalhadores de Luz é de assistir outros no seu processo de cura, com o objectivo de contribuir para o equilíbrio no mundo físico.

Servir os outros significa neste contexto, dar o apoio necessário para que as pessoas podem encarar a vida com confiança - consciente da sua capacidade de se curar;  consciente da sua capacidade de se lembrar donde veio, quem É, e como perfazer o seu caminho.
Servir os outros significa oferecer-lhes apoio para encontrar a sua liberdade e autonomia, equilíbrio e amor-próprio. O Grande Conjunto precisa de todos nós presentes, por inteiro, cada um assumindo o seu lugar, a sua responsabilidade, a sua força.

Muitos precisam de algum apoio na sua cura e o que ofereço são formas de cura ancestrais, que os povos antigos aplicaram e aplicam para a harmonização de bloqueios no corpo. Se o teu corpo encontrou o fluxo da sua própria energia, os chakras podem voltar a funcionar em pleno e a engrenagem do teu sistema pode voltar a ser perfeita. A interacção entre o corpo, a mente e a alma pode voltar a ser uma parceria, e tudo o que fazes pode voltar a ser uma escolha do teu Ser completo.

Assim chego à essência de todo o trabalho - meditação, sessões de sons, workshops, cursos, coaching ... o acompanhamento das pessoas no processo de compreender o seu corpo, e através do corpo, a sua vida. Para que possam entender como funcionam, quais as estratégias que têm aplicadas para resolver os seus assuntos e a sua vida, e quais os resultados das mesmas. Para que possam recomeçar a caminhar sobre o seu próprio trilho, voltar a fazer as suas escolhas a partir de um sistema saudável e harmonioso. Para que se possam curar a si próprios, e voltar a ser Uno e inteiro, livres e independentes, que dão forma a sua própria vida em vez de sofrer dela.

O meu trabalho destina-se a pessoas que se querem encontrar e assumir tal e qual como são. Que estão dispostos a olhar para si sem preconceitos, sem julgamentos, compassivamente.

É essa a minha motivação - ou vocação se assim quiseres chamar. Estou convicta que as pessoas que procuram o confronto consigo próprio, encontram o caminho - e ofereço os meus serviços para o seu acompanhamento.

2 comentários:

  1. Muito bom o texto, encontrar o que mais se gosta de fazer e fazê-lo é de facto uma benção (creio :D)mas faço-lhe uma pergunta:

    E os que buscam a luz e que ajudam os outros e que não são terapeutas?

    então e os que fazem vibrar a energia de Gaia e de toda a humanidade, e que são eles gestores, empregados de lojas, camionistas ou uma outra qualquer profissão? mas que trabalham o seu dia a dia fazendo uma qualquer outra profissão? Não são trabalhadores da luz?

    Se deus está em todo o lado, em todas as coisas, cada um de nós tem a luz dentro de si. Ou não?

    Qualquer ser humano que procure o espírito, que procure o Amor, é um trabalhador da luz. Assim eu entendo, na minha opinião. Qualquer ser humano pode trabalhar a luz, sem sequer se aperceber, apenas por entrar numa sala, apenas por falar com o que está ao seu lado, ou pela alegria que traz ao local onde trabalha, por exemplo.

    Ou pela compaixão que sente pelo seu irmão. Porque no seu coração ele procura, ele ouve, ele é o próprio espírito. E ao procurar faz a luz brilhar :)
    O que acha Rietske?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Bem haja pelo comentário. Não tenho dúvida que cada um de nós traz em si a Luz. Somos todos UM,vindo da mesma Fonte! Procurei elaborar mais um pouco a minha visão sobre este assunto num post... Abraço

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...