Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Lua Cheia em Gemeos, Sol em Sagitário: ferramentas para alcançar o objectivo

No dia 17 de Dezembro, às 9h49 de manhã, vemos a Lua Cheia em Gémeos, enquanto o Sol está em Sagitário.
Sagitário é o signo que nos ajuda orientar a nossa atenção para novos objectivos espirituais, e no decorrer do período de Sagitário é revelado um objectivo específico que está ao nosso alcanço se nos orientamos para isso. É mais um objectivo no nosso caminho espiritual: logo que alcançamos, surgirá um novo objectivo! Esta busca contínua, que tanto caracteriza o Sagitário, podemos chamar aspiração.

Aspiração - ou a busca de uma expressão e comunicação mais elevada e mais pura da essência da vida  interior - é o objectivo da personalidade (ego) à procura de se unir com a Alma.
Se para alguns a aspiração é exercida na forma de ambição, para outros significa que seguem intuitivamente o seu ideal.

Para o Sagitário poder direccionar as setas, precisa que encontramos uma forma de equilíbrio : uma mão firme com um olhar estável e uma atitude calma. No mundo em que vivemos, muitas pessoas sentem que há uma evolução ao nível intuitivo que favorece o direccionar da nossa energia para um objectivo mais elevado. Cada vez mais encontramos oportunidades e apoios para poder transformar a ambição emocional e egoica, em aspiração espiritual e presença intuitiva. Felizmente, há muitas formas de meditação disponíveis para pessoas com as mais diversas especificidades ( de carácter, preferências culturais, disponibilidade em tempo, etc)
Meditação é um treino da atenção, para poder aprender o direccionar da atenção plena e concentração na vivência interior. Assim, a atenção aprende não só como descodificar os sinais da Alma, como também confiar nestes e seguir e honrar os mesmos.

Com esta aprendizagem, a personalidade (ego) aprende aceitar a visão da Alma, que mostra a direcção a tomar na vida. Aprendemos aceitar a Alma como guia, que dá orientação e direcção. A partir desta aceitação, é desperto na personalidade a vontade consciente de uma união com o Grande Plano.
Eventualmente, o objectivo da Alma é poder exprimir o Amor e Sabedoria. A conjugação entre estes dois aspectos é sempre altruista e desinteressada, em dedicação total ao Bem Comum. O Sol em Sagitário é um apoio quando tomamos consciência disso!

Entretanto, a Lua está em Gémeos - flexível e com capacidade de adaptação. Isto pode ser um handicap quando precisamos ser decididos e firmes. Nos tempos que correm, em que há tanta mudança interior, há tambén um entendimento crescente que precisamos de nos orientar para novos rumos. A capacidade de nos adaptar aos ventos que mudam, pode ser flexibilidade a mais, quando a utilizamos para evitar o confronto com os nossos hábitos antigos. As maneiras de ser que aprendemos dos nossos pais, ou que desenvolvemos em tempos difíceis passados, precisam de ser revistas quando surgem novos objectivos. É preciso dedicação e firmeza para poder mudar sem fugir do essencial!

O senso comum é importante. Como lidamos com os nossos próximos? O que queremos alcançar com aquilo que exprimimos? Somos honestos nas aspirações ou temos antes ambições? Tentamos manter a paz, fazendo um zigue-zague e pretendendo silêncio interior? Ou somos capazes de estabelecer um objectivo para a nossa evolução e dedicar-nos para o alcançar?
A Lua Cheia de 17 de Dezembro pede para consideramos o que fomos no passado, aceitar sem complexos e com lucidez o que estamos a fazer. Para poder mudar o rumo, é preciso levar para uma consciência plena quem somos agora. Sem julgamentos, sem complexos, mas sim, com gentileza e bondade. Só assim, podemos ver a força que realmente temos.
É altura de recomeçar. Estamos quase a iniciar o ano de 2014 e é tempo de estabelecer objectivos.
Penso que merecemos finalmente a liberdade emocional. Faço votos que podemos todos saborear a liberdade que tanto desejamos!

Celebração da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Terça-feira, 17 de Dezembro de 2013 às 17.30h
 
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo. 




 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Lua Nova em Sagitário: a mensagem da Liberdade

A Lua Nova que ocorre na noite de 2 para 3 de Dezembro, com o Sol e a Lua em Sagitário.
Sagitário é um signo mutável, neste caso de fogo. O Fogo Mutável convida-nos a partilhar a nossa Luz interior com todos que encontramos na nossa viagem. Não é preciso ser do signo Sagitário, todos temos algo do Fogo Mutável na nossa consciência, por isso todos podemos partilhar a nossa Luz. Como neste Universo estamos em conexão com todos os seres, também haverá alguém a partilhar a sua Luz connosco! 

Se é esta a mensagem de Sagitário, que estamos a espalhar a nossa Luz - que iguala a nossa consciência - 
ao mesmo tempo que estamos a receber a Luz de outros, torna-se importante perceber o que é que estamos a espalhar. A sua consciência, pensamentos e perspectiva, vão contribuir para dar forma à consciência, à perspectiva e aos pensamentos dos outros, sempre quando houver uma troca de informação.
Assim, vale a pena pensar no que está a emitir... e tomar consciência das palavras, dos gestos, dos pensamentos, porque é também daí que a realidade em que vive, é criada.

No ciclo anual da passagem pelo Zodíaco, vamos recebendo estímulos para desenvolver diferentes partes da nossa existência. De Carneiro até Peixes, passamos por um ciclo semelhante à Vida. Quando chegamos neste ciclo ao signo de Sagitário, o cavalo/arqueiro, recebemos a energia e a força que apoia a evolução da nossa Alma, no sentido que possibilita o direccionamento dos nossos pensamentos, desejos e ambições para um objectivo fundamental. Se olharmos para o símbolo do signo, vemos que é um Ser que aponta para um alvo longínquo e alto: a União com o Universo. Objectivo que, no final do ciclo, se vislumbra no signo de Peixes, que traz a energia cósmica do fim antes de poder re-inicar.

O Fogo livre e idealista de Sagítario,  traz até nós a experiência da Liberdade. Infelizmente, neste mundo de realidade física, foi criada a ilusão que estamos presos e limitados ao nosso corpo, o que pode dificultar a experiência e até travar a compreensão plena da Liberdade. Felizmente, podemos reconnectar com a energia do Fogo, que permite a nossa ligação com o Espírito, o que permite voltarmos a ter um sentimento mais profundo da nossa razão de Ser. O Fogo também pode alimentar a nossa energia enquanto enfrentamos os obstáculos que ainda possam impedir a experiência da liberdade pela Alma.

A Lua Nova em Sagitário é um convite para deixar o Fogo entrar na nossa vida. Precisamos do Fogo para connectar ao Espírito e à nossa razão de Ser. Precisamos de ter contacto com a nossa razão de Ser, senão a Alma pode ter dificuldade de se mostrar. É preciso visão - através da qual a Alma se exprime - para gerarmos uma intenção para os nossos actos. E é a partir da intenção, que podemos assumir a nossa vocação de Criadores.

Desejo a todos uma boa Lua Nova. Que as nossas intenções possam plantar a semente para uma Terra em que os seres vivem em Liberdade.

