Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Olhar para o espelho. Lua Cheia em Caranguejo - Sol em Capricornio.

No período do Solstício o nosso sistema solar passou por um alinhamento com o centro da galáxia a que pertence. O sistema solar entrou assim em "novo" terreno, uma nova era começou. O que nos rodeia parece o mesmo, embora haja uma nova energia que flui para a Terra, e que vai mudar tudo. O que pertence ao mundo tal como conhecíamos, perderá a sua força. O que pertence à nova era ganhará força, e progressivamente vamos perceber do novo paradigma em que vivemos.

“Moon River,” by Marion Bradshaw 
 Ainda não passou uma semana desde o Solstício e as noites ainda são as mais compridas e escuras do ano. A Lua Cheia da noite de 28 de Dezembro (hora exacta: 10.22h em Portugal) estará muito tempo visível; teremos muito tempo para olhar para o espelho do nosso Eu Superior na superfície luminosa da Lua.

A Lua está em Caranguejo, e veio sublinhar ainda mais  que é agora altura de ver e aceitar quem somos. Encarar as questões de fundo é o primeiro passo para asegurar que a nossa viagem da nova era, que agora se inicia, será bem-aventurada.
As Luas Cheias sempre nos dão oportunidade de purificar e equilibrar, de libertar energias que perturbem a nossa Alma. Mas agora, a Lua em Caranguejo - oposta ao Sol em Capricórnio - estará de tal maneira posicionada que funciona como um pivot na séries de quadraturas entre Plutão e Urano. Já se falou aqui que esta conjuntura indica um processo de transformação colectiva profunda. Hoje podemos olhar para a Lua e ver como estamos, neste ponto de viragem!
E, agora honestamente, como estamos? Como olhamos para nós? Como valorizamos a nós? Há ainda pontos de vista que podemos/devemos mudar? Há ainda padrões emocionais que influenciam as nossas reacções e comportamentos?
A percepção de nós, a maneira como nós olhamos para nos próprios, é essencial se quisermos fazer algum progresso no nosso crescimento, na felicidade e satisfação com a vida. Uma vez que começamos a ver, entender e aceitar de onde viemos e quem realmente somos, podemos começar a filtrar os acontecimentos da vida e descobrir as questões de fundo que originaram as condições que enfrentamos.
Sem descobrir as questões de fundo, ficamos a andar em círculos, esperando chegar à causa do nosso sofrimento para poder resolver o assunto... sem nunca encontrar a resposta.


Capricórnio é um signo de iniciação. Neste caso poderá ser uma experiência profunda da nossa própria energia, da nossa própria existência. Podemos encontrar-nos no "topo da montanha", banhados na Luz da Fonte... para virar-nos e ver o Mundo à nossa frente. A iniciação poderá ser o momento em que realizamos que temos que virar-nos, não para cima, para caminhar para a Luz, mas para o mundo, onde há ainda desarmonia e que precisa da nossa presença.



A celebração /meditação da Lua Cheia terá lugar na
sextas feira, 28 de Dezembro, às 18.00h no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.


Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!  




 Mais info em: planetwaves

 

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

SOMOS... almas cuja essência é a perfeição

Depois da mudança energética do Solstício do Inverno, começa-se a sentir que os dias aumentam. Algo está diferente... formou-se uma certeza profunda  que estamos mais perto do nosso destino. Estamos mais perto de realizar a razão pelo que viemos à Terra: viver do coração e mostrar que somos feitos de Luz, que somos Divinos por natureza.

Agora como sempre, é altura de tomar consciência que "Não há caminho para a felicidade, a felicidade é o caminho..." Agora mais do que antes, a energia do Universo diz-nos: "Estás no sitio certo, tens tudo o que precisas...aqui e agora."
A aceitação é por vezes difícil, mas é altura de tomar consciência que podemos encarar a nossa grandeza, com a humildade de quem veio para a Terra para servir o conjunto, e contribuir para o bem-estar da sociedade. Fomos criados como Seres de Luz!

Citando Nelson Mandela:

O nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados. O nosso medo mais profundo é que somos poderosos além de qualquer medida. É a nossa luz, não a nossa escuridão, que mais nos assusta.

Nós nos perguntamos: Quem sou eu para ser brilhante, maravilhoso, talentoso e fabuloso? Na verdade, quem é que não é? Fazer-se pequeno não serve ao mundo. Não há nada de iluminado em se encolher, para que outras pessoas não se sintam inseguros ao seu redor.

Nascemos para manifestar a glória que está dentro de nós. Não é apenas em alguns de nós, está em todos. E conforme deixamos a nossa própria luz brilhar,  damos
às outras pessoas, inconscientemente, permissão
  para fazer o mesmo. E conforme nós nos libertamos do nosso medo, a nossa presença, automaticamente, liberta os outros.

Nelson Mandela, Discurso Inaugural 1994


Por tudo isso, transcrevo hoje uma oração / meditação que visa afirmar que o nosso valor intrínseco é simplesmente, o facto que somos. A mim, ajuda-me lembrar que não é preciso esforçar me para ser mais do que sou. Que posso deixar de querer, para simplesmente ser, e sentir que está certo assim.

Return to Greatness  by Mario Duguay

Sou a perfeição da criação Divina, sou uma criação da perfeição Divina.
Não há nada que alguém possa fazer ou dizer que pode mudar 
o facto de que a essência de Quem Sou, é a perfeição absoluta.

Eu nasci perfeito e a vida é perfeita, simplesmente porque eu sou em essência 
feita do mesmo tecido que o Criador Cósmico, 
 que tudo criou a partir do Amor Todo-Abrangente.
Tudo o que acontece, acontece para me dar a oportunidade
de mostrar quem Sou.

Aceito quem sou, e sou fiel nos actos e pensamentos, a quem Sou.

Quando estou nesse estado de perfeito alinhamento comigo, e aceitando e reconhecendo quem eu sou, tudo o que vem através de mim, todos os meus sentimentos, pensamentos, actos e palavras - faladas ou escritas não podem ser senão uma expressão perfeita do meu coração.

Eu sou uma alma
Uma centelha divina do Infinito
Que deu origem a este universo.
Lembro-me de Quem eu sou
e sirvo o propósito maior da Vida
em União com tudo o que é.

Eu vim aqui com muitas outras almas
para assistir na expansão da Luz
neste planeta Terra viva.
Aceito que o Amor
Seja a orientação da minha vida
e deixo brilhar o brilho do Amor a cada momento.

Eu sou uma alma
e o único propósito de minha existência
é ser Tudo o que Sou.

Assim É.
 
