Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

domingo, 17 de abril de 2011

A próxima meditação de Lua Cheia será no Domingo dia 17 de Abril, às 19.45h no Cromeleque dos Almendres em Guadalupe. (O momento mesmo será segunda-feira às 04.44h).
A Natureza renasce
O Sol estará em Carneiro, a Lua em Balança. É também chamado a Lua do Acordar, cujo tema é o Renascimento.

Será a Lua Cheia que precede a Páscoa - a primeira das 3 festas da Primavera que representam os três aspectos da essência Divina: Força de Vontade / Objectivo (1º raio) ; Amor-Sabedoria (2º raio); Luz / Inteligência Activa e Adaptação (3º raio).
Durante estas três festas as energias são altas, concentradas e direccionadas.
Na festa da Pascoa, com o Sol em Carneiro, é disponibilizada à Humanidade, uma abundância de forças que nos permitem transformar a vida e viver de modo justo e criativo.

Em Carneiro encontramos a origem da direcção certa e da orientação certa. Sendo o primeiro signo do Zodíaco, representa a consciência primordial, que existe potencialmente; o início do ciclo da experiência. Assim é um período de re-orientação e um esforço renovada da auto-consciência. Carneiro indica o primeiro passo no caminho da transformação. Tudo o que acontece é influenciado pelo pensamento e a força mental. Tudo o que fazemos tem a sua origem na nossa consciência e nos nossos pensamentos, e neste mês a força dos nossos pensamentos é ainda maior.

É uma lei. Energia segue o pensamento. Ao pensar, damos forma a uma ideia - que em seguida toma forma material. Pensamentos que criam - mas somos criativos com os nossos pensamentos? O que queres criar? O que pensas?

Oposto ao Carneiro encontramos Balança - o signo com que Carneiro procura equilíbrio na Lua Cheia.
A caracteristica central de Carneiro é a Iniciação. A Força de Vontade (Poder) exprime-se nos processos criativos.
A caracteristica central de Balança é o Equilibrio. O reconhecimento da dualidade e a procura da vida da Alma e da vida na sua forma material.

Para a Terra como um conjunto é de importância fulcral que cada um de nós toma consciência da sua força de criação mental. A Harmonia que procuramos, a Paz que desejamos, origina nos nossos pensamentos.

Proponho a reflexão sobre o tema acima, como preparação para a Meditação de Lua Cheia de Abril.

As meditações da Lua Cheia no Cromeleque dos Almendres têm lugar em sincronia com as meditações de muitas pessoas em todo o Mundo, que em grupo ou individualmente, se abrem para sentir a influência do Universo e se sintonizar com os ritmos da Natureza. A meditação visa a União, a interiorização e tomada de consciência que todos juntos, somos UM. Nunca estaremos sós, se encontramos a Grande Ligação Divina no nosso coração.

Domingo, dia 17 de Abril, às 19.45h
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

É costume trazer uma oferenda para o sítio em si, em sinal do nosso respeito para o Lugar: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha ou uma flor - ou aquilo que achar adequado.

Participação na cerimónia por donativo.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Silent Prayer - Oração silenciosa

Oração Silenciosa - tal como transmitida por Tobias através de Geoffrey Hoppe
Tobias:
A oração silenciosa é um reconhecimento de Tudo Que É. Nesta oração, sei que todas as orações alguma vez por mim pronunciadas, foram ouvidas pelo Espírito, e que o Espírito me deu tudo o que pedi. É um reconhecimento que a minha Alma é completa no amor e na graça de Deus. É um reconhecimento do meu estado total de perfeição e Ser. Tudo que procuro, tudo que desejo co-criar, já existe na minha realidade. Dei o nome de Oração Silenciosa porque sei que o meu Ser já se encontra realizado. Não existe a necessidade de pedir seja o que for ao Espírito, porque tudo já foi dado.
Return to Greatness by Mario Duguay
No meu coração,eu aceito o meu Ser perfeito.
Aceito que o prazer que procurei, já se encontra na minha vida.
Aceito que o amor pelo qual rezei, já se encontra em mim.
Aceito que a paz que pedi, já é a minha realidade.
Aceito que a abundância que procurei, já preencha a minha vida.