Fogo e Água - preparação para o Solstício e o Natal

Os ciclos da Natureza levaram-nos para dentro Outono, cada vez mais próxima do Inverno que começará no dia 21 de Dezembro. Novembro tem sido um mês excepcionalmente frio. Não sabemos que isto tem a ver com o facto que a actividade solar registada é inusitadamente baixa; não sabemos se tem a ver com o processo (em curso) da inversão dos pólos magnéticos do Sol. Acrescenta-se a passagem de um cometa de gelo perto do Sol e a entrada em Sagitário, signo de fogo, e temos o tema do mês de Dezembro -  o Fogo e a Água.


A natureza, os planetas e as estrelas oferecem um espelho magnífico sobre o período de grandes mudanças em que nos encontramos, bem como sobre as possibilidades que as mudanças oferecem para a nossa evolução ao nível pessoal.

No passado dia 28 de Novembro (5a feira) um grande cometa feito de gelo, de nome Ison, passou junto ao Sol. O movimento fez com que a energia do Fogo (Sol) e do frio (o cometa gelado) se encontraram dentro de um só circulo energético. Tiveram a sua influência mútua, o cometa seguiu caminho, o gelo derreteu e o que restou foi o núcleo ...

O movimento do cometa de gelo influenciou também o Sol e a sua força. Alguns podem ter sentido o efeito no chakra do plexo solar, ou na gestão dos líquidos no corpo.
As emoções escondidas (simbolizadas pelo gelo) entraram em movimento e derreteram na Luz do Fogo. A energia do núcleo, da Luz da Alma, foi tocada, mas também aquilo que estava "esquecido" no escuro.
Tudo isso foi e ainda é notável, por dentro e à nossa volta. Principalmente na quarta-feira, a energia parecia fazer que todos tinham perdido o sentido de orientação. Às vezes, na procura da direcção certa, os ânimos exaltaram, deixando confusão e caos.
Durante o dia de quinta-feira a confusão emocional reinou, muitas vezes na forma de tristeza e desespero, que por sua vez reflectiam para os mais próximos...

No momento que o cometa Ison passou pelo Sol, cerca de 18.30h, a energia a volta da Terra mostrou o silêncio característico de uma reviravolta, parecia que tudo parou um momento antes de começar a girar novamente! Isto tudo acontece no meio de uma mudança dos polos magnéticos do Sol. O hemisfério Norte do Sol já mudou de polaridade, o Sul está a caminho da mudança. Significa isso, que a Luz e energia do Sol que vem para a Terra e para todos nós, está mudado. Nas proximas semanas vamos sentir como: o campo electromagnético do Sol vai se estabelecer na nova configuração.

E podemos sentir já o efeito: A Luz é mais forte; aquilo que estava escondido em cantos e fendas, torna-se visível, pedindo para ser transformado na Luz  interior, para que o brilho da nossa Alma mais pura volta e para que podemos voltar à nossa essência.

"path of the wayfarer" by Rassouli
O encontro da energia da Água e do Fogo vai pedir a nossa atenção ainda durante algumas semanas - para apoiar-nos em mais uma vaga de arrumação interior. O período até ao Solstício é sempre um período de virar para dentro. Os dias se seguem, cada vez mais curtas; sentimos o frio, e há a noção que haverá ainda mais escuridão até renascer a Luz. É um período que pode ser aproveitado para transmutar aquilo que nos impede de nos erguer na Luz própria; libertar o passado e caminhar o nosso caminho aqui na Terra.
Também é uma época de partilha, de (re-)encontro. Ao aceitarmos quem somos, em Amor e Bondade, compassivamente, seremos um espelho para cada um que encontramos. Através deste espelho, todas as transformações que operamos em nós, terão o seu efeito no outro. “O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está em baixo é como o que está em cima. O que está fora é como está por dentro."

Criamos a nossa realidade, também através das nossas transformações interiores.

No Solstício o Sol pára para depois iniciar o seu curso para o Norte novamente. É o momento em que lembramos e renascer da Luz, festa que no mundo cristão é celebrado no Natal. Realmente uma festa de re-nascimento! Para quem procura preparar-se para a festa, oferecemos um momento de interiorização e consciência, através de um workshop meditativo.

No workshop propomos um trabalho ao nível celular. Podemos encontrar bloqueios ou conflitos de fundo, na memória das células. Também esta memória pode ser oferecida à Luz Divina que trazemos para a Terra! Em primeiro lugar para que possa ser visto, amado, agradecido por tudo que aprendemos e por tudo que a sua presença em nós, trouxe de aumento de consciência e auto-conhecimento. Em seguido, para que possa derreter e fluir como se fosse água, para fora dos nossos sistemas. Se nos o permitimos, o nosso Ser pode libertar o que guardou!
O processo é completado, quando levamos a nossa consciência e atenção para os lugares no corpo e para os hábitos mentais onde teve lugar a limpeza e transformação. Acendemos aqui novamente a LUZ da nossa Alma...para que o nosso calor humano possa fluir em abundância, para o bem de todos.

O workshop é orientado por Lucia Hulman e Rietske van Raay. Acompanhamos a parte meditativa com os sons acústicos dos instrumentos ancestrais.

Data: 19 de Dezembro das 19h às 20.30h
Local: Associação Oficinas da Comunicação
Largo Dr. Mário Chicó, 7 - Évora
Valor da troca: 12,50


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Lua Cheia em Carneiro com Sol em Balança: Sentir Tudo - e aceitar que tudo é, como é

O fluxo de energia cósmica é constante, e todos recebemos continuamente a "nova energia" - a Luz da Criação que nos apoia na nossa entrada na nova Era.
No processo de integração desta mesma energia, ganhamos gradualmente consciência do nosso ser, da nossa presença, de quem realmente somos. E somos inevitavelmente confrontados com uma escolha: vou sair da minha zona de conforto, aceito investigar novos conceitos, permito-me sentir e observar o que os novos conceitos fazem com os meus sistemas e sentimento, aceito mudança? Ou continuo agarrar-me a padrões de pensamento que me são conhecidos, mas que limitam e espartilham, que são fontes e consequências de conflicto e disharmonia?
É preciso uma confiança incondicional a fim de permitir que a sabedoria interior seja o guia neste processo que às vezes é tão difícil. Também é preciso que nos livramos interiormente, de qualquer forma de limitação ou preconceito.
És capaz de te permitir ver, ouvir, experimentar e sentir livremente, tudo que surge - deixando tudo de modo como é? És capaz de observar, sem julgamento, sem necessidade de intervir ou alterar? És capaz de aceitar que tudo que é como é? Em tudo? Então, esta atitude pode levar-te exactamente onde gostarias de estar.

Nestes momentos é bom lembrar que a Terra tem acesso, às qualidades equilibrantes e harmonizadores da energia que nos chega a partir do signo de Balança através do Sol. O fluxo de Balança permite que as coisas que se desequilibraram no mundo, na nossa vida pessoal e na sociedade, sejam influenciadas.

Balança traz a possibilidade de harmonizar a vida espiritual com a vida mundana, pela Lei universal: Harmonia através do conflicto. Apesar das dificuldades e das experiências dolorosas, a vitoria da harmonia é certa, quando surge "o caminho do meio"...

Balança convida a abraçar a mudança, de abrir mão de posições rígidas e extremas. Seja a mudança na tua vida! Enquanto mudar pode ser uma experiência difícil, será mais fácil para quem tomar a iniciativa de mudar, e faz o que é sentido como certo no coração.

