Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

2016, ano da generosidade

Começo com uma alteração. Estava anunciada para o dia 3 de Janeiro uma cerimónia de fogo no Cromeleque. Por várias razões (às quais acrescenta a previsão de chuva para o fim de semana) a data é alterada para sábado, dia 23, quando celebramos a Lua Cheia.

O ano de 2016 começa com Mercúrio retrógrado, do dia 5 até ao dia 25. A experiência do Mercúrio retrógrado normalmente inclui um período de sombra e um período de tempestade. A primeira sombra podemos ter já sentido, uma sensação de estar desconectado, com dificuldades de contacto e comunicação. Podemos estar a questionar muita coisa, por exemplo a maneira em que estamos a funcionar nas organizações, nos grupos em que trabalhamos. Dúvidas sobre o que será o futuro, o que estará à nossa espera, sensações que as coisas não correm como desejadas. Turbulências em relações de amizade, meios de comunicação que se recusam trabalhar correctamente, uma sensação de revolta que ameaça explodir. E quando isso acontece no signo de Aquário, ainda mais revoltados podemos ficar, por Aquário ser o signo do serviço ao conjunto e à comunidade...
Mas antes disso ainda temos a Lua Nova, no dia 9 de Janeiro. Altura de estabelecer intenções e objectivos para o novo ano!

A Lua Nova estará em Capricórnio, signo dos objectivos e aspirações, o que é uma ajuda boa para focar nos planos. A focagem estará na direcção a tomar, que caminho escolher: o que nos moverá?
E talvez ainda mais importante do que isso: Capricórnio ajuda-nos a ser realistas acerca das nossas capacidades.
Lua Nova é a altura de plantar as sementes - no início de Janeiro podemos querer plantar sementes para o ano todo. Mas com cuidado, Mercúrio está retrogrado, e do que ele gosta é de mal-entendimentos que levam a ter que começar de novo. Por isso, talvez seja uma boa ideia de dar-nos uma segunda oportunidade com um sonho ou objectivo que não resultou à primeira.

Na Lua Cheia, dia 23 de Janeiro, a Lua estará em Leão, oposto ao Sol em Aquário. Leão é o signo da criatividade, da alegria de viver. A criatividade estará num ponto alto, com as emoções aumentadas pela luz da Lua e a inspiração alimentada pelos sentimentos. Podemos criar algo maravilhosamente positivo por altura desta Lua!
Diz-se que as palavras-chave do ano de 2016 incluem a partilha, da generosidade, a entre-ajuda. A Lua em Leão ajuda para nos sentirmos melhor connosco - enquanto o Sol em Aquário estimula para usar esta boa onda para fazer os outros sentirem-se igualmente bem. Podemos ser todos generosos!

Nada mais natural do que celebrar esta Lua com a cerimónia de Fogo, em que podemos libertar e transformar padrões antigos, para dar espaço a novas intenções!

O fogo, símbolo da Luz que está sempre connosco, é também um símbolo da força de transformação.
Elementos da cerimónia são a "confissão", quando escrevemos num papel aquilo que consideramos as padrões negativas que queremos libertar. Também pode haver uma transferência mental para um material combustível, um papel, um pau... Depois haverá uma meditação em que é dado espaço para tomar consciência que somos nós que precisamos de tomar as rédeas da nossa vida, que somos nós os responsáveis para a nossa energia e harmonia. E a primeira acção é lançar os padrões do passado para o fogo, para que se transformem em Luz, calor e cinzas férteis. Das cinzas da aprendizagem nasce uma nova vida...
Finalmente, lançamos também para o Fogo, agradecimentos para a Mãe Terra e os nossos desejos para o futuro. Sabemos que vivemos em interdependência com a Mãe Terra, como vivemos em interdependência com todos os seres humanos. A roda à volta do Fogo simboliza esta União.

Quem quiser pode trazer o seu tambor. Quem não tiver tambor, traga a sua presença e Luz interior.

Meditação da Lua Cheia - Cerimónia de Fogo
Sábado, 23 de Janeiro às 16.30h

Cromeleque dos Almendres, Guadalupe - Évora

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!


Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...