Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

mantras - uma introdução

No "soundhealing" (cura pelo som) é recorrente cantar mantras. São palavras ou orações curtas, sons ancestrais que desde há milénios são utilizados como suporte para a meditação ou para fins terapeuticos. Encerrados nos sons há toda uma sabedoria, um acesso a uma consciência maior. Cada som, cada vibração, abre o caminho para a descoberta de dimensões do nosso Ser que habitualmente nos passa ao lado e que mesmo na meditação silenciosa podem ser difíceis de atingir.

A meditação com mantras tem como elemento principal a repetição de um som, uma palavra, uma frase ou um conjunto de palavras. Podem ser palavras com um significado específico, mas não é essencial que se percebe o significado literal do mantra. Também não é preciso cantar os mantras ("chanting"); a recitação em voz alta ou uma recitação interior podem ser igualmente eficaz.

Uma introdução curta à recitação dos mantras por Lama Thubten Yeshe:
"Há quem tenha a ideia (errada) que a recitação de mantras é uma prática exterior, uma prática espiritual artificial, e não um acontecimento espontâneo vindo do interior. O recitar dos mantras não é só vocalizar e repetir uma série de sílabas. É antes um escutar de um som interior, que sempre habitou o nosso sistema neurológico,  e o seu posterior exteriorização.

O modo habitual de ver o mundo pode impedir a libertação dos problemas emocionais quando estes surgem - o que distrai e dificulte a concentração. A recitação de um mantra diminua a agitação mental e mantém a mente calma. A focagem que assim conseguimos resulta mais forte, mais integrada e mais direcionada. Assim temos menos desfocagem, sentimos menos as distrações que têm a sua origem nos hábitos com que reagimos a estímulos externos. 
Reservar tempo para  a recitação de mantras é importante! Todos temos tempo para ouvir o tagarelar da mente, o ruido mental que parece não ter fim - como não teríamos tempo para escutar o nosso som interior? Esse som interior pode ser uma ferramenta perfeita para chegar a "Shamadi" - uma concentração uni-focal, uma absorção perfeita na realidade do momento. 
O nosso sistema nervoso tem o seu próprio som, temos um som interior que não pode ser negado e que não é uma invenção budista. Por exemplo, o som "Ah" existe em nós desde o nascimento. A partir desse som, desenvolveram-se todas as palavras.
Um mantra funciona a muitos níveis. Ao recitar o mantra um certo numero de vezes, com plena atenção, a consciência abre-se instintivamente para forças sobrenaturais e para a sabedoria.  Podem ser usadas como terapia em situação de doença, e podem trazer paz para doentes mentais. É a experiência de muitos practicantes de meditação. 
Mantra é energia, uma energia sempre pura que não é contaminada por processos de pensamentos negativos. Como é uma energia subtil, não pode ser contaminada da mesma maneira que a experiência de fenómenos sensoriais podem ser contaminados pela nossa mente. É fácil descobrir e entender a força dos mantras, fazendo um retiro de meditação com mantras.
Pessoas que têm o dom da sabedoria, conseguirão naturalmente realizações através da força do mantra. 
Quem pratica a recitação de mantras, descobrirão que o seu som interior se une completamente com o mantra, até ao ponto que a sua fala se torna mantra. "

Quem começa com o cantar dos mantras, pode sentir algum desconforto ou estranheza - porque não estamos habituados a fazer ouvir o som interior. É importante encontrar o tom adequado para o corpo e todo o ser, um tom que é próprio de cada pessoa. Com a prática, o relaxamento vai aumentar, vamos sentir mais à vontade com a nossa voz, que gradualmente vai dar a sensação de vir de dentro, mesmo de dentro do corpo e não somente das cordas vocais. O som vai fazer ressonância no corpo, o que terá um efeito curativo!

"Cura" não é apenas um fenómeno físico. Se falamos de cura, o que se entende é um maior equilíbrio a nivel físico, mental, emocional e/ou espiritual. Há uma aceitação geral que a matéria segue o pensamento, até a ciência reconhece que os fenómenos apenas existem quando observados. Se os nossos pensamentos estão mais equilibrados, sentimos melhor, o stress diminua, e o corpo físico vai reagir: o mal estar físico também é mais facilmente tratado.



Por isso tudo é importante respeitar o tom próprio do nosso ser e descobrir a nossa ressonância natural.
Também o nosso ritmo é importante. A respiração é uma ferramenta importante para encontrar o ritmo. Há mantras que podem ser cantados numa só respiração, e há outros que são mais complexos, fazendo que a respiração e o mantra se sincronizam na recitação. O ritmo das palavras e dos sons faz com que a mente acalma e atinge um estado de consciência diferente do normal, possibilitando uma profunda experiência mística na meditação.

A recitação de mantras é um método de focagem, e ajuda a mente na sua libertação dos padrões habituais. Parece me importante lembrar que é uma ferramenta da qual, em ultima instância, precisamos de desapegar para encontrar silêncio e tranquilidade na paz da mente.

Om Mani Padme Hung - o mantra da compaixão.









Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...