O eclipse lunar em Carneiro pede um equilíbrio entre as energias femininas e masculinas na nossa vida. Masculino não é melhor que feminino; feminino não é melhor que masculino - precisamos um equilíbrio e uma fusão entre as duas partes para tornar-nos inteiros. Carneiro é o individualismo, mas o conjunto tem igual importância, e Balança convida à criação de uma harmonia entre as necessidades individuais e as necessidades da sociedade como um todo. O nosso desejo é que todos, cada um individualmente, sejam felizes e saudáveis. Para a criação de um mundo em que isso é possível, o equilibrio interior de cada um é importante. Os nossos pensamentos, palavras e acções são a força que cria o novo mundo.

A energia de Carneiro permite que a expressão livre de cada um sai reforçada. É um momento de erguer-nos de novo no fogo de Carneiro, livres, purificados, centrados e equilibrados no coração.

Tenham uma Feliz Lua Cheia ;)

Celebração da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Sábado, 19 de Outubro de 2013 às 19h
 
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo. 






segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Eclipse da Lua Cheia em Aries - Sol em Libra: a Águia e o Pombo

Na próxima Lua Cheia vamos poder assistir a um eclipse penumbral. Será visível aqui em Portugal na primeira hora do dia 19 de Outubro, tendo o seu impacto máximo às 00h.50m.

O efeito do eclipse pode ser notado já alguns dias antes deste momento, e perdura para mais uns dias depois. Assim , vamos poder usufruir da energia do Eclipse da Lua Cheia aquando da celebração no Cromeleque dos Almendres, em Guadalupe, Évora, no sábado dia 19 de Outubro.

Os movimentos sociais e políticos que testemunhamos ao nível nacional e mundial, parecem pôr em lados opostos os interesses dos que têm o dinheiro e os que, para a sua sobrevivência, estão dependentes do seu trabalho ou da solidariedade do seu país. Os campos opostos parecem cada vez mais afastados na sua visão sobre o futuro, e em ambos os lados o medo aumenta - bem como a frustração e a amargura. Num nível mais esotérico e energético, esta evolução parece ser uma resposta directa (embora inconsciente) à evolução da consciência que está a ter lugar.
Num nível profundo, todos sentimos mudanças significativas na energia da consciência colectiva - uma mudança que pode provocar fúria, negação, e medo primordial. Há muita Luz que vem para a Terra, e este fluxo continua a iluminar e expôr aquilo que está estagnado e o que está em decadência. Para muitos a clareza que esta exposição traz, é inaceitável: há bastante resistência à mudança. E para os que resistam, parece haver a necessidade de manter o controlo, o domínio, o poder.

O eclipse penumbral da Lua Cheia terá lugar com o Sol a 26º em Libra. O símbolo Sabian para esta posição é:
"uma águia e uma pomba a transformar uma na outra."  A palavra chave: A interacção da Vontade espiritual e o princípio do Amor, quando necessidades críticas surgem.
O astrologo Dane Rudyar anotou ainda: "A Consciência opera além da dualidade, porque as energias polarizadas da Alma (ou Espírito), Vontade e Amor, embora distintos, trabalham para o mesmo objectivo."

A Lua estará a 26º em Aries, com a seguinte imagem associada: " um homem, possuidor de mais dotes do que pode segurar". Segundo Rudyar, representa a obsessão pela potencialidade.
(mais sobre Dane Rudyar)
Os simbolos alertam contra uma tentativa precipitada para manter a paz o a união. O objectivo e a intenção podem ser nobres, mas inclinações ou obsessões pessoais para "ter tudo", podem mandar abaixo as tentativas.
É uma alerta para manter-nos atentos, não reagindo directamente à base das emoções. Estamos empenhados na senda espiritual, numa era de grandees mudanças. Olhamos para Águia e Pomba, e mantemos a nossa energia centrada no Coração. Procuraremos manter na consciência a afirmação: Sou dedicado a manter o bem-estar de todos, o  dos outros bem como o meu.

Celebração da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Sábado, 19 de Outubro de 2013 às 19h
 
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo. 




domingo, 13 de outubro de 2013

Orientar a mente para a criação

Escrevi sobre a dor e a escolha que temos, de sofrer ou não sofrer desta dor. (link) Escrevi, porque encontro pessoas que conseguem dar a volta à sua situação, e outros, que não parecem conseguir. Ao ver a diferença entre umas e outras, salta à vista que os primeiros conseguem algures no seu processo, mudar o seu ponto de vista e atitude mental, em relação à situação com que lidam. 

São pessoas que mudam a sua visão sobre o que lhes acontece - doentes que deixam de "sofrer de uma doença" para pessoas que "lidam com a doença". Pessoas que, em vez de tentar encontrar uma maneira de desfazer os problemas que a vida oferece, começam a trabalhar com o que têm, incluindo a situação problemática. Deste modo, deixam de ser vítimas e podem começar a criar uma nova realidade.

(fonte da imagem)

A chave para poder aceder a esta mudança, está na maneira como usamos os nossos pensamentos. Se formos capaz de formular os nossos pensamentos de modo criativo, isto é, orientado para a criação de uma situação nova, a mente começa a ver oportunidades em vez de problemas.
É uma aprendizagem que é útil para a maioria das situações problemáticas que encontramos na vida. Não só para lidar com os nossos assuntos emocionais ao nível pessoal, mas também quando enfrentamos circunstâncias de estagnação ou conflicto no trabalho, na família, no bairro, nas colectividades onde estamos activos... O pensamento criativo pode fazer com que saímos da sensação que são as circunstâncias que ditam o rumo da nossa vida, para passar a viver com um rumo próprio.

Como podemos orientar a mente para a criação?
Há duas fases no processo da re-orientação: Desconstruir e construir.
Desconstruir é fazer de um problema, um facto. É preciso antes de mais nada, saber qual é a matéria prima do nosso processo. Precisamos de ter uma noção clara e tão ampla quando possível, sobre a situação em que nos encontramos. Inventariar não só que problema temos, mas ver também como temos enfrentado a situação até ao momento. Quando falamos de problemas de saúde, de relacionamento ou emocionais, a inventariação inclui uma tomada de consciência da visão que temos sobre nós proprios. Somos capazes de ter compaixão connosco? Como estamos de receios, medos, ambições e ilusões? A nossa imagem de nós é algo que nasce no interior, ou é antes formada a partir das reacções dos outros?
Neste análise inclui-se também, verificar se estamos a olhar para o problema em si, ou se acrescentamos ao problema ainda a frustração que sentimos por as circunstâncias não serem como desejaríamos que fossem, como o nosso "ego" tinha "planeado" ou visto como "ideal".

Vale a pena lembrar, que é fundamental ser imparcial acerca da nossa situação. Sem julgamentos, sem preconceitos, sem classificações tipo "isso é mal, aquilo é bom" ou "este tem má energia, outro tem boa energia". Rotular os aspectos que compõem o status quo, iguala condicionar a criação de uma nova situação. É altura de aceitar a situação, não como problema, mas como um facto. As coisas são o que são. A realidade tal como nós a experimentamos, pode ser observado como "matéria prima para a criação." Em vez de pensar na realidade como algo que impede  a construção de uma vida harmoniosa, saudável e equilibrada, podemos encarar as circunstâncias da situação como os blocos de construção de uma nova realidade. De facto, passa-se a transformar a energia do problema para algo novo.
Este é o primeiro passo, a desconstrução. Tiras tudo-o-que-gostaria-que-houvesse-mas-não-há, e ficas com tudo-o-que-há.

 Depois, segue-se a fase da construção: a transformação de factos existentes até surgir uma nova oportunidade. Começas com um facto, e avalias o que pode ser feito a partir disso. Um processo sem magias, sem segredos.
Há várias estratégias possíveis para a criação de uma nova realidade. São técnicas que possam levar a mente a sentir que afinal, é capaz de lidar com a realidade!
Talvez podemos indentificar as estratégias principais pelo seu ingrediente principal : Amor, Trabalho, Confronto e Jogo.

