Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A Lua Cheia de Setembro: somos a Luz que observe o que passa na mente...

Na manhã de 9 de Setembro, a Lua Cheia estará em Peixes, oposta ao Sol em Virgem. No seu caminho à volta dos signos do Zodíaco, o  Sol chegou ao Virgem, signo da Terra, um dos signos mais significativos.

É o signo da Mãe, e o seu simbolismo fala do objectivo do processo da evolução humana. Sabemos que trazemos dentro de nós uma centelha divina que é eterna. Precisamos de alimentar e proteger a Luz que trazemos - porque é a nossa realidade espiritual - até o momento em que esta essência luminosa se possa mostrar ao mundo sem ser obscurecida pela personalidade ou ego. É quando a realização completa do ser humano acontece

No decorrer da vida, vamos destapando a nossa luz, libertando emoções problemáticas, padrões de comportamento, memórias dolorosas. Mas em tempos de mudança profunda, tal como os tempos que temos vivido ultimamente, assuntos que julgamos já passados e tratados, podem surgir novamente. Frequentemente isto acontece porque a parte subconsciente da mente (a parte que não controlamos), pela sua natureza, tente prevenir mudanças fundamentais que podem mudar o curso da vida.
Mas a mudança está a acontecer, e o subconsciente pode abrir as comportas para mostrar o que temos ainda aí escondido: medos suprimidos, emoções ignoradas, desejos negados, pensamentos obsessivos... tudo salta e berra, tentando convencer a mente consciente que é melhor ficar na zona de conforto, de maneira como sempre foi.  Podemos chegar ao ponto de pensar que estivemos anos a fio a trabalhar para nada. Como se nada tivesse mudado, como se tudo fosse em vão, como se fossemos iguais de há 5 ou 10 anos atrás.

A boa notícia é que a mudança tem lugar, rapidamente, e para muitos as mudanças já são positivas. Mesmo assim, a mudança traz sempre stress - desde já porque nada está garantido quando a vida muda. Não sabemos o que vai acontecer - só sabemos o que precisamos de fazer, e que é inevitavel que temos que fazer o que temos que fazer. Temos que fazer o passo e ter fé.

Na conjuntura actual, a energia que flui para a Terra é um apoio para assumir que há aspectos mais problematicos na nossa vida. Podemos aceitá-los de tal modo que acabam por ser integrados no nosso ser e assim começam a fluir com o fluxo da vida, e mudar. 
O ser humano tem a tendência de calar e esconder as emoções mais problematicas do ser, por vergonha ou medo - ou simplesmente porque preferimos manter o dia-a-dia livre de complicações. Mas entretanto, estão aí no subconsciente as emoções e os padrões de comportamento e pensamento... e gastamos uma grande parte da nossa energia na negação e sublimação.
É útil lembrar que todos temos uma sub-consciência - e que na maioria dos casos, o conteúdo é igual para todos. Estamos a tentar esconder algo que todos partilhamos, porque num certo ponto do nosso caminho começamos a acreditar que só nós nos sentimos assim.

Esta Lua Cheia vai poder iluminar o que tão afincadamente temos estado a esconder: que somos humanos e igual a todos os outros. A Lua Cheia - por si só um momento de procurar o equilíbrio - foca as desarmonias criadas pela negação. É nos pedido de sentir completamente e profundamente o que surge - sem tirar conclusões nem procurar soluções. Sem julgamento, admitindo a existência das vulnerabilidades, o nosso campo energético pode ser harmonizado e a nossa alma curada. Observando os pensamentos e as sensações, podemos começar a deixar de acreditar o que a nossa mente nos quer dizer. Podemos tomar novamente consciência que não somos os nossos pensamentos, nem as nossas emoções. Nos somos algo mais profundo, mais verdadeiro, mais luminoso e constante: somos o observador que vê o ir-e-vir dos pensamentos, das sensações e das emoções. Somos o sol no céu azul que vê como os nuvens e as tempestades surgem... e desaparecem.
A Lua Cheia convida-nos a lembrar que somos esta Luz que observe - não somos o conteúdo da mente mas sim a Consciência luminosa e vibrante que existe atrás dos pensamentos!

A celebração /meditação da Lua Cheia terá lugar na
Terça feira, 9 de Setembro, às 19.30h no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...