Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

domingo, 1 de julho de 2012

O conflicto emocional - Lua Cheia em Capricornio, Sol em Caranguejo


Quando o disco da Lua começa a ficar iluminado por inteiro, sabemos que é altura de reflectir sobre o papel na nossa evolução espiritual, do signo em que o Sol se encontra. O signo de Caranguejo representa a Intuição.
Para poder guiar-nos no caminho da nossa alma precisamos de encontrar um "modus operandi" para os componentes instinto, intelecto e intuição (aspectos respectivamente do corpo, da mente e do espírito). Por um lado, o instinto precisa de evoluir para intuição. Por outro lado, um uso justo e pleno do intelecto só é possível se há espaço para a intuição. A intuição ajuda a interpretar e alargar o intelecto, para que os objectivos possam ser atingidos. O instinto - e as emoções associados - é assim regelado para um segundo plano e deixa de ser dominante. 
O signo de Caranguejo é o quarto do Zodíaco, e é um signo de Água. Forma um par de oposição com Capricórnio, que em conjunto representam os opostos Matéria e Espírito - a Mãe de todas as formas e o Pai de Tudo que É.
Na oposição dos dois, encontramos uma chave para a Lei do Karma e a reincarnação (ver mais acerca desta interpretação no post Ser ou Não-Ser?)

A grande dificuldade de Caranguejo, e para as experiências que passamos enquanto neste signo, é a sensibilidade extraordinária. Tudo isso estará ao seu auge na Lua Cheia. A reacção às influencias externas, ou as oriundas de dentro, faz com que no signo de Caranguejo possam surgir facilmente conflictos com o ambiente em que vivemos. De certo modo, pode-se dizer que a alma reage às influências através de conflictos. A intenção é que o ser humano, através destas experiências, aprende a não se deixar conduzir pelos sentimentos, emoções e oscilações da personalidade (que se exprimem em iritação, tristeza, fúria). Em lugar disso, vem a superação e a transformação destas reacções emocionais em amor puro, que vem do espírito

Caranguejo representa a Mãe, Capricórnio representa o Pai. O momento é de conflicto, que mais parece um conflicto de poder.
Ainda por cima, esta Lua Cheia vem pouco tempo após a primeira quadratura entre Urano e Plutão (no dia 24 de Junho) - primeiro numa série de 7 até 2015. A tensão assim já estava alta, porque estamos a sentir um desejo de mudar e de seguir uma nova direcção (Urano) mas estamos a encontrar bloqueios psicológicos (Plutão) que nos fazem sentir pequenos e incapazes. A Lua Cheia puxará por estes sentimentos, e a focagem facilmente ficará nos bloqueios que impedem a mudança. Queremos a mudança, mas temos a impressão que estamos presos. Sentimos que estamos a ser limitados pelo exterior, pelas circunstâncias. Parte destes sentimentos podem até ser sentimentos de culpa, por saber que algumas limitações foram criados por nós.

(fonte da imagem)
A conjuntura é um convite para, em primeiro lugar, assumirmos a responsabilidade sobre a nossa vida e o nosso crescimento (Capricórnio!). Podemos ser pais para nós próprios, deixando que a luta e o conflicto se transformem em cooperação, permitindo que a nossa intuição surge para nutrir o nosso intelecto, e para que o nosso instinto se acalma. (Caranguejo).
Com o nosso intelecto podemos observar o que é que faz sentir-nos pequenos e incapaz de realizar a mudança.
Na escuridão da noite, à luz da Lua, podemos descobrir crenças antigas que nos roem por dentro: qual é a história que ainda contamos a nós próprios, e que nos mantém pequenos? Que padrão, que os nossos pais nos mostravam, copiamos, para sentir que estamos ainda limitados e presos? Até pode ser que já quebramos muitos padrões, usando o nosso ego para subirmos na vida, enquanto, muito lá por dentro, ainda acreditamos que precisamos de fazer tudo sozinho porque na realidade, ninguém está lá para nós. Sinais do tempo: mudança há de vir quando aceitamos que somos capaz, que o nosso caminho é de libertação.

A celebração /meditação da Lua Cheia terá lugar na
terça feira, 3 de Julho, às 20.30h no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.
Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!  



1 comentário:

  1. Oh cavalo de vento...e pelo vento trazes noticias da lua! Tenho uma filha caranguejo que foi mãe há 15 dias. Aprendi um pouco mais sobre ela neste texto. Obrigada por partilhar. Um dia ainda vou meditar contigo, cavalo de vento, em Almendres, por enquanto só em telapatia!!!...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...