Na estratégia em que o Amor é o ingrediente principal, confiamos no que há de bom em cada pessoa. Trabalhamos a aceitação, a reconciliação e a paciência. Olhamos para os aspectos positivos da situação e a esperança que há sempre a possibilidade que as circunstâncias possam evoluir para melhor. Às vezes esperar é a atitude mais indicado, porque a realidade pode ser tão complexo que não há nada mais para fazer. Outras vezes, é preciso aceitar, com compaixão e paciência. Mas também pode haver algo de bom na situação, um aspecto ou elemento que pode ser reforçado para que possa sobressair e alterar a situação. E também podemos recorrer ao respeito pelo outro como factor de mudança. Quando envolvidos em situações de conflito, pessoas estão à espera de tudo, menos de serem levadas muito à sério e receber respeito e compreensão acerca da sua situação.

Na estratégia em que o Trabalho é o ingrediente principal, a persistência é o factor de mudança. A estratégia inclui os conceitos de experimentação, aprendizagem através dos erros, determinação e perseverança, bem como a focagem naquilo que se quer, em vez da focagem em tudo o que não se quer.


A estratégia que se desenvolve à volta de Confronto, muitas vezes é aplicada para situações em que a realidade nos é hostil. É incontornável que a injustiça existe, bem como a manipulação, a ganância e os ciúmes. É preciso lidar com esta realidade, e por vezes é necessário ser rigoroso. Cortar com tudo o que (já) não funciona é uma técnica difícil mas por vezes muito útil. Por outro lado, podemos observar o adversário e ver o que este quer o que nós também queremos e chegar a uma colaboração - ou recorrer aos ideais e desejos do outro a fim de criar uma oportunidade em que ambas as partes têm a ganhar.

A estratégia do Jogo pode ser interessante quando vemos que quem ganha, é sempre aquele quem defina as regras do jogo. É preciso ser criativo e inteligente e ter sentido de humor! Há várias maneiras de inverter as regras do jogo que não estão escritas, para reorganizar as peças que estão no tabuleiro. Como por exemplo: mostrar conscientemente coisas que normalmente ficam escondidas por razões estratégicas. Ou assumir o comportamento do outro, e reagir com um padrão que não é esperado.

Nos percursos de coaching é o que fazemos em conjunto: Desconstruir a situação que é experimentada como problemática; e a partir daí construir uma nova aproximação, um novo pensamento, um novo início. 



quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Lua da Colheita: Sol em Virgem Lua em Peixes

Na proxima quinta feira, dia 19 de setembro, o momento exacto da Lua Cheia será durante o dia, às 12.03h. Ela vai nascer às 19.30h, ainda 99,6% cheia!

 

Os ciclos da Lua Cheia, e a viagem anual dela através dos céus, passando por todos os signos do Zodiaco, lembra-nos da nossa viagem espiritual aqui na Terra. O ciclo anual representa o processo de evolução que passamos como seres humanos; os ciclos mensais levem-nos a pensar nos vários aspectos da nossa vida em que evoluimos, crescemos e nos realizamos como seres espirituais que somos.
Mesmo quando consideramos que, como seres humanos, somos seres biológicos efémeros, sabemos todos também que trazemos dentro de nós uma centelha divina que é intemporal e imortal.
Esta centelha, esta luzinha, é a nossa realidade espiritual escondida, que protegemos e alimentamos até ser o momento certo e a personalidade estar preparada, para se revelar no mundo.
Todas as formas físicas são portadoras de uma realidade espiritual, mas a forma humana é a melhor apetrechada para trazer à Luz do Mundo, a sua realidade. Temos acesso à consciência, e temos a capacidade de sentir e de saber o que sentimos. Temos capacidade de tornar tangível e visível aquilo que foi a finalidade de todo o processo de criação. O ser humano, revelando-se, revela ser um/a Filho/a  Divino/a.
Pessoalmente, sinto que é através da nossa expressão que a Fonte que Tudo Criou, se exprime. Todas as nossas transformações que nos levam a sentir mais Luz e mais Amor, são preparativos para esse fim.

(fonte da imagem)
Neste período, em que o Sol passa pelo signo de Virgem, a nossa personalidade desenvolve e tudo se torna mais clara e pura. Falamos e agimos com cuidado, há atenção honesta para connosco e com os outros, há tempo para meditação e investigamos com sentido crítico os valores mais profundos da nossa vida, para poder renovar as linhas filosóficas que seguimos. Virgem traz a energia feminina e os princípios associados: habita dentro de nós uma Alma de que cuidamos para dar à Luz. Somos a Mãe e o Filho ao mesmo tempo, somos quem carregue e protege a vida interior tão sensível e amável. (mais sobre o signo Virgem)

Os símbolos associados à posição da Lua e do Sol, dão um vislumbre sobre os aspectos importantes no ciclo actual. Nesta Lua Cheia, o Sol estará a 27º Virgem - e o símbolo Sabian associado é: um grupo de senhoras, nobres, que se encontram numa cerimónia na corte.
A nobreza tinha o poder de influenciar as mudanças, ou parar mudanças. A imagem em si parece referir que agora é importante focar a energia feminina através de rituais. Durante anos, temos experimentado como a força da meditação é capaz de influenciar a "realidade". Agora podemos usar o nosso lado feminino, o lado direito, intuitivo e sensível do cérebro , para imaginar o que gostariamos de co-criar com a Fonte. Encorporamos a nossa visão espiritual. Somos capazes de criar um mundo novo.

(fonte da imagem)
Com a Lua em Peixes, é altura de aceder à criatividade e imaginação que há em nós. Peixes dá acesso à dimensão invisível e cósmica da vida. Peixes está em contacto com o Oceano Primordial, os fluídos de onde tudo nasceu. Por isso, está tudo bem se porventura precisamos de chorar um pouco para poder limpar a ardósia onde está escrita a história da nossa vida.
É altura de ver o que fizemos com os nossos talentos. O símbolo Sabian para a Lua, que estará a 27º em Peixes, é: a Lua da Colheita ilumina um céu outonal aberto. O astrólogo Dane Rudhyar explica que o símbolo refere à luz da realização que abençoa o trabalho bem feito.
A nossa colheita nesta altura é a acumulação de todos os esforços que fazemos para criar uma vida mais profunda e plena, tanto para nós como para o mundo.



Meditação e Cerimónia da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
19 de Setembro de 2013, às 19.15h

 
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Trilhar o caminho espiritual - 2: a Vida como Viagem


Como referido no post anterior (trilhar o caminho espiritual), não acredito que haja só um caminho para a realização pessoal - parece me  mais plausível que existem tantos caminhos como pessoas.
Dito isto, também acredito que há estações no caminho que todos passam, embora possa ser em momentos diferentes da vida e em ritmos diferentes.
A vida proporciona oportunidades de aprendizagem e evolução, que vem sempre à tempo para iniciar um caminho pessoal. A chamada inicial pode vir de todas as formas imaginárias: a perda de uma pessoa amada, uma situação de doença ou um acidente... ou simplesmente alguém que pergunta se és feliz.
Pode vir de uma vontade muito grande de sobreviver, em situações que ameaçam a própria vida. Pode vir de uma sensação de bem-estar profunda quando, desinteressadamente, ajudamos alguém. Pode vir de uma sensação de alegria profunda perante a beleza, seja ela da Natureza ou dentro de um outro ser humano. A chamada inicial pode vir na forma de uma experiência mística, ou algo milagroso que acontece sem haver explicação óbvia.

