Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A limpeza e cura do corpo emocional

Bastantes posts deste blog referem à nossa procura de poder "viver no momento, no Aqui e Agora". Sem ser assombrado pelo passado, sem ser condicionado nas nossas decisões por outros motivos do que a Harmonia do Conjunto. Livres. Igual a nos próprios.
Mas no entretanto....sabemos que no nosso comportamento estamos condicionados por emoções e traumas do passado - que podem vir de longe, até de outras vidas. São consequências de acções no passado... as nossas, por iniciativa própria ou em reacção às acções dos outros sobre nós. Podemos chamar aos condicionantes o nosso karma...
Mas penso que temos toda a razão para acreditar que não se trata de uma fatalidade. Somos capaz de resolver esse karma. (já escrevi antes sobre o assunto) Não só somos capaz, também é altura de deixar de actuar em reacção às experiências dolorosas, é altura de parar de criar karma negativo novo. A Mãe Terra, este grande conjunto de seres, precisa de nós tal e qual como Somos. Aqui e Agora.

Como podemos começar a "limpar" a carga emocional que nos condiciona? Uma aproximação mais directa seria olhar para dentro, sentir-nos a nós, encontrar-nos connosco. Digo isso no sentido mais pragmático das palavras: sentir o nosso corpo.
(Fonte da imagem)
De todas as dimensões que o nosso Ser possa ter (espiritual, celestial, etérica, astral, emocional, mental, física...) o corpo físico é a camada  mais densa. Mas está intimamente ligado a todos os outros aspectos - formando,  por assim dizer, a âncora para as dimensões mais súbteis, que existem dentro, através e em conjunto com o corpo físico.

O corpo emocional, além de ser uma dimensão energética que nos envolve, existe junto de todas as células. Cada uma das células é um corpo dentro do nosso corpo, com uma memória própria - onde também podem estar armazenadas experiências emocionais. Experiências que foram acumuladas durante a vida toda, desde começou a existir o "Eu".
Acontece por vezes que o corpo guarda uma memória de um acontecimento emocional que na altura que aconteceu, não era capaz de digerir ou de enfrentar.

O nosso corpo tem locais diferentes onde emoções diferentes são "armazenadas".
Exemplos destes locais são:
o fígado - para a raiva, ira, frustração (e.o)
rins - para tristeza, sentir mal compreendido, o não se poder exprimir nas relações humanas (e.o)
pulmões - medo da vida, medo de viver, medo de ser quem és, medo de não ter o suficiente (e.o)
joelhos - medo de caminhar o teu próprio caminho em flexibilidade (e.o)

O sistema humana tem várias maneiras de chamar atenção para os seus desequilíbrios. Num determinado momento, quando a totalidade dos teus sistemas tem força suficiente para enfrentar ou digerir uma memória de um acontecimento emocional, esta pode surgir - por exemplo através de uma experiência semelhante ou através de um padrão de acontecimentos que se repetem.
Também pode surgir no nosso sentimento de nós a sensação de estarmos desequilibrados.
Mas podemos entender o mesmo também através da observação do corpo físico. Este pode indicar através de incómodo ou dor física, locais onde estão armazenadas emoções que precisam atenção. Normalmente trata-se de emoções de tal modo condicionadas e padronizadas, que achamos que fazem parte de quem nos "somos". Emoções não digeridas, que foram de tal maneira aninhadas no sistema que parecem fazer parte, e das quais "esquecemos" convenientemente a origem...

Quando se fala de episódios dolorosos ou difíceis do passado, é um lugar comum dizer-se: deixa o passado para trás.... mas tal não é possível se não o mesmo passado não for reconhecido na sua totalidade e na sua complexidade. Após ser visto e entendido, também os padrões de comportamento que se originaram no passado podem ser libertos. O mesmo se aplica à dor física associada.
Enquanto não damos atenção, conscientemente, à origem emocional, não haverá uma verdadeira limpeza do passado. E no conjunto dos corpos, os bloqueios no corpo emocional provocam por sua vez "doenças" no corpo físico.

Da mesma maneira que o nosso corpo é constituído por muitas células, cada uma um corpo em si, que todas juntas garantem o bom funcionamento do conjunto, nós, seres humanos, somos como células no corpo do Grande Conjunto. A Mãe Terra tem a todos nós como "os seus filhos", mas também podemos olhar para todos nós como células, elementos constituintes de um corpo  maior. A Mãe alimenta a todos, como o corpo no seu total alimenta às suas células. Mas a Mãe precisa também de todos nós saudáveis para poder funcionar em Harmonia! É para o benefício do Todo que É, a nossa procura de ser quem Somos - sem ser assombrado pelo passado, sem ser condicionado nas nossas decisões por outros motivos do que a Harmonia do Conjunto. Livres. Igual a nos próprios. Com um corpo emocional "limpo".

 (special thanks to Lucia Hulman)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...