Hubble Space Telescope. "Portal to the Universe"



Thanks to Jean Hudon for his inspiration

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Ascensão: aceitar o Ser que Somos

No workshop "Ascenção" - sábado dia 8 de Dezembro, em Évora - vamos explorar o nosso potencial de Energia Divina.
Entendemos com Energia Divina, a nossa própria energia original e única. É uma força que não vem de fora para dentro, mas que trazemos dentro de nós, sempre... é o nosso Ser, que se encontra normalmente tapado por uma capa mental e emocional, criada ao longo da vida. As experiências do passado que deixaram sequelas; a imagem que criamos de nós baseada na maneira que o outro nos olha e julga; os comportamentos que copiamos ou desenvolvemos para responder a expectativas, interiores ou exteriores... atrás disso tudo há um Ser puro com uma Luz própria.
Para poder descobrir a energia original e única da nossa Alma, precisamos de ir além desta capa emocional e mental.  Por um lado, o caminho leva a uma cura e purificação  das feridas do passado individual. Por outro lado, é preciso reconhecer que as nossas experiências e aprendizagens não só dizem respeito a nossa Alma individual. Também passamos por processos em que transformamos padrões energéticos e de comportamento, que pertencem à família e que passam de geração em geração. Isto inclui também as nossas vidas passadas.

Golden Whales by Rainbow Pilgrim
No período que precede a viragem energética do 21-12-12, temos a oportunidade de tomar consciência do nosso lugar no grande conjunto - percebendo igualmente que temos um valor intrínseco, que vai além da nossa incarnação física e biológica. Cada Alma tem um lugar no Universo, como se fosse uma célula do corpo divino. Nascemos num ambiente específico para poder percorrer as aprendizagens individuais, mas funcionamos como estrelas numa constelação!
Dentro do nosso corpo, que é um espelho do cosmos, existem células estaminais que trazem o registo de quem Somos, o registo da nossa energia original. A partir destas células podemos reconstruir todos os sistemas. Os órgãos e todas as funções corporais podem ser re-activados a partir das células estaminais, para re-estabelecer o funcionamento original e harmonioso.

No workshop vamos à procura das células estaminais. Para curar o karma familiar e de vidas passadas, vamos elaborar um Healing Code (Código de Cura) pessoal e individual, adaptado às necessidades de cada participante. A auto-cura que resulta da aplicação do código, libertará os sistemas de karma transferido pela família... o que terá efeito sobre todos que dentro da família enfrentam a mesma problemática.

Workshop: Ascensão
Facilitadoras: Lucia Hulman e Rietske van Raay
Data: 8 de Dezembro de 2012 das 14.30h às 18.30h
25€ (reais dificuldades financeiras não são impedimento para a participação, fala connosco)
local: Associação Oficina da Comunicação
Largo Dr. Mário Chicó, 7
Évora

inscrições: contactar o cavalo-de-vento

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Lua Cheia em Gémeos, Sol em Sagitário : Cerimónia de Fogo

No prelúdio para o Solstício do Inverno, o dia 28 de Novembro vai nos trazer um eclipse da Lua Cheia.

Qualquer tipo de eclipse é um transito de grande impacto e poder de influência. Em função da carta astrológica de cada um, há uma influência directa que nos impulsiona para avançar porque ela alimenta a consciência que a nossa sobrevivência depende da nossa capacidade de crescer. Mesmo quando não sentimos o efeito directamente, a essência da energia do eclipse atravessa as nossas acções e os pensamentos.
A Lua Cheia do mês de Novembro, com o Sol em Sagitário, aparece em Gémeos, e a sua mensagem é cristalina: Nas sombras dos nossos segredos encontra-se a resposta que precisamos para ultrapassar os tempos bons e maus que temos à nossa frente.
Nas sombras dos nossos segredos, estão os nossos preconceitos, medos, mágoas e dúvidas - as facetas que nos impedem de avançar com coragem para o desconhecido, à procura da Luz e as respostas ao fim do túnel da vida.

O signo de Sagitário, o cavalo/arqueiro, traz à Humanidade a energia e a força que apoia a evolução da nossa Alma, no sentido que possibilita o direccionamento dos nossos pensamentos, desejos e ambições para um objectivo fundamental: a União com o Universo.
Um período de paixão e idealismo!
Nestes tempos que correm  há consciência que aproximamos o fim de um ciclo. Aproximamos o fim de uma Era, e o momento de viragem coincidirá com os dias mais curtos do ano.
É a época em que a natureza por seu lado, lembra que pertencemos à Terra - a fonte que nos alimenta e que mantém a vida, renovando e revitalizando ciclicamente a energia que percorre tudo que É. Cada vez mais profunda fica também a realização da necessidade de manter pura essa fonte que nos alimenta e sustenta!
O mesmo é o caso  com os nossos pensamentos, ideias, comportamentos, que formam a base da nossa experiência da Vida. É de grande importância procurar e manter a nossa integridade, a nossa essência, e asegurar que os nossos medos, mágoas e dúvidas não escurecem a Fonte em nós.
Quando sentimos paixão para uma causa, existe a disponibilidade de mudar o comportamento para poder atingir o objectivo. A força que nos assiste é a vontade de pôr de lado as falhas e as desilusões.
A Lua em Gémeos pede para exprimir e exteriorizar o que está escondido nas sombras. O eclipse da Lua Cheia abre uma janela para ver a resposta nas sombras dos nossos segredos. A resposta é olhar de frente os nossos medos, as nossas mágoas, as nossas dúvidas - e a solução aparecerá.
Gémeos pede para resolver a dualidade e a luta interior - entre quem somos e quem aparecemos ser; entre a mulher interior e o homem interior; entre o desejo e o medo de nos unir com os outros.

Durante o período da Lua Cheia, o nosso ser está mais aberto para receber informação dos nossos guias espirituais. É um tempo emocional: facilmente surgem as feridas que necessitam cura, como também pode surgir com clareza o caminho para seguir, quais as emoções que pedem para ser exprimidas, quais as tensões que precisam ser libertas.

Por todas as razões acima, propomos para a Cerimónia da Lua Cheia, uma cerimónia de fogo.
Na cerimónia será dedicado um momento específico para a transformação dos segredos que repousam nas nossas sombras. Convido a quem quiser participar, para escrever num papel os aspectos que está decidido de se libertar, e dos quais está pronto a desapegar.
As intenções podem incluir questões físicas, feridas emocionais, medos, dúvidas, assuntos não-perdoados, culpas, auto-julgamento... 
O Fogo transformará e libertará para o Universo a intenção e iluminará o caminho para a solução.

Celebração e Meditação da Lua Cheia
Local: Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Data: 28 de Novembro (quarta-feira)
Início: 18.00h.
Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequado para exprimir a gratidão. Participação na cerimónia por donativo.



quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Caminhando para o início de uma Nova Era


Para o fim do ano de 2012 há várias actividades planeadas. Todas elas são desenhadas para serem uma preparação para a mudança energética ao nível cósmico, que está a desenrolar, e que terá o seu ponto alto no Solstício do Inverno, no dia 21 de Dezembro.
 