A escolha: continuar no mesmo caminho... ou responder ao chamamento
Se houver da nossa parte uma recusa de honrar esta chamada de atenção, o momento passará. Outro momento há de surgir, quando houver oportunidade. Mas somente quando reconhecemos que o nosso coração foi tocado por algo maior, a chamada pode tornar-se num momento iniciático, quando tomamos consciência que o que experimentamos... foi uma mensagem enviada pela nossa própria Essência.

No momento em que damos ouvidos a essa mensagem, a nossa viagem pode começar. É uma viagem com um destino muito específico, diferente para cada um. Todos temos a nossa própria viagem, todos temos a nossa própria história a contar, como se fosse uma Lenda Pessoal.
Todas as pessoas, até ao início da adolescência, sabem qual é a sua Lenda Pessoal. Nessa altura da vida tudo é claro, tudo é possível, sem medo de sonhar e de desejar tudo aquilo que gostaríamos de fazer. Entretanto, à medida que o tempo vai passando, vamo-nos esquecendo e acomodando, deixando que se instale a monotonia que nos desgasta enquanto, apesar de todas as conquistas exteriores, nos começamos a convencer que perdemos as capacidades e as qualidades que em tempos foram a nossa força.

Voltar a assumir essas qualidades implica deixar de reprimir todo o nosso potencial, voltar a acreditar
que somos capazes de realizar os nossos sonhos e descobrir que podemos realmente vivê-los,
cumprindo assim a nossa Lenda Pessoal.
Enquanto todos temos uma história própria, há passagens que partilhamos. Existe um padrão arquétipo dos ritos de passagem e de iniciação: separação, iniciação e retorno. É uma viagem até ao fundo de nós mesmos.
(continua)


Não podemos descobrir novos oceanos, enquanto não existir a coragem de perder de vista a terra firme ~ André Gide

Em setembro e outubro vamos organizar uma série de 3 workshops que recria a Viagem do Herói.
Junto às pedras do Cromeleque dos Almendres, em Guadalupe, vamos acordar o herói que há dentro de cada um de nós e trazê-lo para a nossa realidade do dia-a-dia, resgatando a nossa Lenda e permitindo-nos viver todo o nosso potencial. (Veja aqui o folhete)



domingo, 18 de agosto de 2013

Blue Moon em Aquário, Sol em Leão: o surgir de uma nova forma de estar

Na madrugada de 21 de Agosto, a Lua chegará a sua fase cheia. Como o Sol ainda está em Leão, será a segunda Lua Cheia em Aquário!  Será um "Blue Moon".
A lua Cheia reflecte a luz do Sol na sua superfície. Ao receber esta Luz, podemos tomar consciência do se passa na natureza que normalmente se encontra escondida para a mente racional. Podemos entender algo acerca da nossa natureza emocional (lunar).  Esta Lua Cheia reflecta a luz do Sol que se encontra no signo de Leão. A Lua está na posição oposta, em Aquário. A Lua mostra como podemos experimentar a energia cósmica do Leão, através dos aspectos emocionais associados a Aquário.

A energia cósmica do signo de Leão está centrada no coração, e é sentido por dentro e através do coração. Leão é o signo do Sol, centro do sistema solar, uma estrela que arde com um fogo intenso, oferecendo à Terra e às almas que a habitam, calor, luz, energia. É considerada a influência mais poderosa na astrologia, dando vitalidade e autoridade. Leão é o signo da confiança, porque sabe o que está no centro da vida: criatividade, amor, generosidade perante o outro, mas também um sentido profundo do Eu.  A força cósmica do Leão ajuda a estabelecer uma auto-confiança, que nasce da noção que cada um é responsável para as escolhas que faz na sua vida. Há força em cada um, e quando assumimos a responsabilidade pela nossa vida, deixamos de ser vítimas da situação - mesmo quando se trata de situações complicadas ou limitadores. Precisamos da energia do Leão nos tempos que se avizinham. Estamos a mudar um mundo que parecia preso nas consequências dos seus próprios actos.
Leão é o signo de fogo, que representa o espírito e a criatividade. O fogo, que consome e transforme qualquer coisa que para lá remetemos em calor e luz, representa a purificação e transformação. Elevado para um nível diferente, o fogo transforma a nossa consciência e abre a mente para entendimentos mais profundos e alargados.
No outro lado está a Lua, em Aquário. Signo de Ar, simboliza a Mente cósmica. Aquário despeja a água, para que corre em liberdade...  Aquário é o Ser Humano que traz uma bilha de água, predestinado para distribuir dois fluxos de energia cósmica - a todos que precisam e solicitam. Como se fossem dois rios: um com a água da vida, o outro um rio de Amor. Aquário é por excelência o signo que pede uma visão alargada, para que os talentos e dádivas individuais possas ser utilizados em benefício de todos. Vamos precisar a inspiração comunitária do Aquário também, nos tempos que se avizinham..

Para entender melhor a força da conjunctura, podemos recorrer à simbologia dos corpos celestes. A posição de Aquario e Leão nesta Lua Cheia será para ambos os signos 29º. Marc Edmund Jones descreve os seguintes símbolos (em “The Sabian Symbols in Astrology”):

(fonte da imagem)
Sol a 29º: uma sereia a emergir do oceano, pronta para renascer em forma humana. 
O símbolo represente o momento em que um sentimento/intuição surge da subconsciência, pronto para dar forma a um pensamento consciente.
A sereia é como um sentimento novo e desconhecido a surgir do subconsciente colectivo. Sendo em parte mulher e outra parte peixe, a sereia traz novidades do que está acontecer nas profundidades criativas do oceano de cujo ventre tudo nasceu.
Uma manifestação nova da "Anima Mundi" ou seja, a alma do mundo, que está ansiosa de renascer como a Sabedoria Feminina.

O símbolo para a Lua em 29º Aquário: uma borboleta a surgir do casulo. O emergir da borboleta refere a uma transformação, uma metamorfose total. Representa a capacidade de proceder a uma renovação estrutural de todas as padrões da vida e dos relacionamentos.  Temos que largar estruturas antigas, que surgiram com base em arquétipos que serviram uma sociedade com necessidades diferentes da que temos agora. Arquétipos que perdem a ligação com necessidades e sentimentos profundos, tornam-se estereótipos. A sociedade que temos agora, é uma sociedade de estereótipos que precisa renovação! A conjugação dos dois símbolos sugere que há um novo sentimento que está a emergir na humanidade, um sentimento que quer mudar sistemas e crenças que já não são benéficos para a comunidade e a vida. Sentimentos e vontades novos, ligados à Era do Aquário.

A Era do Aquário rege-se pelos conceitos da Liberdade, Igualdade e Fraternidade - e para que o Ser Humano se possa realizar em pleno, estes conceitos precisam ser vividos. São os sentimentos e vontades - que dizem respeito à igualdade, ao respeito para a vida, justiça, a ligação do ser humano com a Terra - que estão a surgir, e que são belas e frágeis, tal como as asas da borboleta que acaba de nascer.

Na meditação da Lua Cheia, que celebramos na próxima quarta-feira, vamos focar no que está a surgir da subconsciente colectiva, para tomar forma na nossa consciência.
No silêncio da noite, vamos deixar que a Lua ilumina com a Luz do Sol, esta sensação que tudo vai mudar, que algo diferente está a nascer...que uma fase completamente nova se iniciará...
A contemplação da Natureza e da Mãe Terra é um apoio importante para que a mente consciente repousa e a nossa verdadeira natureza surge. 

