Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

domingo, 15 de maio de 2011

A Lua Cheia de Maio

(Fonte da imagem)
Na próxima terça feira, dia 17 de Maio, celebramos a Lua Cheia - com o Sol em Touro, e a Lua em Escorpião.

Será celebrada a Festa de Wesak. Informalmente, a festa é às vezes referida como "o aniversário do Buda", mas de facto engloba tanto o nascimento como o momento da iluminação (Nirvana) e o do partir (Paranirvana) do Buda Gautama..

Todos os anos, no momento exacto da Lua Cheia, tem lugar uma cerimónia no Vale de Wesak, no sopé da Himalaya. É o momento de passagem de energia entre Shamballa (o centro planetário da cabeça), a Hierarquia Espiritual (centro planetário do coração) e a Humanidade (centro planetário da garganta).

O Buda trabalha (ao nível planetário) como o intermediário espiritual entre o centro planetário superior chamado Shamballa - "o sítio onde é conhecido a Vontade de Deus" - e a Hierarquia Espiritual, centro planetário do coração. Buda representa a Sabedoria Divina, é a personificação da Luz, tal como o Cristo é a personificação do Amor.

No momento da Lua Cheia de Touro, tem lugar uma afluência extraordinária de energias vitais. É um momento de estimulação espiritual que oferece à Humanidade uma oportunidade especial de crescimento, encorajando e estimulando a aspiração de todos. A força conjugada do Amor e Sabedoria - do Cristo e do Buda - oferece uma oportunidade para a afluência do Amor Divino e da Sabedoria Divina, em direcção do mundo necessitado que espera. É como o abrir de uma porta que está fechado em outros momentos, pelo que as pessoas possam entrar em contacto com as energias do entendimento (compaixão) divino e sabedoria divina, energias que normalmente não são tão fáceis de contactar.
A festa de Wesak é um ponto alto de bênção espiritual no mundo, e pode afigurar-se a todos como um ponto elevado de inspiração.
No nosso coração, no nosso pensamento e através de meditação, podemos usufruir e amplificar com as energias que nos são disponibilizadas. Podemos colaborar, aspirando relações humanas justas, fazendo escolhas claras e "iluminadas", e procurando os valores espirituais na nossa própria vida. (Alice A. Bailey)

(Fonte da imagem)
Vamos celebrar o dia de Wesak, com uma Cerimónia de Lua Cheia, no Cromeleque dos Almendres em Guadalupe, Évora - na próxima terça feira, dia 17 de Maio, às 21.00h.

No momento da Lua Cheia, o Sol estará em Touro e a Lua em Escorpião. É a segunda Lua do ano astrológico, o segundo momento de reflexão sobre o ciclo espiritual. O primeiro momento era a Lua Cheia enquanto o Sol estava em Aries -Carneiro, e referia ao plano mental, em concordância com a Lei Universal. O segundo momento tem a ver com o plano do desejo (astral) e a força do desejo.

Se olharmos para a mitologia grega, encontramos aí os 12 trabalhos de Hercules, referentes aos doze momentos do ciclo astrológico anual. O segundo trabalho do Hercules fala do Touro.

No mito, vemos o rei de Creta, Minos, que tinha um touro sagrado, o que ele mantinha na ilha de Creta. Euristeu chamou Hércules e disse-lhe que era necessário pegar no touro e levá-lo da ilha para o
continente. Para Hércules, não havia mais instruções, ele simplesmente sabia que o touro era sagrado, que nasceu do mar, e que seu destino era ser sacrificado a Minos. Portanto Hércules viajou para Creta e procurou por toda a ilha seguindo o touro por toda parte, até que finalmente ele tinha-o encurralado. Na testa do Touro surgiu e voltou a surgir uma estrela brilhante que apareceu no meio da testa como uma luz brilhante num ambiente escuro. Esta luz estava a mover-se quando o boi se movia e guiava-o de lugar em lugar. Então, Hercules montou o touro como um cavalo pela ilha. À sua volta estavam as Irmãs, em número de sete, que o encorajavam na sua viagem, e à luz brilhante do touro, ele andava sobre a água brilhante para a ilha de Creta, para a terra onde viveram os Ciclopes.
Estes ciclopes eram criaturas notáveis, de quem se dizia que tinham apenas um olho. Eles eram governados por três seres, seus nomes eram: Brontes, o que significava trovão; Estéropes, o que significavam relâmpago; e Arges, o que significava a actividade rodopiante. Quando Hércules chegou com o touro às portas da cidade,  três Cyclops vieram ao seu encontro. Eles eram chamados os filhos maiores de Deus, e Brontes disse: "Ele vem com poder" e Estéropes disse: "Ele dirige a luz, a luz interior será mais forte" e Arges disse: "Ele trata de velocidade, ele corre pelas ondas. "

Hércules aproximava-se agora o e instou o touro sagrado no caminho, e assim a luz foi lançada na trilha que levava de Creta para o Templo do Senhor, na cidade dos de um olho só. Os três homens receberam o touro sagrado dele e levaram-no sob o seu cuidado. E assim terminou a segunda tarefa.

