Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

quarta-feira, 4 de março de 2015

Lua Cheia em Virgem, Sol em Peixes: A viagem chega ao seu destino

Uma outra designação do Zodíaco é "a Roda da Vida". Podemos olhar para os signos e perceber o significado de cada um. Indo para um nível mais profundo podemos ainda perceber a relação entre os signos e com os acontecimentos e experiências da nossa vida. Descobrindo estas relações podemos descobrir o como e porquê do caminho da nossa Alma.

É a Alma que se conecte com a matéria, que "encarna". É a Alma que habita o corpo físico para poder ganhar experiência na dimensão da dualidade. É a Alma, que através dos processos do corpo emocional, aprende o caminho de volta para a União com a dimensão espiritual, com o Grande Espírito.
Quando a Alma se una a um corpo humano, no processo do nascimento da criança, começa um aprisionamento temporário. A Alma vai ser acorrentada à matéria do corpo. No decorrer do tempo da vida da forma física vai se desenrolar um processo de desapego. Gradualmente, a Luz da Alma vai entrando nos sistemas e iluminando a vida. A matéria perde a sua força de atracção e o Ser Humano vira-se para assuntos mais espirituais. Eventualmente, o processo de libertação leva a uma transformação profunda: a personalidade "morre". A Alma deixa de precisar experiências emocionais e pode voltar para o Uno, de onde veio e de onde partirá para outra aventura.


A Roda da Vida, representada no céu pelos 12 signos, simboliza o Caminho da Alma na Terra. Este caminho leva-nos à revelação da dimensão divina do Ser Humano. A energia celeste, simbolizada pelos signos, vai empurrando a personalidade e o ego do Ser Humano, enriquecendo-o com experiências, entendimento, amor e bondade, sabedoria e compaixão,  até este chegar ao seu destino: a União da Alma com o corpo - ou se quiser, a espiritualização da forma.
O nosso destino é a libertação, que acontece quando a Essência Vital (a nossa consciência) deixa de sentir a forma (o corpo físico e o corpo emocional) como sendo uma limitação.

Peixes é o último signo desta Roda da Vida, e a sua energia promove a libertação. Todos os anos somos lembrados pelo signo de Peixes que precisamos de nos libertar. Todos os anos somos convidados a desapegar de desejos, coisas, pensamentos, hábitos, relações, para que possamos transformar mais uma faceta da nossa personalidade e do nosso ego.

(fonte)
O símbolo de Peixes é formado por dois peixes que estão unidos por uma fita. Um dos peixes representa a Alma, o outro represente a personalidade ou forma. A fita entre eles é a ligação que os una enquanto o ciclo de incarnações dura. A forma/personalidade e a alma aprisionam-se mutuamente, mas também se libertam mutuamente.


Assim podemos perceber que a energia de Peixes, acaba por tornar mais súbtil  e menos densa, a energia da matéria. A sensibilidade inata do ser humano é estimulado, e torna-o mais aberto para impressões vindo de outras consciências e outras presenças. Estimula a mediunidade, como estimula igualmente o calor humano e a compaixão necessário para a libertação do eu e do outro.

Esta Lua Cheia é a última no "ano espiritual". É o fim de um ciclo que recomeçará quando entramos no signo de Carneiro.

Este mês vamos fazer a meditação da Lua Cheia no dia 5, na sala de meditação em Évora, e
sexta-feira, 6 de Março, às 19.30h
no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...