Cada um de nós tem uma chave para a sabedoria universal dentro de si. Abrindo o coração, entrando no silêncio, podemos aceder ao conhecimento que o vento murmura.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Meditação entre os cavalos


6a feira dia 28 de Agosto será  a primeira noite do período da Lua Cheia. Em conjunto com Monique Ros e a sua manada de 20 cavalos organizamos uma meditação entre os cavalos, em plena natureza, perto de Évora.



A meditação não será no próprio dia da Lua Cheia (que é no dia 29), mas vamos sentir já toda a força, visto que será mais uma vez uma "SuperLua", posicionado mais perto da Terra e aparecendo maior do que normal. As marés serão mais altas e mais baixas do que regularmente!
A Lua aparece em Peixes, o signo relacionado com os oceanos, e com tudo que é sem forma, vasto, imaterial... as coisas que não podem ser descritas em palavras. É o signo da intuição e da ligação com o Divino. Peixes é o último signo do Zodiaco, por isso uma Super Lua neste signo certamente vai trazer um fecho num ciclo da Alma. O efeito do "fim do ciclo" poderá irradiar para outras áreas da vida, em que algo correrá para o seu fim - com todas as emoções associados.
Com o Sol em Virgem podemos encontrar equilibrio quando libertamos o julgamento, ressentimentos, e necessidade de controlo, para começar a cultivar a aceitação no Aqui e Agora. É o momento de nos entregarmos e reconhecer que há alturas em que não há solução ou alteração à vista, e que fizemos tudo o que estava no nosso poder e o que achamos certo.
Nesta Lua Cheia a conjuntura convide para sermos humildes, transcender e libertar as nossas emoções e começar de novo.

Ao juntar-nos em meditação aos cavalos de Vires Animaliae, vamos aproximar-nos mais da Mãe Terra e do nosso estado natural. A proximidade do cavalo - um ser sensível e social  vai nos lembrar da nossa natureza, da nossa alma antes da confusão mental e emocional. O processo de libertar e equilibrar será facilitado pelos próprios cavalos.


 A organização Vires Animaliae recebe cavalos que são de algum modo rejeitados pelos seus donos, ou para os quais a medicina veterinária não tem resposta. Cavalos feridos, ao nível emocional, psicológico ou físico, são reabilitados com carinho e compaixão. Recebem treino adequado à sua situação, de modo que podem ser reintegrados na manada. Os cavalos vivem em grupo de maneira natural. Estão habituados a pessoas e ao trabalho terapêutico com pessoas/grupos.
O trabalho de Vires Animaliae (" A força do reino animal") visa não só a reabilitação dos cavalos, como oferece ao ser humano uma aproximação ao reino animal, para um melhor entendimento de si mesmo, através de programas de treino em comunicação com o cavalo, coaching, ou terapias individuais


MEDITAÇÃO ENTRE OS CAVALOS
quinta Madrugada (2 km de Évora)
sexta feira, 28 de Agosto das 19h30 às 20h30

Trazer calçado adequado ao campo!

Ponto de encontro às 19h00 na casa atrás da Sé (Largo dr. Mário Chicó, Évora). Sairemos em conjunto para a quinta Madrugada.

A sugestão de contribuição para esta meditação é 7,5€
Agradeço inscrição prévia!




segunda-feira, 27 de julho de 2015

actividades de Agosto / Setembro

Para os que não receberam o mail e que me pediram informações: 

Na noite de 31 de Julho, vamos poder assistir à segunda Lua Cheia de Julho - uma Lua Azul.
Com o Sol em Leão, a Lua aparece em Aquário. A Lua mostra como podemos experimentar a energia cósmica do Leão, através dos aspectos emocionais associados a Aquário.
A energia cósmica do signo de Leão está centrada no coração, e é sentido dentro e através do coração. Leão é o signo do Sol, centro do sistema solar, uma estrela que arde com um fogo intenso, oferecendo à Terra e às almas que a habitam, calor, luz, energia. É considerada a influência mais poderosa na astrologia, oferecendo vitalidade e autoridade. Leão é o signo da confiança, porque sabe o que está no centro da vida: criatividade, amor, generosidade perante o outro, mas também um sentido profundo do Eu.  A força cósmica do Leão ajuda a estabelecer uma auto-confiança, que nasce da noção que cada um é responsável para as escolhas que faz na sua vida. Há força em cada um, e quando assumimos a responsabilidade pela nossa vida, deixamos de ser vítimas da situação - mesmo quando se trata de situações complicadas ou limitadoras. Precisamos da energia do Leão nos tempos que se avizinham. Estamos a mudar um mundo que parecia preso nas consequências dos seus próprios actos.
No outro lado está a Lua, em Aquário. Signo de Ar, simboliza a Mente Cósmica. O símbolo do signo Aquário é o Ser Humano que traz uma bilha de água, para distribuir dois fluxos de energia cósmica - a todos que precisam e solicitam. Como se fossem dois rios: um com a água da vida, o outro um rio de Amor. Aquário é por excelência o signo que pede uma visão alargada, para que os talentos e dádivas individuais possam ser posto ao serviço da Terra e ser utilizados em benefício de todos.
A Lua Cheia com Sol em Leão pede para reflectir sobre o egocentrismo e o serviço à humanidade... o que motive os nossos actos?