Na noite de 21 de Agosto, a meditação será na forma de uma sessão de sons, com taças tibetanas, didgeridoo, e outros instrumentos acústicos.
Sessão de Sons da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
20 de Agosto de 2012, às 20.15h

 
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo.



sexta-feira, 19 de julho de 2013

Lua Cheia em Aquario... Sol em Leão

Na próxima segunda-feira, dia 22 de Julho, o momento exacto da Lua Cheia será às 19.17h. O Sol está em Leão, a Lua aparece em Aquário... equilibrio potente! O signo de Leão traz consigo a vibração da individualidade, um auto-consciência pura. O signo complementar, Aquário, exprime por seu lado a conciência universal, a pura consciência de grupo. O que se quer dizer é que neste equilíbrio, todo o ser humanos pode vir sentir-se igual a sí próprio, auténtico e puro - e através da integridade pessoal vai conseguir disponibilizar a sua força natural, as suas qualidades e os seus talentos ao serviço de todos e do Conjunto (ler mais sobre o par Aquário-Leão).

Vamos celebrar esta Lua Cheia com uma meditação no Cromeleque dos Almendres (em Guadalupe, Évora), que se inicia às 20.00h - um pouco antes da Lua nascer.
Desta vez inicamos a meditação ainda com luz do Sol, porque será o primeiro dia do signo de Leão, signo que tem uma ligação única com o centro do nosso sistema solar.
O signo de Leão unifica e alinha as ligações "coração-alma". Ajuda-nos a alinhar o nosso coração individual com o coração da Terra e com o coração do sistema solar, que no signo do Sol se vai alinhar com a grande estrela da iniciação: Sirius. Abre-se assim um canal através do qual a energia de Sirius possa fluir para o coração da Terra. Através de Sirius, a energia do Amor Puro flui do coração do Sol para o coração da Terra...
Durante o período desta Lua Cheia, os princípios cósmicos do Amor e da Sabedoria entram nas nossas esferas, através de Sírius e a constelação de Leão, para preencher todas as áreas vitais...

Nesta perspectiva, é óptimo poder usufruir das vantagens da meditação. A meditação alinha os aspectos do instinto, do intelecto e da intuição, para que possa haver uma identificação consciente de quem somos, e possa ser potenciada a criatividade. Meditação é ligação! Vincula-nos à nossa origem, oriente os nossos chakras, alinha o nosso coração com o coração do Universo e o coração da Terra... Meditação invoca, pergunta, liga, tem ao mesmo tempo um caracter receptiva e de dádiva.
Através da meditação acedemos também aos centros cerebrais que regulam a nossa resposta intuitiva, emocional e racional ao exterior: as glândulas no centro do cérebro.

Já desde há muito, os místicos e mestres espirituais sabem que assim é. Existem relatos, historias e mitos, que ilustrem o caminho para este alinhamento e para os portais de acesso ao nosso Ser superior.
Vemos o mito da Morte do Leão de Neméia, que aparece nos Trabalhos de Hércules. (resumi muito o mito e a sua explicação)

Na história de Hércules, o primeiro trabalho é o de desarmar um leão, que semeia a morte e a destruição entre o povo de Neméia.. Durante muito tempo, o leão foi uma força destrutiva e as pessoas não foram capazes de alterar isso. Hercules considerou que, se queria alcançar seu objetivo, tinha que ir atrás do leão em círculos cada vez mais pequenos, para poder ecurralar numa caverna.Assim fez e finalmente encontrou o leão no seu covil,  mas chegou à descoberta desagradável que a caverna tinha duas aberturas  e o leão tinha escapado. O leão saíu da caverna tão rápido como entrou.  
Hércules não podia fazer outra coisa do que  fechar uma das aberturas da caverna e ir atrás do leão para este entrar pela outra abertura.Hércules perseguiu o Leão novamente até chegar à caverna e, em seguida, deixou todas as armas que tinha na entrada da caverna. Entrou na caverna, procurou o confronto com o leão e estrangulou-o com as mãos nuas, até que o leão caiu morto.Isso aconteceu naquela caverna escura e não havia mais ninguém para testemunhar...

Qual é a lição do simbolismo da caverna com duas aberturas? O que significa o fechar de uma abertura, e entrar na outra? 
Temos na nossa  cabeça também uma caverna pequena, uma pequena estrutura óssea, que protega uma das mais importantes glândulasdo corpo, a glândula pituitária. Quando esta glândula funciona correctamente, temos a ver com uma personalidade completa, activa, que tem auto-controlo, atitudes mentais expressivas e resistênca.O corpo pituitário tem uma forma composta de duas partes. Um dos lóbulos, o "ante-pituitária', parece ser  sede da razão e do intelecto. O outro, o "pós-pituitária" é a sede da emoção e da natureza imaginativa.Esta glândula (diz-se) coordena os outros, controla o crescimento e é essencial para a vida. Se ocorre uma falha no desenvolvimento desta glândula, podemos esperar insuficiências tanto no plano emocional, como no plano mental.É nesta caverna ou cavidade, que o Leão da personalidade, ou individualidade desenvolvida, tem o seu lugar, e é aqui que Hércules o teve de superar. A glândula pituitária com os dois lóbulos, simboliza a caverna com duas aberturas, uma das quais Hércules teve que fechar, antes que ele pudesse controlar, com a sua mente superior, o Leão da Personalidade.  Porque só depois de ter fechado a abertura das emoções pessoais (pós-pituitária) , após de se ter recusado a viver uma vida egoísta por mais tempo, ele poderia entrar na abertura do 'ante-pituitária' e conter o leão da personalidade.

Cerimónia e Meditação da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Segunda-feira, 22 de Julho a partir das 20h

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos! 

A dor acontece.... o sofrimento é opcional

Quando estamos perante um problema grave na nossa vida - seja este de natureza emocional, psicológico ou físico - apresenta-se uma escolha entre duas opções: ficamos de braços cruzados, deixando que seja o sofrimento a mandar na nossa vida; ou em alternativa, procuramos uma solução para ultrapassar o sofrimento?

Parece simples: é uma escolha entre sofrer ou não sofrer, e parece óbvio que qualquer ser humano escolhe o não-sofrimento!

 Acontece que nem sempre é tão linear quanto isso. Imagina-se, por exemplo, um doente com uma doença crónica - que se pode manifestar ao nível físico ou mental. Pode parecer uma fatalidade, ter uma doença desta natureza - aconteceu. A linguagem utilizada deixa transparecer a fatalidade: a pessoa sofre de tal doença.

Podemos escolher o não-sofrimento, entregando-nos nas mãos de médicos sábios e experientes, esperando alivio e cura. Mas esta parte só diz respeito ao sofrimento físico. No entanto, desde há muito os curandeiros e médicos sabem que há um outro lado em cada doença que precisa de ser cuidado.