Há muito que se fala sobre o fim do calendário Maia, e estamos agora mesmo à porta da data indicada. As profecias acerca do fim de uma era e do início de uma outra, parecem referir não propriamente ao fim do mundo, mas antes a uma mudança na maneira que o Homem se relaciona com o Universo. O entendimento que todos somos UM, será mais clara, e a União poderá ser vivida por todos. (ver também)

A nossa consciência de quem somos, mudará. Aprendemos no passado identificar-nos com a nossa personalidade e ego, separados dos outros e individualizados. A identificação era com um “eu” contra os “outros”.O que é anunciado, é que teremos acesso a uma outra dimensão, em que podemos sentir o outro como sendo parte de nós…

A adaptação ao novo paradigma vai requerer flexibilidade, e disponibilidade de deixar para trás os pensamentos e comportamentos padronizados. A aprendizagem até agora baseou-se na experiência dolorosa: era a partir do sofrimento passado que decidimos o comportamento e fizemos as nossas escolhas.

O novo paradigma vai pedir-nos estar presente, no aqui e agora: ter atenção plena para o que É neste preciso momento, para poder fazer as escolhas que beneficiam o conjunto de que fazemos parte – e não só o nosso ego. Por termos consciência que somos em conjunto o Universo, vamos sentir que tudo o que não faz bem ao conjunto, prejudica a nós também.

Os que fazem com dedicação e compassivamente o seu caminho espiritual pessoal, estão sem dúvida habituados a libertar a energia do passado. Chegou o período em que podemos passar para outro patamar ainda: com a força de criação de que dispomos através da nossa mente, podemos criar uma outra realidade para nos mesmos. Podemos curar no aqui e agora o que há de mais profundo no comportamento condicionado: a memória das células e o karma familiar.

As actividades de Novembro e Dezembro oferecem espaço e acompanhamento para preparar a mente e o corpo para a ascensão. Visa-se de integrar todas as camadas do Ser dentro da forma material do corpo físico, limpo e livre de emoções destrutivas. Assim, podemos viver o acesso à outra dimensão inteiros, iguais à nós próprios, Unos com quem Somos e com o Universo.

O programa com a descrição dos workshops encontra-se na página 21-12-2012.


We are transcending the ego into soul

the mind merging with the heart
Thinking into feeling
to create the bridge to the spiritual world
We are unifying the dimensions
the polarities
We are dislodging the old paradigm that was laced in fear
and transcending the soul into divine love
for we are all connected inside this tangled web
inside the crystalline energy of the core mantle of Mother Earth
We are in the process of unification
with all dimensional planes of the ethereal realms
Inside the heart lies the key
We are all coming together
as
one
 
~Jeff Andrews
 

sábado, 27 de outubro de 2012

Lua Cheia em Touro: a questão da lealdade

No próximo dia 29 de Outubro é Lua Cheia. O Sol (representando a nossa parte consciente) está em Escorpião, signo de Água, enquanto diametralmente oposta se encontra a Lua (representando a parte do subconsciente) em Touro, signo de Terra.


Os dois signos estão em polos opostos no Zodíaco, mas os elementos água e terra são complementares e podem trabalhar em conjunto quando a pessoa em questão está disposto a cooperar também. Pode haver a impressão que as forças do Sol e da Lua estão a puxar cada um para o seu lado.
Touro é um signo de Terra, tendo como características associadas o sentido físico,o  toque, o tangível...Touro está com os pés na terra, é realista. Representa de certo modo a nossa ligação com o exterior, a nossa existência num mundo físico. Escorpião por seu lado tem o poder emocional profundo, trabalha sobre o instinto... representa o que há de mais escondido dentro de nós, as memórias de um passado bem profundo.
Na conjugação dos dois signos, podemos sentir questões de segurança, tanto acerca de segurança material e financeira como da auto-estima. Uma boa altura para reforçar a imagem que temos de nós, para sentir-nos confortáveis dentro do nosso corpo, ou para curar e restaurar a auto-estima.

A Lua Cheia em Touro pode revelar o nosso apego e teimosia, que podem ser tão grandes que se tornam uma ameaça para a saúde e o bem-estar. Ao mesmo tempo, Escorpião exerce pressão sobre os assuntos antigos, nos confins da nossa mente, para que se resolvem e libertem. É a força das grandes provações...o Tudo ou Nada, viver ou sucumbir - sem concessões ou compromissos, porque o que está no jogo é a evolução da Alma! O tempo de Escorpião é tempo de lembrar a morte e os mortes, e de concentrar nos valores espirituais.

E é aqui mesmo que encontramos a grande questão desta Lua Cheia:
Onde ou com quem está a nossa lealdade? E o que nos custa a nossa lealdade, em termos espirituais, mentais, emocionais ou físicos? Será que estamos apegados a alguém ou algo, mesmo sabendo que prejudica a nossa saúde? O que fazemos quando estamos ligados a uma amizade que desde há muito está numa onda que não é nossa, e que agora é um peso morto no nosso caminho? Ficamos leais? Somos leais ao apego à posse em vez de valores mais profundos? A lealdade é muito bonita, mas a lealdade mais importante ainda é ao Espírito.
A Lua em Touro traz algo de sensual... uma tentação para satisfazer desejos emocionais, com tudo que estimula os sentidos físicos. Ainda mais com o Sol em Escorpião, regente dos orgãos reprodutores. A Lua Cheia deste mês é chamada o "Hunter's Moon", o que pode ter um segundo sentido ;).

A Lua Cheia oferece assim uma oportunidade de reflectir sobre o processo de transição e de abrir mão do apego que temos ao corpo físico. Os assuntos escondidos serão iluminados, a altura é perfeita para voltar a sentir que vida faz sentido! A energia de Touro que flui em abundância na luz da Lua Cheia apoia o processo de enraizamento, e dá espaço para podermos sentir que é possível ultrapassar a sensação de estar preso. Dá  espaço e energia para libertar o apego ao que é tóxico e pouco saudável. Dá espaço para um alinhamento novo, agora com o Espírito, com o Divino.
A energia é sólida, concentrada e vai reforçar a intenção que manifestamos perante a Lua Cheia.

Celebração e Meditação da Lua Cheia
Local: Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Data: 28 de Outubro (Domingo)
Início: 17.30h.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequado para exprimir a gratidão. Participação na cerimónia por donativo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Co-criação: para um Mundo harmonioso

Todas as pessoas são iguais, pelo menos num aspecto. Todos procuramos escapar ao sofrimento e viver em felicidade.
Nas últimas décadas, ao fazer a entrada na Era de Aquário, começou a ficar claro o que as filosofias orientais já ensinam desde há muito: todos temos o direito de viver em felicidade,e para isso, fazer o nosso caminho individual.

 Ao mesmo tempo, tornou-se cada vez mais clara que tanto a solução para o sofrimento como o caminho para a felicidade, se encontram não só dentro de cada um como também naquilo que podemos viver em conjunto com o outro. 
A matéria, durante séculos elogiada como fonte de felicidade (porque podia libertar o Homem do sofrimento associado à luta pela sobrevivência física!) transformou-se ela própria numa fonte de sofrimento, de desigualdade e de escravatura. O estado actual, em que a crise financeira desencadeou uma crise social e política, sublinha a necessidade da procura de outras fontes de felicidade e outras vias de libertação.