Na minha veracidade, aceito o meu Ser perfeito.
Assumo a responsabilidade para as minhas próprias criações,
e para todas as coisas que existem na minha vida.
Reconheço o poder do Espírito que reside em mim,
e sei que todas as coisas são como devem ser.

Na minha sabedoria, aceito o meu Ser perfeito.
As minhas lições foram escolhidas pela minha Alma
Passo agora por elas numa experiência plena
O meu caminho leva-me numa viagem sagrada com uma finalidade divina.
As minhas experiências tornam-se parte de Tudo Que É.

No meu conhecimento, aceito o meu Ser perfeito.
Neste momento, estou sentado na minha cadeira dourada,
e sei que sou um Anjo de Luz.
Olho para a travessa dourada, a oferenda do Espírito,
e sei que todos os meus desejo já foram satisfeitos.

Amando a minha Alma, aceito o meu Ser perfeito.
Não julgo a minha Alma, nem a carrego com pesos.
Aceito que tudo no meu passado, foi dado com amor.
Aceito que tudo no presente, vem com amor.
Aceito que tudo no meu futuro, resultará em amor mais profundo.

Sendo, aceito a minha perfeição.
Assim É.


From Tobias as channeled by Geoffrey Hoppe:

The Silent Prayer is an acknowledgement of All That Is. In this prayer, I know that every prayer I have ever voiced is heard by Spirit, and that Spirit has given unto me all that I have asked for. It is an acknowledgement that my soul is complete in the love and grace of God. It is an acknowledgement of my total state of perfection and Is-ness. All that I desire, all that I wish to cocreate, is already within my reality. I call this the Silent Prayer because I know that my Being is already fullfilled. There is no need to ask for anything of Spirit, because it has already been given.


The Prayer


In my heart, I accept my perfect Being.
I accept that the joy that I have intended is already in my life.
I accept that love I have prayed for is already within me.
I accept that the peace I have asked for is already my reality.
I accept that the abundance I have sought already fills my life.


In my truth, I accept my perfect Being.
I take responsibility for my own creations,
And all things that are within my life.
I acknowledge the power of Spirit that is within me,
And know that all things are as they should be.


In my wisdom, I accept my perfect Being.
My lessons have been carefully chosen by my Self,
And now I walk through them in full experience.
My path takes me on a sacred journey with divine purpose.
My experiences become part of All That Is.


In my knowingness, I accept my perfect Being.
In this moment, I sit in my golden chair
And know that I Am an angel of light.
I look upon the golden tray - the gift of Spirit -
And know that all of my desires already have been fufilled.


In love for my Self, I accept my perfect Being.
I cast no judgment or burdens upon my Self.
I accept that everything in my past was given in love.
I accept that everything in this moment comes from love.
I accept that everything in my future will result in greater love.


In my Being, I accept my perfection.
And so it is.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Mudanças na organização das meditações

Depois de seis anos de meditações regulares, chegou a altura de diferenciar entre pessoas que se encontram no início da experiência meditativa, pessoas que já têm alguma experiência e as que são avançadas. A partir da semana que vem, as meditações serão adaptadas aos grupos diferentes.

Rising, by Mario Duguay

Nota bem: todas as sessões continuam a estar abertas a quem queira participar - independentemente da experiência uma pessoa pode continuar a participar em todos os grupos, sentindo e respirando a energia que se gera, num ambiente tranquilo e protegido.
A diferença estará no modo como as meditações são guiadas. Nas sessões para principiantes haverá mais acompanhamento ao nível do contacto com o próprio corpo e o enraizamento/equilíbrio dos sistemas.
Para os mais avançados parto do princípio que uma introdução mais curta será suficiente, e que possa haver mais aprofundamento do tema central daquele momento.
Com os mais avançados vou aprofundar temas específicos para a cura do próprio corpo, fazer viagens astrais e meditações direccionadas para a Terra como um conjunto.

