Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Amor-próprio e auto-compaixão: 13 conselhos

É talvez o elemento-base de todas as curas, sejam elas ao nível físico, emocional, relacional... até quando se trata de problemas na área do trabalho, as coisas começam a dar uma volta para melhor quando damos atenção a esta faceta da nossa atitude:

o amor-próprio e a auto-compaixão.

Os mestres ensinam que o equilíbrio interior começa com uma aceitação de quem somos, em amor e bondade.
No entanto, isso nem sempre é fácil. Muito mais fácil é encontrar em nós: comportamentos com que, no fundo do coração, discordamos; atitudes que provocam desilusão ou impaciência sobre quem afinal somos; dores e desconforto que nos fazem sentir vítima de algo mal; faltas de atenção e de entendimento que fazem com que nos sentimos estúpidos e/ou teimosos; ... é preciso continuar a lista?
De facto, enquanto estamos à procura do nosso aperfeiçoamento, os nossos pensamentos são por vezes virados para a humilhação e a rejeição, e parecem querer afirmar que não somos capazes.

Uma estratégia que infelizmente funciona mal, visto que o ser humano precisa de reconhecimento. E quando nós próprios não conseguimos reconhecer o nosso valor, vamos à procura do reconhecimento dos outros.
Assim, ficamos dependentes das circunstâncias e das pessoas que nos rodeiam. Chegamos até a desenvolver estratégias emocionais para sermos reconhecidos no nosso valor. Ficamos frágeis, vulneráveis e manipuláveis... o oposto do que procuramos.

 Ouvimos novamente os mestres: amor-próprio é a chave. A aceitação liberta.  "Tu, tal como qualquer um no universo inteiro, mereces o teu amor e afecto."

Amor próprio e auto-compaixão devolvem-nos a nossa independência, a nossa liberdade. É claro que é sempre agradável receber reconhecimento, faz parte do prazer partilhar tempo de vida com outras pessoas. Mas quando temos amor-próprio, o nosso ambiente já não é condicionante para sermos felizes com quem somos!

Aprender a valorizar quem somos, ter compaixão connosco e amar-nos, é o início de uma mudança fundamental para melhor. É como aprender a voar - estarás livre.

Para iniciar a mudança, proponho uma reflexão sobre as seguintes atitudes que promovem o desenvolvimento de amor-próprio e auto-compaixão:

1. Pára com todas as críticas.
Ser crítico não vai mudar nada. Recusa criticar-te, aceita quem és. Toda a gente está em mudança constante - e quando te criticas, a tua mudança é para o negativo. Se te aprovas, as mudanças são pelo positivo.

2. Perdoa-te.
Deixa o passado para trás. Fizeste o melhor que podias na altura, com a compreensão, a consciência e os conhecimentos que tinhas. Agora que estás em crescimento e a mudar, vais viver a tua vida diferente e tomarás outras decisões.

3. Deixa de criar filmes de terror.
Pára de te assustares com os teus pensamentos, é uma maneira horrível de viver a vida. Encontra uma imagem mental que te dá prazer, para substituir os pensamentos de cenários assustadores logo que surjam.

4. Não tomes tudo pessoalmente.
O que os outros fazem e a maneira como se exprimem, diz respeito ao mundo deles. Não é sobre ti: é sobre a maneira deles verem o mundo, sobre os seus sonhos e as suas frustrações. Olhando com este distanciamento, podes manter a tua auto-estima intacta e evitas sofrimento desnecessário.

5. Sê gentil, bondoso e paciente.
Sê gentil para contigo. Sê bondoso para contigo. E acima de tudo, tem paciência contigo enquanto aprendes as novas maneira de pensar. Trata-te como tratarias alguém que amas de verdade.

6. Sê gentil para com a tua mente.
Não te critiques por teres certos pensamentos formatados para a auto-rejeição. Leva com gentileza a tua mente a mudar os pensamentos.

7. Aprende a elogiar.
Críticas diminuem a energia interior, enquanto elogios elevam o astral. Dá-te elogios! Encontra o que fazes bem, mesmo nos gestos pequenos, e dá-te o devido reconhecimento.

8. Encontra apoio.
Encontra maneiras em que possas receber apoio - pedindo aos teus amigos e permitindo que eles te ajudam. É um sinal de força pedir apoio quando precisas.

9. Sê bondoso para com os teus aspectos negativos.
É altura de reconhecer que criaste comportamentos negativos, porque eram precisos para satisfazer necessidades afectivas. Agora que estás a encontrar novas maneiras, mais positivas, podes libertar os padrões antigos com gratidão.

10. Cuida do teu corpo.
Alimenta bem o teu corpo, dando a nutrição que o corpo precisa para ter vitalidade e energia. Faz exercícios, que te vão dar prazer e que te façam sentir bem no templo em que vives.

11. Aprende a olhar-te no espelho.
Olha para os teus olhos, e exprime o sentimento crescente de amor que sentes por ti. Perdoa-te enquanto olhas no espelho, fala com os teus pais e perdoa-lhes também. Lembra-te dizer, pelo menos uma vez por dia: Amo-te verdadeiramente!

12. Ama-te - agora.
Não esperes até te sentires melhor, ou até perderes o peso a mais, ou até tiveres o novo emprego, ou até encontrares um relacionamento novo. Começa agora - e faz o teu melhor.

13. Diverte-te!
Lembra-te das coisas que te deram prazer quando eras criança, e encontra uma maneira de as incorporar na vida que tens agora. Encontra uma maneira de ter alegria em tudo o que fazes, e permite-te exprimir a alegria de viver. Sorri, ri e regozija-te - e o Universo regozir-se-à contigo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...