A procura de uma saída do sofrimento é antigo. A via da compaixão foi anunciada por Mestres de muitas tradições. A parte da mensagem destes Mestres que aqui gostaria de realçar, é que é através do amor e bondade para com o outro, que conseguimos a nossa plena realização como Ser Humano. Dentro do nosso coração, podemos descobrir a nossa verdadeira natureza. Na nossa essência somos o Amor Divino, o Amor e Bondade. Somos o Buda em potência (ver também este post).
Tradicionalmente pensou-se que era preciso caminhar um caminho longo antes de termos acesso a quem realmente Somos. Felizes e tranquilos. Vivendo a plena realização, no Aqui e Agora.
Complicado? Não tanto quanto parece!

(Devo chamar aqui atenção para a importância de estarmos conscientes do que se passa com o nosso corpo emocional. O acesso a quem Somos passa pela disponibilidade que temos para mudarmos, para curar o nosso corpo emocional, para desapegar dos hábitos que nos colam ao corpo como se fosse uma segunda pele. E isso pode não ser tão fácil, principalmente quando ainda confundimos o Ego com o Eu.....(pode ver sobre o tema os posts sobre a cura do corpo emocional ou a limpeza do karma).

Na base dos ensinamentos, está a noção que tudo que existe, é uno. Disso há cada vez mais consciência, bem como prova científica. Tudo que existe é energia, e tudo está ligado entre si. Há uma interdependência entre a matéria, os seres, entre tudo que foi criado a partir de outra coisa. E há uma teia de ligações - kármicas, físicas, emocionais - entre os seres humanos.
Somos Seres Humanos. Entre as formas de vida sencientes, a forma humana é vista como a mais preciosa. Somos capazes de sentir, tanto o prazer como a dor. Além disso, temos consciência e capacidade de tomar decisões, de escolher entre a felicidade e o sofrimento. Assim, dispomos de ferramentas preciosas para poder evoluir, em termos espirituais. É uma dádiva sem igual, porque a capacidade de escolha, permite-nos criar o nosso mundo, bem como as condições em que vivemos.

Os místicos e mestres ensinam-nos que é a nossa mente iluda-nos e faz-nos crer que vivemos separados dos outros. Criou uma imagem em que existe um "eu" e, separados deste eu, "os outros". A mente perpetua a ilusão por receio, pelos medos que de facto foram criados pela própria ilusão de separação. Medos de ficar sozinho, de não ser reconhecido, de ser atacado ou sugado, medo de sofrimento.
No entanto, a sensação de pertença e o sentimento profundo de União estão ao nosso alcance, desde que estamos dispostos a ir além dos padrões habituais dos pensamentos e reacções emocionais. Desde que estamos dispostos a aceitar e viver a verdade que somos UM com toda a criação.

Para cada um de nós a União com o grande Conjunto é essencial ao nível espiritual e pessoal. Mas para a Terra é vital que passamos a viver em União: um mundo criado na base da experiência da União, é pacífico, sustentável, saudável, e conhece a prosperidade: é um mundo que funciona para Todos.

Assim, é de importância vital que fazemos da União uma realidade.
Quando começamos a criar esta realidade, a intenção colectiva dá uma força incrível. É criado um Egrégora, a partir da mente colectiva. (Tema aprofundado neste post)

Como funciona até é muito simples!

Imagine a qualidade e riqueza de sua vida. Imagine como é este mundo diferente, que podemos criar.
Imagine um mundo onde todos se sintam bem-vindos e queridos ...
Imagine um mundo onde todos sabem, no fundo de seus corações, que fazem parte ...
Imagine um mundo onde todos nós reconhecemos que somos parte de uma família global ...
 
Onde há respeito, responsabilidade, liberdade, reconhecimento ...
Onde cada um é visto e reconhecido tal como é, em toda a sua potencialidade humana ...

Parece um sonho, mas não é.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Lua Cheia em Carneiro, Sol em Balança. Indo com confiança, chegamos à Luz.

Este fim-de-semana a Lua Cheia tem algo de muito especial. A posição da Lua e do Sol encaixa exactamente na quadratura de Urano e Plutão (a quadratura de Urano e Plutão é uma influência importante no período de 2012 a 2015.  veja p.ex. este post). Na semana passada, no dia 19 de Setembro, foi a segunda de sete momentos em que os dois planetas se encontram em quadratura.

(fonte da imagem)
Urano, planeta da mudança.  Plutão, planeta da transformação. Estamos a passar um período de mudança profunda. Os astros oferecem um apoio forte, como se fosse uma contração no trabalho penoso para o nascimento. Nesta Lua Cheia, Carneiro dá o fogo e a força de vontade necessários para tomarmos decisões , para seguirmos em frente. E precisamos mesmo de seguir em frente. O Universo mostra que não há razões para ter medo das dificuldades e perturbações que estamos prestes a experimentar.
É imperativo ir em frente, com fé e confiança que chegaremos à Luz atravessando a Escuridão. Sem medo, olhando para todas as experiências como ocasiões que oferecem a possibilidade de descobrir e mostrar o potencial que durante tanto tempo pensamos que não possuímos. Talvez só nos faltou a visão necessária para poder reconhecer o nosso potencial!

Carneiro podemos ver como o signo do "Eu", o individuo - enquanto Balança representa o "Nós", as relações. Durante o período de influência desta Lua Cheia, pode haver confronto entre esses extremos e as vontades e interesses dois dois lados. Uma Lua que convide para sairmos da nossa zona de conforto, que se calhar até era ilusória.

No signo de Carneiro, as energias focam-se num só ponto, o que pode dar a sensação de nascimento, de um novo começo. É o primeiro signo do Zodiaco, signo do nascimento do Ser Humano como personalidade à procura do seu lugar. Por isso, surge uma sensação instintiva do Eu, e naturalmente surgem perguntas como: onde vou, onde estão as áreas em que posso mostrar o meu valor?
Ainda por cima, Urano practicamente está um conjugação com a Lua. Se focarmos agora a nossa atenção sobre o que estamos a criar, a obra que deixamos no Mundo, podemos ficar surpreendidos pelos resultados! A questão fulcral é: o que queremos que seja o nosso contributo para o mundo em que vivemos
No outro lado encontra-se o Sol em Balança. Ao conseguir o equilíbrio interior a nossa força é maior.
Balança dá o apoio que precisamos para equilibrar "a nossa forma e o nosso conteúdo" - o corpo e a alma, o Ego e o Eu Superior.
Nisso tudo, é bom lembrar que é fundamental fazer escolhas para chegar ao equilíbrio.
Ficamos presos ao medo? Continuamos a permitir que o nosso pensamento parte de receios, dor, falta, solidão, separação? Continuamos a deixar que julgamentos e preconceitos definem a nossa experiência do Outro? Continuamos a servir a Matéria?
Ou escolhemos o amor? Podemos basear o nosso pensamento nos princípios de paz, igualdade e compaixão. Perceber que todos procuram felicidade, e que mais facilmente chegamos ao andar de mão dada. Podemos escolher agora, viver para servir os valores da Alma.