Vamos celebrar a Lua Cheia na noite de
sexta feira, 31 de Julho de 2015, às 20.30h
Local: Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra.
A contribuição para a cerimónia em si, é por donativo.

Em seguida vamos fazer uma caminhada ao Luar. Com início na aldeia de Guadalupe, até à Anta de Zambujeiro em Valverde. São cerca de 5 km, em terreno plano. Percorre-se um antigo caminho rural, dentro de uma herdade, ainda com actividades agrícolas, onde poderão tomar conhecimento com a sua história e principalmente com a questão da Reforma Agrária. Uma parte importante da história contemporânea do Alentejo, que muito influenciou a maneira de ser e estar das suas actuais populações. A caminhada será guiada pelo meu marido, que já realizou vários documentários sobre este assunto e em especial a história destas aldeias circundantes.
Não se esqueçam de levar a máquina fotográfica!
É aconselhável calçar sapatos fechados (nada de sandálias) . Em Valverde podem seguir para as festas da aldeia, para um refresco ou uma ceia...
Caminhada na Lua Cheia: Guadalupe - Anta Grande de Zambujeiro
sexta feira, 31 de Julho de 2015
inicio previsto às 21h30 (logo a seguir da meditação de Lua Cheia)
Agradecemos inscrição por mail ou através do blogue Cavalo-de-Vento.blogspot.pt, para que a logística de transporte possa ser assegurada.
Participação 3€
___________________________________

O Portal do Leão
dia 8 de Agosto deste ano é uma data com um significado simbólico especial: 8-8-2015 ou em termos da numerologia: 8-8-8. O número 8 é conotado com harmonia, equilíbrio, abundância e força/poder. Visto de lado, o 8 torna-se o símbolo da infinidade ∞ - muito adequado para os tempos que vivemos, porque estamos cada vez mais a assumir o nosso papel de co-criadores de um mundo novo, com possibilidades criativas infinitas!
Dia 8 de Agosto é o ponto alto do período conhecido como o "portal do leão". Este portal está aberto entre 25 de Julho (o dia-fora-do-tempo dos antigos Egípcios, quando Sírius se alinha com o Sol e a Terra, anunciando o início de um novo ciclo) e 12 de Agosto. Ondas de Luz vindo do centro da nossa galáxia banham a Terra, muita energia chega, para apoiar o nosso planeta na sua evolução. 
A energia favorece a Manifestação, vamos poder aproveitar o canal aberto para que a nossa criação seja lançada para o Universo.

Sessão de Sons
sábado, 8 de Agosto de 2015, às 20h (convém chegar 15 min antes)
Local: Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora
É costume trazer uma oferenda para agradecer ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma flor... ou o que achar adequado para exprimir a gratidão à Mãe Terra. Para o seu conforto, pode trazer uma manta para se sentar ou deitar.
Participação por donativo.

___________________________________

Próximas actividades
A Lua Cheia de Agosto será celebrada na quinta-feira, 30 de Agosto, às 20.15h
Celebração do Dia Mundial da Deusa: Domingo 6 de Setembro. Workshops, meditação, celebração no Cromeleque dos Almendres. Ver programa próprio no Facebook
Cerimónia para o Equinócio do Outono: quarta-feria, 23 de Setembro, 07.00h
Lua Cheia de Setembro (Eclipse lunar total) 28 de Setembro, 19h30h
___________________________________

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Transformar o pequeno e grande sofrimento

Uma motivação comum para começar com a meditação, é o desejo de encontrar a calma interior. Uma calma que afasta aqueles pensamentos negativos que invadem a nossa mente - normalmente nos momentos mais inesperados. Podemos interrogar-nos se esta expectativa é realista, e foi colocado uns tempos atrás uma reflexão sobre esse aspecto da meditação (ver aqui). Mas vou voltar ao assunto, porque a questão é persistente, tanto em perguntas de participantes na meditação, como na minha prática pessoal.

Um amigo colocou a imagem que está aqui ao lado no seu mural :D
Por vezes identifico em mim a mesma sensação. Também me acontece ser confrontada com pessoas que parecem querer exasperar o outro de propósito. E sei que não sou a única a quem acontece, porque chegam pessoas à meditação que me perguntam: O que se passa? Estamos a falhar o alvo? Existe a sensação que fazemos este trabalho interior todo, reflectimos, meditamos, observamos - e mesmo assim deixamos que alguém nos desequilibra??

