Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

4 de Abril: Eclipse Lunar, Lua de Sangue - Portal da Liberdade

A Lua Cheia que vamos viver no sábado, 4 de Abril é especial.
Quando surge, o Sol está em Carneiro, e será a primeira Lua Cheia do ano astrológico, associada à Páscoa. 
O signo de Carneiro simboliza o Início, o nascimento de algo novo. O signo é muito bom em iniciar novos ciclos que podem levar a revelações.
No início do ciclo da vida, a Luz flui, a partir da Consciência Divina, para o ser humano, de modo que se dá o início da consciência individual. Este fluxo, que estimula a inteligência do ser humano, é particularmente criativo.

 É neste altura do ano que pessoas podem se sentir inspiradas para fazer novos planos, mudar de rumo na vida, sentir o impulso de começar um negócio próprio ou uma obra de arte, fazer o primeiro passo para uma renovação interior... ou a alma pode fazer o primeiro passo para incarnar de novo.
O signo de Carneiro é o lugar-tempo onde nascem ideias e onde nasce o impulso de transformar a ideia em acções concretas.
Podemos dizer que a festa associada ao Carneiro, a Páscoa, é um evento planetário, porque a energia está disponível para a humanidade inteira!

Mas esta Lua é especial também por outra razão: a Terra vai estar entre Sol e Lua, provocando um eclipse lunar total. Por um curto período, a Lua vai aparecer vermelha como sangue. Será visível na América do Norte, mas aqui sentiremos igualmente o efeito.
Será o fecho do período iniciado pelo eclipse solar total de 20 de Março, e podemos sentir a energia como se fosse um reforço do portal que se abriu naquele dia em que o Equinócio coincidiu com a Lua Nova e o eclipse solar total.

Um portal para uma vida nova, em que finalmente podemos sentir o passado na sua essência: sendo passado. Já foi. Olhando para trás podemos dizer, sem remorsos, sem ressentimentos, vergonha ou culpa, que passamos por isso tudo. E que agora somos quem Somos - Seres livres.

É claro que na aproximação de um portal desta natureza, a conflitualidade pode estar no ar. Ainda mais porque continuamos a sentir o efeito da ultima quadratura entre Urano e Plutão. A mudança deixou de ser uma opção!
Agora mais uma vez, podemos abrir-nos para a energia do Universo e sintonizar-nos com a onda de mudança que flui para a Terra pelo portal que se abrirá. Podemos tomar consciência que Somos seres livres, por natureza, intrinsecamente. Somos Seres Divinos, capazes de criação e por natureza livres de manipulação, controlo ou dependências. Podemos sentir, aqui e agora, que não temos obrigação de sentirmos sujeitos ou vítimas da mesma manipulação, controlo ou dependência.
O portal que se abrirá, traz a energia da Liberdade.
Que todos os seres possam conhecer a Liberdade.

sábado, 4 de Abril, às 20h
no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!

 

Somente ficamos perturbados se assim quisermos!

Buda estava sentado debaixo de uma árvore Banyan.

Um dia, um brâmane furioso chegou junto a ele e começou a tentar insultá-lo. O brâmane pensou que Buda iria retribuir da mesma maneira, mas, para a sua surpresa, não havia a menor mudança na expressão do seu rosto.

Agora, o brâmane ficou mais furioso, e gritou mais e mais abusos para o Buda.
No entanto, Senhor Buda estava completamente impassível. Na verdade, havia um olhar de compaixão no rosto. Finalmente, o brâmane estava cansado de o insultar.
Ele perguntou: "Tenho estado a insultá-lo, por que não está com raiva?"
Buda respondeu calmamente: "Meu querido irmão, eu não aceitei um único insulto vindo de vôs."

"Mas ouviu-me dizer todos ou não?", o brâmane perguntou já mais fraco.
Buda disse: "Eu não preciso dos insultos, então por que deveria sequer ouvi-los?"

Agora, o brâmane ficou ainda mais confuso. Ele não conseguia entender a resposta calma de Buda. Olhando para o rosto perturbado, Buda explicou ainda: "Todos esses insultos permanecem consigo."

"Não pode ser possível. Atirei todos eles para si," o brâmane persistiu.

Buda repetiu calmamente a resposta: "Mas eu não aceito nem mesmo um único abuso vindo de si! Querido irmão, suponha que você da algumas moedas a alguém... se ele não as aceitar, com quem ficarão essas moedas?"

O brâmane respondeu: "Se eu dei as moedas e ninguém as necessita, então, naturalmente, elas iriam ficar comigo."

Com um sorriso significativo em seu rosto, Buda disse: "Agora você está certo. O mesmo aconteceu com os seus abusos. Você veio aqui e atirou os seus insultos a mim,
mas eu não aceito nem um. Assim, todos esses abusos continuam consigo. Portanto, não tenho razão de estar zangado consigo. "

O brâmane ficou mudo. Ele tinha vergonha do seu comportamento e pediu perdão a Buda.
Buda perdoou e respondeu: "por favor, perdoe-se também."



Amor, calma e paz são as chaves para uma vida contente.
Lembre-se quem verdadeiramente É e o que quer na vida, inserido no Todo. Não há necessidade de responder ao que o outro diz quando partilha a sua raiva, ciume, enveja, ou desequilíbrio. Respira e deixa passar estas energias, transformando-as gentilmente e com paciência em Amor. Ser Amor e Bondade é o melhor presente que pode dar a si próprio - e através de si, ao Tudo-Que-É. 
Perdoe a si mesmo e ao outro por todo o sofrimento que tem sido perpetuado, até agora. Aqui e Agora, a cada momento e todos os dias, podemos começar a criar um novo mundo, um mundo de Amor e Bondade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...