Balança (Libra) às vezes é denominado o signo do julgamento. É neste período que é decidido quais as nossas opções e escolhas. Balança é também o signo que governa a Lei, decide entre o que é justo e o que  é injusto. É o fiel-da-balança entre positivo e negativo, masculino e feminino, Este e Oeste, é o intervalo entre Verão e Inverno, equilíbrio entre dia e noite (ver também).
É o signo de meio no Zodiaco!

Celebração e Meditação da Lua Cheia
Local: Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Data: 29 de Setembro (Sábado)
Início: 18.30h.
Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequado para exprimir a gratidão. Participação na cerimónia por donativo.


segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Todos os seres são Budas

As mudanças energéticas estão em curso. Um salto dimensional está a ser preparado. Um futuro anunciado, que sentimos que está a acontecer! Só de pensar em saltos dimensionais, a mente humana começa a querer saber como será. Haverá outra organização da sociedade? A natureza vai mudar o aspecto da Terra? O será uma mudança interna, a nossa maneira de olhar a Terra que mudará?
Nota-se em geral uma vontade crescente de deixar para trás um passado que nos levou a um estado de destruição maciça, não só da natureza, mas também em termos de relações humanas e entre nações.

A consciência que já passamos por um período de preparação está presente em muitos. Cada vez mais pessoas empenham-se nalguma forma de trabalho espiritual, de modo que se possam adaptar à mudança energética e dimensional que se avizinha.

Enquanto as crises nacionais e internacionais se agudizam - e conhecemos a elas sob muitas formas: financeiras, de confiança, da democracia, de identidade religiosa, ou de alimentação - a Verdade também se mostra cada vez mais nítida: Estamos aqui e agora, para mostrar, partilhar, sentir e experimentar quem SOMOS.

A nossa Vida é, em si, uma homenagem à Criação, e o caminho de cada um, uma manifestação da força primordial - as nossas Almas são como raios que partiram da Fonte da Luz que criou tudo que é.
Mas parece haver em nós uma barreira que à vezes parece intransponível. Parece que é difícil chegar à nossa essência, ao sentido da nossa vida. O que pode impedir o nosso conhecimento de quem Somos, é a nossa mente.
A nossa mente sabe como criar hábitos e padrões de pensamento e de comportamento. Como se fosse automatizada, ela liga acontecimentos a reacções emocionais. Ela cria cenários sobre acontecimentos que ainda não chegaram, onde já estão previstas as cadeias de comportamento padronizadas. Faz-nos duvidar se alguma vez podemos ser livres, se alguma vez podemos sentir dentro de nós a força de fazer com a nossa vida aquilo pelo que o nosso coração anseia.

Todos os seres são Budas. 
Mas isso está encoberto por impurezas adventícias. 
Uma vez purificadas, a sua Budeidade é revelada.
~Hevajra Tantra 


Padmasambhava (Nicholas Roerich 1927) Nicholas Roerich Museum
Agora estamos a viver um período em que nos é possível entender que há mais do que a nossa mente lógica possa entender, prever ou julgar.
O momento que vivemos e um convite para deixar para trás o julgamento sobre o passado e as expectativas acerca do futuro. Se fizemos bem ou mal, não interesse. Não sabemos como será o que ainda não aconteceu. O que é, é. Tudo o resto, tudo o que a mente projecta, é uma ilusão que já não é preciso alimentar. É Agora que podemos libertar-nos.

Podemos integrar a mente lógica na experiência do Aqui e Agora, deixando que ela faz o que melhor sabe: observar. A mente, com as suas múltiplas ligações e sensores, pode observar e o que recebe, sabe traduzir para a consciência humana. Assim, pode tornar acessível a sabedoria que está presente no fundo da nossa consciência alargada.

Estamos a preparar-nos para a mudança a que os Maias, nas suas profecias, chamaram: a União do Homem com o Universo.

A experiência da união (Oneness) eleva, ilumina, facilita, faz com que o sofrimento - tanto o mais profundo como o sofrimento do dia-a-dia - dissipa.
Uma vez que somos capaz de aceitar o momento, sem sentir a necessidade de viver noutro lugar, noutro momento, podemos começar a ver as possibilidades que existem aqui e agora.
Podemos começar a ver o outro, tal e qual como é, incluindo as suas qualidades e o seu sofrimento.

Teremos facilidade de adaptação, flexibilidade, sem medo que não haverá o suficiente ou que não somos aceites. 
Uma vez que aceitamos quem Somos, tal e qual como nos encontrámos no Aqui e Agora, podemos descobrir que tudo o que procuramos, já existe em nós...

"We already have what we need. The wisdom, the strength, the confidence, the awakened heart and mind are always accessible here and now. A process of uncovering our natural openness, uncovering our natural intelligence and warmth.

That’s why when we feel caught in darkness, suddenly the clouds can part. Out of nowhere we cheer up or relax or experience the vastness of our minds. No one else gives this to you."


~ Pema Chodron



terça-feira, 18 de setembro de 2012

Equinócio do Outono - Equilíbrio e Gratidão

Este Sábado, 22 de Setembro,é dia do Equinócio. O caminho da Terra à volta do Sol chegará ao ponto, em que o Sol estará alinhado com o Equador, a linha no meio entre os pólos da Terra. O hemisfério Norte recebe no dia do Equinócio a mesma quantidade de luz que o Sul; dia e noite têm a mesma duração.

© Jan L. Richardson "Autumn Equinox"
A partir do Equinócio do Outono, o Sol estará mais perto do pólo Sul da Terra. No hemisfério Norte, as noites aumentam e os dias ficam mais curtos. Tudo na vida se vira mais para dentro. Avançamos do Verão - altura de expansão, crescimento, acção, da energia masculina "Yang" - para o território de dentro. Viramos para "Yin" - a energia feminina, intuitiva, receptiva, criativa. A viagem para dentro vai culminar no Solstício do Inverno e chegar a fim no Equinócio da Primavera, quando a energia vira novamente, desta vez de dentro para fora...

O Equinócio de Outono é tradicionalmente uma festa de gratidão para o que a Terra ofereceu. As colheitas estão nos armazéns, as reservas para o Inverno estão a ser preparadas.

A altura convida para entrar no fluxo da gratidão! Como aprendemos com  Masaru Emoto, o sentimento de amor e gratidão é a energia com mais força de harmonização. (link)
O Equinócio é por excelência uma altura de procurar equilibrio, harmonia. Um momento para ser grato por todas as experiências do ano, tudo que recebemos...
Ma'at e Thoth
O Equinócio também é o dia em que o Sol entre no signo de Balança (Libra). Na simbologia, que tem a sua origem na mitologia romana, Libra é a balança de pratos, que é segurada na mão de Astraea, a deusa da justiça. Ela é igualmente a deusa do equilíbrio e da Verdade. No antigo Egipto, a deusa da balança é Ma'at. Ela é representada não só pela balança, mas também pelo signo =  e é a consorte de Thoth, deus do equilíbrio, árbitro no conflicto entre o bem e o mal, o deus que pesa a alma na passagem pela morte.