4a feira 12.45h - 13.45h : principiantes
2a feira 19.30h - 20.30h : avançados
5a feira 18.00h - 19.00h : mais avançados

sábado, 9 de abril de 2011

A motivação (2)

No texto anterior, falei da minha motivação para fazer o que faço. Escrevi sobre a minha experiência pessoal e o meu olhar sobre o meu trabalho, que é o lugar que encontrei para dar o meu contributo.

O Grande Conjunto precisa de todos nós em boas condições - em harmonia connosco próprios e com os que estão à volta, com a Natureza e o Universo. Cada um tem qualidades únicas e um lugar em que pode dar o seu contributo - um pouco como todas as células no corpo humano são necessárias,  e para um corpo são é preciso que as células são saudáveis e sabem como interagir.

Somos todos UM - um planeta, uma terra, uma raça, um coração. A Mãe Terra precisa de todos, e para todos é importante que os outros estão igualmente presentes.
Todos nós somos de igual importância para o Corpo Divino poder funcionar. O médico não é mais ou menos  importante do que o padeiro, o professor, ou a costureira na fábrica; eles são interdependentes. Sem médico, os outros podem não resolver a sua doença; sem padeiro, os outros podem não ter de comer. A costureira trata de vesti-los e o professor ensina as crianças. Cada um tem a sua função, para que todos em conjunto possam funcionar. Todos podem aprender a fazer pão, costurar roupa, ensinar a ler e escrever ou diagnosticar doenças. Mas existem vocações - cada um tem a sua.
A Mãe Terra e o Grande Conjunto precisam de todos nós. Em harmonia connosco, encontrando o nosso lugar, fazendo o que as nossas qualidades nos proporcionam. O re-encontro connosco; o reconhecer, aceitar e equilibrar dos nossos sentimentos e das nossas emoções, traz de volta o amor-próprio, o auto-estima, a liberdade espiritual. Sabendo o que é ter compaixão connosco, sentir amor incondicional connosco próprios, estamos verdadeiramente preparados e aptos para poder amar incondicionalmente o outro. A aceitação do nosso próprio lugar, e a descoberta do nosso funcionamento pleno - sem bloqueios, sem dor, sem restrições para quem realmente somos - faz brilhar a Luz Divina em cada um.
O caminho de re-encontro connosco para que a nossa Luz brilha, é por si o trabalho espiritual mais importante que existe - se estiver enquadrado na consciência que este trabalho é feito em benefício do Conjunto, isto faz de cada um de nós um Trabalhador de Luz.

terça-feira, 5 de abril de 2011

A motivação

Perguntaram-me que nome podem dar ao meu trabalho - as meditações regulares, o coaching, as sessões de sons... como chamar o método? como dizer que escola pertenço ou que nome dou? Procurei uma explicação, mas senti como é difícil descrever o que faço.
O que vou dizer? Como encontrar uma descrição curta para o que ofereço nas sessões e meditações?
Não pertenço a uma escola, combino nas sessões as técnicas e ferramentas que se oferecem no momento específico, e para esta pessoa e a sua situação em particular. Faz parte das sessões a massagem com as mãos, a aplicação de cristais, mas também os sons formam um elemento importante. Taças tibetanas, didgeridoo, tambor xamânico, voz....junto a isso outros tipos de trabalho energético para a reactivação da Luz Universal e Amor que Tudo Abrange. Sinto como desadequado quando me chamam terapeuta (embora tenho que reconhecer que sou), porque na minha maneira de ver, a verdadeira cura sempre vem de dentro de cada pessoa, e não é algo que posso "aplicar" a alguém.  Por isso sinto como limitativo, uma descrição que põe a ênfase na técnica ou no método aplicado.