Os mestres ensinam que não vale a pena procurar eliminar as emoções disruptivas através da práctica da meditação - essa procura é como perseguir uma ilusão. O que se procura desenvolver na meditação é a capacidade de levar a atenção directamente e imediatamente para aquilo que é sentido e repousar aí, com amor e bondade e com atenção plena.

Quando sentimos emoções disruptivas ligeiras, esta tarefa parece ser relativamente simples. Os pequenos incidentes do dia-a-dia até são oportunidades óptimas para treinar a auto-compaixão. Estou a falar de disrupções emocionais pequenas, que embora possam ter uma influência naquele dia, não impedem que a vida seja vivida normalmente. Coisas que surgem de uma situação específica: uma reunião em que o teu trabalho foi rejeitado; uma discussão com um amigo; um cliente com uma queixa; o carro que precisa de reparação quando já não há dinheiro para isso - ou simplesmente um "dia-não". Uma solução para estes sentimentos negativos é sentar em meditação, com a disposição do momento, e sim, sentir a emoção. Permitir que ela existe. Pema Chödron chama a isso: encostar-se  à emoção. Sentir - e mais nada. Nada de conclusões, ou procura de soluções. Nada de julgamentos. Nada de histórias. Sentir sem desencadear logo uma narrativa através de  pensamentos do tipo "sinto isso e a culpa é dele"; "não sou capaz de ter uma boa relação"; "falhei, devia ter feito aquilo de outra maneira"; "isso sempre me acontece"; "os meus pais não souberam educar-me" etc etc. Se este drama pessoal arranca, precisamos de intervir: libertar logo o pensamento e levar a atenção de volta à sensação no corpo, observando o que há para observar - calor, frio, tensão, desconforto, dor difusa aqui ou ali...). A técnica consiste em tornar a observação uma exploração de fundo, descrevendo com precisão as características das sensações.
A atenção plena sem julgamento, sem narrativa, sem drama, funciona da mesma maneira que o amor incondicional. Tal como uma mãe trata o dói-dói do filho depois de ter caído da bicicleta: ela observe, vê sem dramatizar, com toda a sua atenção, a ferida (se ela existe!), limpa, cuida e dá um beijinho no dói-dói. Atenção plena, sem drama. O resultado mais provável é que a dor desaparece e a criança volta a brincar.
Parece que a atenção plena e amor incondicional estimulam o corpo e o metabolismo das células, fazendo com que conseguimos digerir as experiências e voltar a sentir uma energia positiva.

É claro que há sensações negativas que não desaparecem tão facilmente só porque criámos espaço para sentir. Estas sensações dolorosas mais difusas podem existir por muitas razões - pode ser uma baixa auto-estima ou um conflicto interior recorrente que teima em criar obstáculos e que não sabemos como mudar. Estou a falar do género de mal-estar que parece acompanhar-nos durante grande períodos, como se fizesse parte de nós. Aqui a aproximação de "sentir a emoção e permitir que ela existe" não é suficiente. Começando na mesma com a observação e atenção, precisamos de avançar para mais: uma amizade com a emoção. O que realmente importe numa amizade é estarmos interessados em quem é o nosso amigo. Uma curiosidade genuíno, caloroso, sem segundas intenções. A nossa dor também gosta deste tipo de atenção. Ao dar atenção sem segundas intenções, até podemos descobrir que conseguimos gerar um sentimento bondoso e aberto. Em vez de vencidos pela dor, aliamos a ela e encontramos nela uma razão para gerar amor e bondade e auto-compaixão - e isso dá força!

Outras dores há que são ainda mais profundas - a dor após perder um ente querido, a dor de uma doença incurável na família. Uma dor derivada de uma situação sem solução, sem alternativa. Quando tudo de repente está completamente diferente e vai ficar assim.
Aqui a meditação pode oferecer uma porta para a aceitação. Olhando para a dor, sem julgamento, sem outra narrativa associada, podemos ver que o sofrimento não é eterno. Gradualmente a dor mudará de carácter, e entendimento surgirá.