Muito significativamente, a entrada no signo de Balança coincida com o Equinócio, quando dia e noite estão em equilíbrio. É a altura indicada para reflectir sobre o passado e o futuro. Sem mudanças no nosso interior, o nosso passado será o nosso futuro.
Estamos no limiar entre o que foi e o que ainda não é,  olhando para trás para tudo que já conseguimos, e olhando para frente, para o que gostaríamos de conseguir. Durante a transição do Verão para o Outono, um forte fluxo energético de mudança assiste para poder pôr em movimento o nosso próprio futuro.A roda da vida continua a girar...

Para os Nativos Americanos, o Equinócio marca na roda da Medicina, a viragem para a direcção Oeste. Em breve o Inverno virá, uma época de escuridão, morte e preparação para a renovação. Na roda da Medicina, somos lembrados que pertencemos a esse grande conjunto, a Terra Mãe. Fazendo parte integrante deste conjunto, todas as nossas decisões tem um impacto nos outros, e nas gerações futuras. Estando no Oeste, é nos pedido que colhemos, não só para nós, mas para muitos e para os que hão-de nascer. Podemos olhar para a colheita das nossas experiências e aprendizagens. Podemos agora optar para juntar a nossa sabedoria, talentos e recursos e por tudo ao serviço da Terra, para deixar um sítio melhor do que encontrámos.
Virando para Oeste, podemos pausar um momento para agradecer os que vieram antes de nós, para agradecer a Terra - e tirar algum tempo para retribuir com as nossas intenções e acções o que já foi feito para nós.

Dia 21 de Setembro é o Dia Internacional da Paz. Fica aqui o convite para libertar um momento durante este dia para se dedicar à meditar ou oração, para a Paz neste mundo maravilhoso, Paz para as gerações vindouras, Paz em todas as nossas relações com os outros. Que a Paz possa prevalecer na Terra!




terça-feira, 11 de setembro de 2012

2012 e a União com o Universo. Pensamentos para o Equinócio do Outono

No início do ano passado, já havia muitas expectativas sobre o que podia acontecer no ano de 2012. (veja, por exemplo: Viver no Agora para preparar o futuro)
Entretanto, o Verão de 2012 quase acabou - estamos a preparar-nos para o Equinócio - e, pergunto-me, o que está a acontecer?
Pensamos muito sobre o significado das Profecias Maia, que falam do fim do medo, e da integração do Homem com o Universo. (As outras profecias falam de um aumento significativa do caos, da desintegração da sociedade que se baseia no materialismo, das alterações climáticas, da passagem da Terra pelo centro da Galáxia e da entrada numa nova realidade...)
Mas aqui gostaria de focar as alterações espirituais que estão a acontecer.

Como, de facto, toda a energia forma em si uma grande união, quando a energia na Terra se altera, nós sentimos alterações dentro de nós. (É, de resto, uma grande pergunta onde está a origem - se formamos uma união também nós podemos ser fonte de mudança que se propaga pela Terra...)
E a maior reviravolta a que estamos assistir, é uma renovada experiência dos dois elementos yin e yang em equilíbrio, em respeito mútuo. A experiência de Ser, com ambos os elementos em harmonia.
É claro que os últimos decénios deram protagonismo à energia masculina. Foi um período em que tivemos a oportunidade de experimentar a força, e pudemos lembrar o que esta energia faz. E sentimos ambos os extremos, ambos as faces da força masculina: como pode ser utilizada em benefício do grupo, para uma construção colectiva de um bem comum - mas também como pode resultar em abuso e negação do "outro".
Tempos houve em que o protagonismo era para a força feminina; também nestes tempos a nossa alma tive oportunidade de reconhecer as duas faces da força feminina. (ver também)

Em todos os tempos, as duas forças - yin e yang, feminino e masculino - estiveram presente em todos os seres, também nos seres humanos. O que faz os tempos que vivemos tão especial, é que estamos agora num ponto de viragem em que podemos fazer confluir o yin e o yang, para que funcionam em harmonia e amor mútuo.

O momento que vivemos, permite assistir a um acordar da energia feminina. Ela está a recuperar, a se curar
e equilibrar. Se lembramos que tudo traz em si a essência do seu oposto, é fácil reconhecer que também a energia masculina se encontra num processo de cura.O "masculino" está a abrir espaço para se equilibrar com o "feminino" e assim chegar igualmente à equilíbrio e à igualdade.
Aspectos femininos englobam por exemplo: intuição, introspecção, receptividade, sensibilidade, simplicidade. Alguns aspectos masculinos são a realização e concretização, autoridade, razão, materialização.
Todos temos ambos os correntes energéticos, por isso o processo de cura tem lugar tanto em corpos femininos como em corpos masculinos. No entanto, a maneira como o processo é vivido pode ser muito diferente. Os que tem uma prevalência de energia feminina, ou que se encontram em corpo feminino, podem experimentar um crescimento acentuado, como se está a subir um caminho na montanha, enquanto quem habita um corpo com energia masculina pode ter a sensação de "perda" seja de controlo ou de terreno.
Mas de facto, não se trata de ganhar ou perder importância. Trata-se de encontrar o equilíbrio entre yin e yang, sombra e luz, terra e céu, masculino e feminino. O que se ganha, neste equilíbrio, é plenitude. Os aspectos masculinos vão dar força aos aspectos femininos - e vice versa. Algo parecido com o símbolo yin-yang, em que as partes nascem um dentro do outro. A dualidade, em que os dois lados são opostos e contraditórios, vai dar lugar a uma polaridade, em que há união, colaboração, um abraçar dos dois lados. (um processo que foi já referido aqui, por exemplo neste post)

Há uma ligação directa com as profecias Maia. A mudança dimensional ("dimension shift") está a manifestar-se gradualmente em cada um de nós. É um processo de consciencialização a que também é referido como a vinda da Era do Aquário.
Ao conseguir, dentro de nós, chegar à integração dos opostos, podemos ultrapassar o medo. O que é diferente do que conhecemos, já não será uma ameaça. Saberemos que podemos chegar a uma colaboração em que tudo o que é diferente, terá o seu próprio lugar.

Abrirá uma porta para uma União interior... mas ao mesmo tempo, uma porta para uma União com o Universo. O que podemos descobrir quando curamos o desequilíbrio, é a dinâmica que nos faz "Seres Humanos". Aceitaremos que somos feitos de opostos. E vamos poder descobrir, ao atravessar a porta para a União, a força de criação resultante do encontro entre o Masculino e Feminino. Será uma força e um poder esplêndidos, só comparável com a força da criação da própria Fonte.
É uma realização forte, e uma consciencialização profunda quando percebemos que na nossa essência somos iguais à Fonte.

O fim do calendário Maia aproxima-se. Uma mudança de paradigma anuncia-se, todos os dias, através das nossas experiências. Muitos sentem a mudança a acontecer gradualmente. Todos somos os escolhidos para fazer a ascensão - o que será preciso é que cada um faz a escolha por si.

Escolhemos a união ou ficaremos agarrados ao medo?  Aceitamos o Tudo que É com toda a flexibilidade que o momento requer, ou ficamos apegados a julgamentos e padrões de pensamento antigos?