Pitágoras disse que a arte mais divina era a da cura. E se a arte da cura é mais divina, deve ocupar-se da alma bem como do corpo; porque nenhuma criatura pode ser sã equanto a parte mais elevada de si estiver doente. (Apolónio de Tiana,)

Há aspectos em cada doença, a que podemos chamar a parte espiritual: tem a ver com o estado da nossa alma. A noção que em todas as doenças há um componente psicossomático, é hoje em dia largamente aceite, e existe desde que há memória. Conhecemos, por exemplo, o conceito do karma, em que tudo o que nos acontece, é fruto das nossas acções, atitudes, gestos e pensamentos no passado. Mas também a tradição judaica-cristã é familiar com a noção, sendo que esta adoptou uma visão diferente, como atestam os primeiros versos de João, 9:

E passando Jesus, viu um homem cego de nascença.
Perguntaram-lhe os seus discípulos: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Os discípulos ligam a noção de doença e deficiência ao pecado, remetendo a culpa da cegueira para o próprio doente.
Jesus responde, eliminando a noção da culpa, mas introduzindo outro conceito:
Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.(João 9: 1-3)

É feito referência ao componente espiritual da doença, que serve um propósito que vai além da pessoa que tem a doença: é uma oportunidade para quem tem a doença, de reconhecer e recuperar o Divino em si...

Isso sim, é uma escolha que precisamos de fazer. Escolhemos abrir mão da dor da alma? 

Quando a alma está ferida - revivendo traumas do passado, ou quando está insegura ou  desequilibrada, com sentimentos de inferioridade, com raiva, inveja ou revolta, quando há medo ou culpa - a pessoa precisa de escolher também curar a sua alma. É preciso desejar profundamente que a alma volta a ser inteira, de ter vontade de voltar a sentir a alegria da vida e a gratidão por ser quem é. Essa vontade pode dar a força de libertar o passado, desapegar da dor da alma.

Healing Hands, Healing Heart by Marie Finnegan
Mesmo se o corpo físico traz uma doença que dá dores, a alma sempre tem cura.

A principal razão da cura é o amor (Paracelso 1493 - 1541). Penso que podemos acrescentar: o principal resultado da cura, é o amor.

É o amor que é a cura. Se a alma encontra, dentro de si, novamente o amor, encontra a cura. Encontra a razão de ser de tudo que lhe aconteceu, inclusivo a doença. Tudo serve para dar a pessoa a oportunidade de escolher o amor.

E se a cura é o amor, o caminho é o desapego. Deixar ir o passado, não agarrar mais a imagem que construimos de nós no passado, e que construimos com base da nossa reacção à dor... E começar a sentir que é agora possível deixar surgir uma nova sensação, baseada na compreensão que tudo faz sentido quando há amor no coração. Amor-próprio: a sensação que a nossa vida faz sentido, que temos um valor intrínsica que é a nossa existência. Amor pela vida: a noção que estamos todos ligados, que não há barreiras entre o eu e o outro. O caminho em conjunto serve para sermos um espelho uns para os outros, e mostrar que o valor, a luz e o amor existem em cada ser humano.









quinta-feira, 23 de maio de 2013

Fazer o Salto: Lua Cheia em Sagitário, Sol em Gémeos

No próximo sábado, dia 25 de Maio, celebramos novamente a Lua Cheia. O Sol encontra-se em Gémeos, e a Lua estará a passar pelo signo de Sagitário.
O período da Lua Cheia, quando a luz do Sol ( força do masculino) é reflectida para a Terra pela Lua (força feminina), é o momento por excelência para poder equilibrar os opostos que existem em nós.
O signos Gémeos-Sagitário formam um par de opostos, entre os quais podemos encontrar um equilíbrio: entre a União com o Universo por um lado.. e a dualidade e separação por outro lado.

A terceira Lua Cheia do ano astrológico, celebra o desejo ardente de amar e ser amado: estar em União com o Outro e viver a plenitude da partilha do amor, ultrapassando a dualidade.

Quando o Sol passa pelo signo de Gémeos, o ser humano tem tempo para compreender a dualidade que existe entre o nosso ser Superior e o ego; tempo para ultrapassar esta dualidade e unir os dois aspectos. O Ego vive com base na sua sensação de separação, devido à consciência do seu aspecto fisico e biológico. Durante este periodo pode ter lugar a transformação desta consciência, levando à experiência de uma União, através do Ser Superior. É um processo em que a Humanidade como um todo se encontra - um processo que todos precisamos de percorrer.
No céu, quem nos guia é o signo de Gémeos - ou seja, os irmãos Castor e Pollux. (para ler mais sobre o mito de Castor e Pollux, ver aqui)

Tempos conturbados. Questões profundas emergem, e às vezes pode parecer que alguém, com uma observação aparentemente fútil, nos atinge directamente no coração... lembrando-nos que a sincronidade existe, que estamos todos juntos no mesmo barco!
Podemos sentir a necessidade e a urgência da mudança, ainda mais num mundo que parece querer destruir-se. Para que a mudança possa ter lugar, precisamos de ter visão, e entender que  mudança é possível.  Se não fazemos mudanças dentro de nós, se não nos libertamos o nosso corpo emocional, da herança do passado, não nos é possivel ter a percepção da mudança como possível!

A conjuntura convida para fazer o salto: tomar consciência  da visão do Sagitário, e elevar a experiência da União com o Universo que podemos ter internamente, para o nível de Gémeos: integrando a realidade física da sociedade em que vivemos com a realidade espiritual do Oneness, que desejamos criar.

Visto que a Lua Cheia coincida com o retiro em Vimieiro, a meditação da Lua Cheia no Cromeleque terá lugar na terceira noite do período da Lua Cheia.

Cerimónia e Meditação da Lua Cheia
Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
Domingo, 26 de Maio a partir das 22h

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos! 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Os desafios do momento: eclipse lunar de 25 de Maio

Some people think their blockages are working against their mission.
That this keeps them from contributing, but it is not so. You are exactly at the point you have to be. You have the responsibility to open it up and not to pass it on. (Gregg Braden)

Como referi no último post, estamos a passar por um período em que Urano se encontra frequentemente em quadratura com Plutão. Ao nível da nossa vida pessoal, isso posso significar um tempo de grande turbulência interior. Sentindo a motivação para enfrentar uma mudança de fundo, ao nível da maneira em que encaramos o nosso lugar no mundo, podemos ter ao mesmo tempo uma profunda consciência da nossa insignificância perante o Universo. A última sensação sublinha uma condição de dualidade, enquanto lá no fundo, sabemos que a mudança que precisamos de enfrentar, requer que estamos em União com o Tudo-Que-É.

Como cereja em cima do bolo, estamos ainda a passar por uma série de eclipses. A Lua Cheia de 25 de Abril já conheceu um eclipse; houve um eclipse solar a 9 de Maio, e na próxima Lua Cheia, no 25 de Maio, haverá novamente um eclipse lunar.


Ao passar por um alinhamento tão poderoso como este, em que três eclipses se seguem, experimentamos grandes mudanças ao nivel da nossa consciência. Momentos de entendimento profundo de onde estamos e para onde estamos a ir; processos de transformação intensa; emoções agitadas e perturbadas, e muita limpeza e purga!
No próximo sábado à noite, a trindade de eclipses ficará completa. Com a energia da Lua Cheia podemos ver onde estamos, e reconhecer sem julgamento todos os aspectos do nosso Ser que vieram à superfície no periodo que se vai fechar. Havendo um eclipse, haverá ao mesmo tempo uma energia semelhanta à Lua Nova, que nos permite a libertação e a entrega, para que a semente para um novo período seja plantada. Agora podemos entregar-nos: à Vida que respiramos, à Terra que nos acolhe, ao Caminho que trilhamos.