Talvez seja mais fácil chegar a uma descrição do que faço, entendendo a motivação que me leva fazer o trabalho que faço.
A descrição mais adequada em que me revejo, é "Lightworker" - trabalhadora de Luz.
Existem milhares de trabalhadores de Luz à volta do Mundo - e eles aumentam em número todos os dias. Trabalham sozinhos, ou em grupos - não existem regras rígidas para o seu trabalho.
O que têm em comum é que sentem como a sua missão ou vocação, a assistência aos seres vivos e à Criação. Sentem que são guiados por um espírito, um guia, ou outra entidade que se encontra no outro lado. O trabalhadores de Luz optem por uma vida de serviço ao outro - em benefício de todos.
Qualquer um pode aprender ser um trabalhador de Luz, desde que encontra o seu equilíbrio e aumenta a sua vibração. Além de uma dedicação contínua para se curar e equilibrar, é preciso treino e prática, como em qualquer arte ou ofício. Se és guiado para ter como missão evoluir e ser Trabalhador de Luz, a tua alma será o guia do teu caminho, encontrando o sincronismo necessário para poder encontrar os teus mestres. Meditação e uma ligação contínua com os Guias da Luz é benéfico. Tudo se mostrará quando estiveres preparado.

Assim, tudo o que faço tem como objectivo último ser em benefício do Grande Conjunto, ou seja, para o bem de Tudo que É. Procuro contribuir com o meu trabalho para a elevação da consciência, para que a vibração da Mãe Terra como um todo se eleva. Cada um de nós é um elemento indispensável para o bom funcionamento do Grande Conjunto - comparável com o funcionamento das células no corpo humano. O Corpo Divino funciona em pleno se cada célula assume a sua própria harmonia, a sua própria função. O equilíbrio de cada um de nós, a capacidade de cada um de funcionar em harmonia consigo próprio, é fundamental para o Conjunto. Assim, a missão dos trabalhadores de Luz é de assistir outros no seu processo de cura, com o objectivo de contribuir para o equilíbrio no mundo físico.

Servir os outros significa neste contexto, dar o apoio necessário para que as pessoas podem encarar a vida com confiança - consciente da sua capacidade de se curar;  consciente da sua capacidade de se lembrar donde veio, quem É, e como perfazer o seu caminho.
Servir os outros significa oferecer-lhes apoio para encontrar a sua liberdade e autonomia, equilíbrio e amor-próprio. O Grande Conjunto precisa de todos nós presentes, por inteiro, cada um assumindo o seu lugar, a sua responsabilidade, a sua força.

Muitos precisam de algum apoio na sua cura e o que ofereço são formas de cura ancestrais, que os povos antigos aplicaram e aplicam para a harmonização de bloqueios no corpo. Se o teu corpo encontrou o fluxo da sua própria energia, os chakras podem voltar a funcionar em pleno e a engrenagem do teu sistema pode voltar a ser perfeita. A interacção entre o corpo, a mente e a alma pode voltar a ser uma parceria, e tudo o que fazes pode voltar a ser uma escolha do teu Ser completo.

Assim chego à essência de todo o trabalho - meditação, sessões de sons, workshops, cursos, coaching ... o acompanhamento das pessoas no processo de compreender o seu corpo, e através do corpo, a sua vida. Para que possam entender como funcionam, quais as estratégias que têm aplicadas para resolver os seus assuntos e a sua vida, e quais os resultados das mesmas. Para que possam recomeçar a caminhar sobre o seu próprio trilho, voltar a fazer as suas escolhas a partir de um sistema saudável e harmonioso. Para que se possam curar a si próprios, e voltar a ser Uno e inteiro, livres e independentes, que dão forma a sua própria vida em vez de sofrer dela.

O meu trabalho destina-se a pessoas que se querem encontrar e assumir tal e qual como são. Que estão dispostos a olhar para si sem preconceitos, sem julgamentos, compassivamente.

É essa a minha motivação - ou vocação se assim quiseres chamar. Estou convicta que as pessoas que procuram o confronto consigo próprio, encontram o caminho - e ofereço os meus serviços para o seu acompanhamento.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...