Teremos a coragem e a humildade necessárias para poder aceitar que SOMOS a Fonte da Criação?

Estamos a aproximar o momento do Equinócio, no dia 22 de Setembro. Equilíbrio entre dia e noite, de igual duração. Momento de experimentar o equilíbrio e aceitar que os opostos existem e fazem de nós quem somos. No dia 22 haverá uma meditação no Cromeleque dos Almendres, ao nascer do Sol (início da meditação: 07.00h).

"In the higher realm of true Suchness there is neither "self" nor "other": When direct identification is sought, we can only say, 'not two'. One in All, All in One - If only this is realized, no more worrying about your not being perfect!"
~ Seng-ts'an

Textos relacionados podem ser encontrados, por exemplo, em "Oneness" , "Cura" , "Criação" ou "Aqui e Agora".

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Lua Cheia de Agosto - Lua Azul, Lua da Cura


A segunda Lua Cheia do mês de Agosto, chamada Lua Azul (Blue Moon) acontece na sexta-feira, dia 31 às 15 de tarde. A Lua estará em Peixes, com o Sol no signo de Virgem.
 O símbolo para o signo de Virgem - a maneira como ela muitas vezes é retratada - é a mulher com uma espiga de trigo, um molho de cereais ou um ramo com fruta nos seus braços.
Ela simboliza uma parte da função a Mãe do Mundo, que alimenta a parte física e material da nossa existência... e que traz em si, de forma latente, o princípio masculino - conceito represtentado pela mãe imaculada do Cristo, a Luz do Mundo.  É neste signo que a Consciência Divina se desenvolve, protegida pelo ambiente escuro, protegido, caloroso e tranquilo da barriga da mãe. (ler mais). Virgem remete para a consciência clara que não existe verdade pura ou real que não traz em si o seu próprio oposto, bem como tudo o que está contido entre estes extremos. (veja p.ex. esta imagem da Virgem)
Na simbologia é bem visível a ênfase de Virgem na matéria, que nutre e dá forma. Virgem  é um signo da Terra, da Mãe que dá a Luz a nós, filhos de Deus. Ela dá-nos a forma física que precisamos para podermos exprimir-nos, tal e qual como Somos.

Na Lua Cheia do 31 de Agosto, a Lua estará em Peixes, mas também em conjugação com Chiron - planeta da cura. É provável que a Lua iluminará uma altura do nosso passado em que fomos magoados na nossa energia. Pode ser que lembramos, e pensamos: "ah, mas já estou mais do que curado desta ferida". Mesmo assim, os astros dizem que é agora a altura de considerar novamente as nossas feridas do passado.
Não são os traumas físicos ou emocionais ou psicológicos que sofremos, que nos tornam especiais, únicas ou diferentes. Todos os seres humanos têm uma história de dor e sofrimento própria. Na realidade, é através das mágoas que conectamos com todos os outros. Com a força desta Lua Cheia, que conjuga a sensação da União (Peixes) com a energia da cura (Chiron), podemos tomar consciência que tudo o que foi  doloroso, traumático ou vergonhoso para nós, na verdade foi uma dádiva, e nos levou mais perto de quem, na realidade, somos.

A conjunctura indica que é altura de uma cura espiritual, mental, psicológica, física...
A Lua encontra-se em Peixes - signo de água. A água flui e nutre a natureza... o seu ciclo liga tudo que é, na água que se bebe, o nosso sangue, a água dos rios, das chuvas, dos lagos, sempre retornando aos Oceanos. O Oceano de abundância e empatia.
Peixes, o último signo do Zodíaco, representa em cada Ser, a plenitude no sentimento de si. Lembramos o significado profundo de "cura": é quando nos tornamos inteiros, plenos, completos.
É o signo da União com o Tudo que É - o signo da poesia, da imaginação, da arte e da meditação. Neptuno, que rege Peixes, é a divindade da criatividade, da compaixão e da ligação à presença do Espírito.

Na próxima Lua Cheia é nos oferecido uma energia esplêndida para a cura através da nossa própria força mental e imaginação. Agradecendo todas as experiências passadas, e todos que encontrou até ao momento, por terem contribuido para a nossa consciência de quem Somos,  podemos ter AGORA a experiência da nossa cura. É um convite para assumir a responsabilidade, e sentir, através da União com tudo que É, que tudo está certo. Altura de lembrar, que não há caminho para a felicidade, nem para a saúde espiritual, nem para a União com o Grande Conjunto. É preciso lembrar que tudo isso já existe. O caminho é SER, aqui e agora, feliz e saudável, e experimentar a Plenitude e a União*.

A celebração /meditação da Lua Cheia terá lugar na
sexta feira, 31 de Agosto, a partir das 19.30h no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.
Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a sua gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!  


( * para uma oração de apoio para sentir que tudo o que podemos desejar, já existe em nós, pode ver este texto: "Oração Silenciosa")



segunda-feira, 30 de julho de 2012

Lua Cheia de Agosto: os Sons e as Pedras

A Lua Cheia de Agosto é já na próxima quinta-feira, dia 2. A meditação no Cromeleque vai começar às 20.45h, a hora em que nasce a Lua.
Como referi no post anterior (veja aqui) estamos num momento em que o Universo nos apoia na mudança, nomeadamente esta que diz respeito à motivação para as nossas acções e a realização do nosso objectivo da vida: vamos poder fazer a transição de motivos de interesse pessoal (auto-consciência) para os de servir o bem comum. A transição vai tornar possível que cada um tenha consciência das razões de ter vindo à Terra, e que vive em pleno o seu potencial. Em vez de procurar diferenciar-nos dos outros, a identificação com o outro será importante.
A Era do Aquário rege-se pelos conceitos da Liberdade, Igualdade e Fraternidade - a realização plena do Ser Humano precisa destas três condições. A Liberdade procuramos (e.o) através da auto-consciência e do auto-conhecimento. A Igualdade confere-nos também Liberdade, porque significa que não estamos sujeitos à autoridade do outro, nem precisamos de exercer autoridade sobre o outro para sentirmos bem connosco. A Fraternidade implica um apoio mútuo entre os seres humanos, baseado na liberdade individual e na igualdade - se o outro é igual a nós, podemos entender o seu sofrimento e apoiá-lo, sem medo de perder a individualidade quando damos, sem medo de ficar dependente quando recebemos.

Sessão de sons, Cromeleque dos Almendres, Agosto 2008
O tema da meditação da Lua Cheia será isso mesmo: Quais são os meus motivos? Identifico-me com qual aspecto - a individualidade e auto-consciência ou o meu contributo para o bem comum? Sou movido por razões do Ego ou consigo entender o significado do Servir o Bem Comum?
As Pedras Talhas do Cromeleque dos Almendres convidam a uma reflexão sobre a nossa ligação à Terra. Sentir o tempo que já passou e que há de passar, sentir a Natureza que é paciente, que espera por nós... As pedras falam da necessidade de encontrar a Natureza dentro de nós, a nossa verdadeira natureza...lembram que é altura de entender e responder.