É altura para perceber que os bloqueios e conturbações que experimentamos, não são o que parecem. O que podemos ver como impedimento para avançar, é na verdade uma oportunidade para perceber a nossa verdadeira natureza, e uma fase essencial no caminho para encontrar o propósito desta vida.
Cada luta interior, todas as dúvidas, todos os receios, são memórias de um passado doloroso e expectativas sobre um futuro que não sabemos qual será. Influenciam a nossa mente de tal modo, que acabamos por retrair-nos - ficando presos ao passado e reféns do futuro. E confirmamos que existem impedimentos, criando-os de novo.
Não é de admirar, que ficamos separados do fluxo da vida propriamente dito, que acontece no presente!
Por outro lado, podemos optar por sintonizar-nos com a Vida que nos rodeia. Perceber que tudo está ligado, que todos nós fazemos parte integrante da Terra e do Universo, e o nosso contributo para o bem maior de todos, consiste em aceitar esta União.
Deste modo, tudo que nos acontece, é exactamente o que precisamos. Precisamos de descobrir os bloqueios... e sabendo que existem, podemos abri-los como se fosse uma mala, para ver o que carregámos do passado para o presente, e libertar. Esta é a nossa responsabilidade: limpar e esvaziar a mala do karma. É o nosso propósito voltar à essência, simplesmente aceitando que somos, igual a nós próprios, perfeitos no estado em que nos encontramos agora. Em mudança contínua... tal como a Natureza.



segunda-feira, 20 de maio de 2013

Urano e Plutão : 3a quadratura

Urano e Plutão estão a passar por um ciclo de sete posições em quadratura, que iniciou em Junho de 2012 e vai durar até final de Março de 2015. Hoje, 20 de Maio, é a terceira vez que os planetas da revolução, Urano, e da transformação, Plutão, se encontram numa quadratura exacta.
No seu todo, o ciclo representa um período de transformações inesperadas e de impacto profundo. Ao nível planetário, a influência pode atingir governos, sistemas políticos... também escândalos ou outras revelações podem surgir para surpreender.

É claro que sentimos isso também ao nível pessoal - são anos em que os acontecimentos podem dar a sensação que os fundamentos da nossa vida desaparecem. A tensão que esta quadratura provoca, parece indicar que grandes mudanças estão prestes a acontecer. Estamos a sentir um desejo de mudar e de seguir uma nova direcção (Urano) enquanto ao mesmo tempo encontramos os nossos bloqueios psicológicos (Plutão) que nos fazem sentir pequenos e incapazes. Nestes anos, é importante ter uma atitude tão flexivel quanto possível. É altura de permitir que somos levados no fluxo cósmico... altura de permitir que somos apoiados pela Energia Universal no salto evolutivo que estamos a fazer.

A conjunctura sublinha a importância de termos a capacidade de observar, sem julgamentos, o que está a passar. Quando começamos a julgar os acontecimentos e etiquetar, fazemos isso sempre com base nas nossas experiências do passado - e podemos esquecer que o salto evolutivo está a levar a Humanidade para dimensões energéticas que ainda não conhecemos!

Pode ser difícil ficar em observação compassiva, enquanto tudo parece dar voltas e voltas. Às vezes parece que estamos a voltar à situações e padrões que já pensamos pertencer ao passado; às vezes sentimos que nada acontece, que não evoluimos... O Oneness que procuramos parece estar em "hold" enquanto estamos virados para dentro, lidando com a limpeza emocional.
Saber que estamos a passar por um ciclo em que Urano e Plutão estão envolvidos, talvez torne mais fácil manter uma atitude compassiva para connosco próprios. Paciência, gentileza e o contacto com o nosso centro, são agora as ferramentas para manter o rumo. É preciso sentir o Coração e ter fé que a mudança está acontecer. Tudo o que é preciso é aceitar que somos quem somos e que isso mesmo, é tudo que há de propósito.





segunda-feira, 6 de maio de 2013

Partilha de uma experiência: Retiro de Meditação


Em Abril de 2013, foi organizado o primeiro retiro de meditação no Monte das Bardeiras. Foi um fim-de-semana de esperança! Muitas vezes vamos a um retiro porque sentimos que estamos a sofrer o peso do nosso passado. Em meditação, na tranquilidade interior, podemos descobrir que a vida nos sempre oferece a possibilidade de recomeçar!

Um dos participantes deixou o seu testemunho,  de como o ambiente e o grupo foram um apoio para se encontrar consigo novamente.
Obrigada Rodrigo!
_________________________
Retiro no Monte das Bardeiras, Abril de 2013

No final de 2012 a minha vida mudou profundamente ao ser confrontado com o divórcio. Ainda em choque comecei a tentar perceber o porquê para constatar que tudo já me tinha sido apontado ao longo dos últimos anos. Depois de longos dias de sofrimento e introspecção, aceitei a culpa e procurei dar uma volta na minha vida. Conclui que tinha de trabalhar a minha auto-estima para melhorar o relacionamento humano. Sei agora o quão distante estava de compreender verdadeiramente a realidade do que se passava comigo e do caminho que começava a trilhar.

O caminho que escolhi não se alterou mas está muito mais iluminado. O retiro teve um papel fundamental nessa tomada de consciência. Este representou a minha iniciação ao estudo de mim e do que andamos por cá a fazer. Senti que posso e devo desenvolver o amor-próprio sem ser egocêntrico desprezando os outros. E que este é um passo fundamental para ser feliz. E sendo feliz serei capaz de amar incondicionalmente, ter compaixão, saber perdoar os outros.

Foi tudo novo para mim mas fez tudo sentido. Desde a ligação que temos com a Terra até à Luz que me trará uma visão dum mundo melhor. Absorvi sentimentos, ensinamentos, energias positivas. Estava ávido por aprender porque o caminho que anteriormente escolhi começou a ter outro sentido, um propósito, uma razão de ser. Agora sei o que fazer para ser feliz. Pode até levar algum tempo, mas a motivação de compreender que estou no caminho certo é grande.

Tudo o que senti foi ampliado por uma envolvente de grande conforto, tranquilidade e beleza natural, com uma orientação tão amável e reconfortante da nossa guia espiritual, que facilitou a ligação ao mundo que me rodeia, e a compreender o caminho que tinha de seguir até me encontrar.

Não posso deixar de referir que conheci um grupo pessoas espectacular de quem, tenho de confessar, senti uma saudade profunda, a roçar a tristeza, no dia seguinte ao retiro... Não me perguntem porquê… Tinha-vos conhecido apenas ali, em dois dias! …Porquê este sentimento tão forte não sei explicar. Mas que muito contribuíram para o estado emocional em que me encontrei.

Durante o retiro – contaram-me – passei o tempo com um sorriso estampado na cara. Só dei conta quando me chamaram à atenção nas despedidas. O que sei dizer é que estive sem me preocupar se estava a fazer falta a alguém, sem me julgar constantemente, sem me sentir culpado. E talvez por isso exteriorizei, de forma inconsciente, aquele sorriso permanente.

Fico profundamente grato a todas mas em especial à minha querida amiga, que me desafiou a participar neste retiro, porque sem ela não teria esta experiência tão enriquecedora.
Uma experiência a repetir sem dúvida alguma.

Encontrem a felicidade que há em vós e até breve!

Rodrigo Jorge Santos
______________________
 O segundo retiro terá lugar nos dias 24,25 e 26 de Maio, novamente no Monte das Bardeiras, Vimieiro. Desta vez, a temática será: como levar o estado meditativo para o dia-a-dia: meditação em andamento.
Uma particularidade: a sessão de sons no campo, com as Taças Tibetanas, didgeridoos e tambores, terá lugar no início da noite, porque vamos poder assistir ao nascer da Lua Cheia!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...