O Professor viu-o e foi ao seu encontro. Sobre as águas vieram as vozes dos sete irmãs, cantando ao redor do touro, e de mais perto veio o canto dos de um olho só no Templo do Senhor, no alto do Santo Lugar. "Você veio de mãos vazias, O Hércules", disse o professor. "Tenho estas mãos vazias, porque cumpri a tarefa que me foi indicada", disse Hércules. "O touro sagrado foi recebido em segurança pelos três. Qual é a próxima tarefa? "
O Mestre respondeu:" Na luz você irá ver a sua luz, vai na luz e vê nela a sua luz. A sua luz deve brilhar mais forte. O touro está na Cidade Santa "
E: "Esta tarefa foi fácil. Aprenda a lição das relações. Força para a tarefa pesada; vontade de assumir a tarefa, e que não carregue sobre as forças - assim aprende duas lições. "
______
A chave para o trabalho de Touro está na compreensão correcta da Lei da Atracção. Esta é a lei que rege a força magnética e o princípio de coerência; que faz o edifício, em que Deus, ou a Alma, se manifesta.

A estabilidade no ciclo de existência pode ser encontrada na relação entre o que dá forma, e a forma em si;  entre os dois pólos, negativo e positivo; entre espírito e matéria; entre o eu e o não-eu, entre masculino e feminino, e assim , entre os opostos.

Touro (Taurus) está desde sempre associado à luz e, portanto, com o Cristo que se chama a Luz do Mundo. Luz, som e iluminação, são aqui vistos como uma expressão da força criadora,  e são estas as três ideias fundamentais associadas a este signo. Tudo o que actualmente impede a Alma aparecer em toda a sua glória, está na matéria ou seja, no aspecto formal. Se a forma, a matéria, fosse dedicada, purificada e espiritualizada, então realmente a glória e a luz podem aparecer.

As sete irmãs são as Plêiades. As Plêiades são o símbolo da alma, em torno da qual roda a vida. O Touro (Taurus), representa a forma e a atracção da matéria. As Plêiades representam a alma e o grande ciclo repetitivo da experiência, e entre as sete Plêiades (as Sete Irmãs, como no mito), está a Plêiade Perdida (só seis são visíveis). Ela é um símbolo da escuridão da espírito, enquanto a alma, levado pelo desejo, toma a forma num corpo. Aqui está a ideia da relação entre o Eu ao Não-Eu, que leva à a revelação do Espírito, como acontece com todos os ensinamentos  baseados em mitos. Se olharmos para as estrelas vemos Órion, representante do aspecto do Espírito. O nome significa literalmente "o romper da luz" com as três estrelas do cinturão de Órion, os Reis, que por sua vez simbolizam os três Aspectos da Vontade Divina, do Amor Divina e da Inteligência Divina.

Os três aspectos divinos, encontramos como os três Ciclopes Brontes, Arges e Estéropes. Brontes é o primeiro aspecto de Deus Pai, que falou e era a palavra da criação, ou trovão. Estéropes significa relâmpago, ou a luz, e é o segundo aspecto da divindade, a alma. Arges significa actividade rodopiante, o terceiro aspecto da divindade, que exprima a intensa actividade da vida  no plano físico.

A lição geral a ser aprendida em Touro (Taurus) é alcançar a compreensão correcta da lei da atracção e da  utilização correcta e controle sobre a matéria. A matéria é espiritualizada pela sua correcta utilização. Montando o touro como Hércules fez, tinha a ver com o controlo sobre e subordinação dos desejos, e tem a ver com assuntos em relações com a sexualidade. Estas foram vencidos pela Alma. Isso não tem nada a ver com repressão, mas com compreensão e bom senso.
___
O signo oposto ao Touro, com que se procura equilíbrio na altura da Lua Cheia, é Escorpião.
Característica do Touro: Desejo - Vontade - Direcionamento.
Caracerística do Escorpião: Conflito da dualidade. Desejo superado.

As palavras-chave de Touro:"Eu vejo e quando o Olho* está aberto, Tudo é Luz"

* O Olho do Touro é o terceiro olho no ser humano, que nos mostra internamente os objectivos do Plano Divino.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos! 

1 comentário:

  1. OBRIGADA PELA OPORTUNIDADE.FOI MUITO INLUSTRATIVO. COMO TEMOS QUE APREENDER.,,,, ABRAÇOS. PAZ PROFUNDA. KATIA

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...