Na noite de 2 de Agosto, a meditação será na forma de uma sessão de sons, com taças tibetanas, didgeridoo, e outros instrumentos acústicos.
Sessão de Sons da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
2 de Agosto de 2012, às 20.45h

É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo.

domingo, 29 de julho de 2012

A única saída é para dentro


No dia 2 de Agosto a Lua estará Cheia, aparecendo no signo de Aquário, enquanto o Sol se encontra em Leão. Um momento para reflectir onde estamos no nosso caminho - e para onde vamos. Os tempos são difíceis.. e os astros parecem indicar que a única saída é para dentro de nós.

Vivemos numa transição da Era de Peixes para a Era do Aquário – não só para a Terra, mas o inteiro sistema solar está a passar para uma nova posição no Zodíaco. O ciclo total tem uma duração de cerca de 26.000 anos. Sabemos que , ao decorrer um ano, a passagem cíclico pelos signos solares, oferece-nos a oportunidade de crescer como ser humano espiritual, dentro do mundo em que vivemos. Numa escala maior, isto é, para a humanidade como um todo, o mesmo acontece com o grande ciclo das Eras. Na Era do Aquário, o verdadeiro espírito do Aquário vai se revelar na humanidade. Mas antes haverá um ponto de viragem, um periódo de mudança.
Uma crise de consciência colectiva – que cada um de nós experimentará na sua própria vida, de acordo com o objectivo da sua vida, e de acordo com o nível da consciência do tempo que se vive.

E que nos encontramos num ponto de viragem, é mais do que óbvio. Basta ver as notícias diárias: as dificuldades na sociedade, devido à crise financeira, teimam em complicar-se cada vez mais. Cada vez que os governos europeus (e mundiais) asseguram ter encontrado uma solução, novas dificuldades surgem.
Podemos encontrar uma explicação nos planetas que se movem mais lentamente – a sua influência perdura mesmo após ter estado no ponto de maior efeito.
Nos tempos que vivemos, estamos num ciclo de quadraturas exactas entre Urano e Plutão, a primeira das quais ocorreu a 24 de Junho de 2012. No total serão 7 até 2015.

A tensão que esta quadratura provoca, parece ser uma que indica que grandes mudanças estão prestes a acontecer. Estamos a sentir um desejo de mudar e de seguir uma nova direcção (Urano) enquanto ao mesmo tempo encontramos os nossos bloqueios psicológicos (Plutão) que nos fazem sentir pequenos e incapazes.

Com estas influências, a Lua Cheia de 2 de Agosto diz nos que o escape indicado é a nossa intuição espiritual mais elevada. É nela que podemos confiar para navegar pelas mudanças, que serão inevitáveis, na direcção de uma solução com que podemos ser felizes. O Universo parece dizer, se queremos sair da situação de maneira satisfatória, temos que olhar para dentro, e encontrar as respostas que estão dentro do nosso Eu Superior Espiritual. O Universo ajuda-nos, apontando o caminho e favorecendo o entendimento, para que escolhemos o caminho certo para vermos a solução para os nossos problemas.

A simbologia dos corpos celestes é um apoio importante nisso. Para a posição de Aquario e Leão – os signos se se opõe na Lua Cheia de 2 de Agosto – Marc Edmund Jones descreve os seguintes símbolos (em “The Sabian Symbols in Astrology”) .

Aquario a 11º Homem a encarar a sua inspiração. É um símbolo de satisfação, devido às experiências transcendentais do Ser, e de uma realização nova que cada individuo vive numa intimidade consistente com as suas veracidades espirituais, de toda a espécie. Fica implícito que há uma necessidade de agir, continuamente, de traduzir todas as visões para aplicação práctica, na interesse do Eu. Ao aceitar a lei e ordem universal da vida, o Ser Humano sente que deve mostrar as suas próprias capacidades especiais e únicas, e re-encontrar a causa à qual dedicar as suas realizações. A palavra chave: Extase. Levado pelo positivo, esta posição de Aquário leve a um idealism entusiasta, e a um desejo sem descanso de servir o outro. No negativo, o momento leva a uma auto-obsessão completa.

Leão a 11º Crianças num baloiço num carvalho gigante. O símbolo indica satisfação obtida pela vivência normal do Ser. Também há indicação de uma nova realização da confiança que resulta da capacidade do Ser Humano de se sustentar ao nível físico e social. Implícito fica um refrescar do espírito, através do desenvolvimento contínuo das suas responsabilidades na maneira que se manifesta a si próprio. Ao aceitar a lei e ordem universal da vida, o Ser Humano consegue uma concepção cada vez melhor da sua realidade pessoal. A palavra-chave: Prazer. No positivo, é uma posição em que se encontra um deleito consistente em todas as fases possíveis da vida, bem como uma generosidade real a partir do eu. No negativo, surge a preguiça, aclamada como se fosse virtude.

Leão e Aquário são opostos nas suas características: Leão mostra individualidade e auto-consciência, enquanto Aquário exprime a consciência pura universal e de conjunto. Aquário põe os seus talentos e qualidades naturalmente ao serviço do bem comum.

Leão desenvolve, a partir da personalidade (o nosso ego) a força de poder estar nos seus próprios pés. Adquira autenticidade e capacidade de se gerir a si. Assim, consegue liderar, seja em grupos pequenos ou grandes, em empresas ou na política ou seja onde for.
Mas a ordem universal pede ao Ser Humano, ter consciência de quem É, para depois poder pôr a sua capacidade ao serviço do bem comum. De moldar a consciência individual para que se une com a consciência colectiva.

Integrar a força de Leão e a força do Aquário, é como unificar fogo e água. O fogo do Leão procura reinar, mas a água do Aquário, inevitavelmente, acaba por impor a necessidade de união com o grande conjunto...
Vendo os símbolos em conjunto, vemos que sublinham a necessidade de entender e reconhecer que estamos todos ligados, todos criados a partir da mesma força maior. Podemos confiar nesta força e recorrer à mesma para apoio e aconselhamento. Conhecimento é poder, mas o conhecimento ou sabedoria espiritual é ainda maior, porque permite que criamos o que desejamos, se seguirmos o seu aconselhamento e apoio.

Os símbolos guiam-nos de volta à nossa intuição superior, à nossa imaginação, e à comunicação interior com o nosso Eu Superior. A ênfase está na utilização destes dons oferecidos pelo Universo: devemos converte-los em realidade. Ao mergulhar no nosso interior, confiando o nosso eu Superior Espiritual, podemos chegar a um entendimento do nosso lugar no grande conjunto. A compreensão aprofunda-se enquanto soluções surgem e tornam-se mais claras.

Chegamos a um ponto em que se dá a criação de “momentum” – a força interior criada com entusiasmo, energia sem limites, e vontade de poder viver a vida tal como se deseja. Podemos lembrar disso, ao olhar para a Lua Cheia em Aquário. Ela dá a confiança que o caminho certo para encontrar as respostas, é para dentro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...