O sofrimento tem um objectivo nobre: a evolução da consciência e a transformação do Ego. O Ego pode estar a dizer: "Eu não devia estar a sofrer" - o que faz surgir a sensação de ser vitima, e sublinha ainda mais a sensação de sofrimento. O objectivo da Alma é a transformação; tentar evitar ou eliminar o sofrimento vai abrandar o processo de transformação. A resistência contra o sofrimento e a luta interior contra a dor vai criar ainda mais Ego.
Aceitar o sofrimento vai acelerar o processo de transformação, porque começamos a sofrer com cuidado e atenção. E da sensação ardente da dor nascerá a Luz da Consciência.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Lua Cheia em Touro: Wesak, a festa do Buda

Na segunda feira, o momento exacto da Lua Cheia será de madrugada, às 4h43m hora de Lisboa.
Vamos celebrar na noite de domingo, 3 de Maio, ao nascer da Lua/pôr do Sol, a partir das 19h45, no Cromeleque dos Almendres, em Guadalupe, Évora.
Quando o Sol está em Touro, é celebrada a festa da Wesak na altura da Lua Cheia. (há textos acerca desta festa, clique aqui ou aqui)
Deixo aqui também um vídeo sobre a celebração de Wesak, que inclui sugestões para poder usufruir de forma melhor a energia que fluirá para a Terra durante o período da Lua Cheia.
(existe também uma versão em inglês)

Wesak é uma ocasião extraordinária para sintonizar com a consciência universal para a criação de Paz na Terra. Todas as pessoas empenhadas na sua evolução espiritual, que meditam e abrem os seus sistemas para a energia divina entrar, podem contribuir para que seja aberto um portal de Luz. A intenção é que a energia do Amor e Bondade, a energia da vontade de fazer o Bem, posso ser recebida pela Humanidade.

A Lua Cheia deste fim de semana anuncia dias intensos. O período da Lua Cheia é sempre uma altura propícia para a introspecção. A Lua vai iluminar os lugares mais escuros que temos cá dentro, para lembrar que aquilo que se encontra na sombra também faz parte de nós e merece a mesma atenção, amor e bondade como aquilo que gostamos de nós. Aquilo que vamos encontrar, será a verdade. O melhor que podemos fazer é olhar para a verdade e aceitar, sem julgamento, o que encontramos. Os tempos do fazer de conta passaram, já não será possível pretender que somos perfeitos ou  disfarçar aquele feitio complicado. Mais vale sermos honestos e abraçar o que encontramos, porque é no reconhecimento de quem somos por inteiro que encontramos força para a nova fase.

Domingo, 3 de Maio, às 19.45h
no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!

sexta-feira, 3 de abril de 2015

4 de Abril: Eclipse Lunar, Lua de Sangue - Portal da Liberdade

A Lua Cheia que vamos viver no sábado, 4 de Abril é especial.
Quando surge, o Sol está em Carneiro, e será a primeira Lua Cheia do ano astrológico, associada à Páscoa. 
O signo de Carneiro simboliza o Início, o nascimento de algo novo. O signo é muito bom em iniciar novos ciclos que podem levar a revelações.
No início do ciclo da vida, a Luz flui, a partir da Consciência Divina, para o ser humano, de modo que se dá o início da consciência individual. Este fluxo, que estimula a inteligência do ser humano, é particularmente criativo.

 É neste altura do ano que pessoas podem se sentir inspiradas para fazer novos planos, mudar de rumo na vida, sentir o impulso de começar um negócio próprio ou uma obra de arte, fazer o primeiro passo para uma renovação interior... ou a alma pode fazer o primeiro passo para incarnar de novo.
O signo de Carneiro é o lugar-tempo onde nascem ideias e onde nasce o impulso de transformar a ideia em acções concretas.
Podemos dizer que a festa associada ao Carneiro, a Páscoa, é um evento planetário, porque a energia está disponível para a humanidade inteira!

Mas esta Lua é especial também por outra razão: a Terra vai estar entre Sol e Lua, provocando um eclipse lunar total. Por um curto período, a Lua vai aparecer vermelha como sangue. Será visível na América do Norte, mas aqui sentiremos igualmente o efeito.
Será o fecho do período iniciado pelo eclipse solar total de 20 de Março, e podemos sentir a energia como se fosse um reforço do portal que se abriu naquele dia em que o Equinócio coincidiu com a Lua Nova e o eclipse solar total.

Um portal para uma vida nova, em que finalmente podemos sentir o passado na sua essência: sendo passado. Já foi. Olhando para trás podemos dizer, sem remorsos, sem ressentimentos, vergonha ou culpa, que passamos por isso tudo. E que agora somos quem Somos - Seres livres.

É claro que na aproximação de um portal desta natureza, a conflitualidade pode estar no ar. Ainda mais porque continuamos a sentir o efeito da ultima quadratura entre Urano e Plutão. A mudança deixou de ser uma opção!
Agora mais uma vez, podemos abrir-nos para a energia do Universo e sintonizar-nos com a onda de mudança que flui para a Terra pelo portal que se abrirá. Podemos tomar consciência que Somos seres livres, por natureza, intrinsecamente. Somos Seres Divinos, capazes de criação e por natureza livres de manipulação, controlo ou dependências. Podemos sentir, aqui e agora, que não temos obrigação de sentirmos sujeitos ou vítimas da mesma manipulação, controlo ou dependência.
O portal que se abrirá, traz a energia da Liberdade.
Que todos os seres possam conhecer a Liberdade.

sábado, 4 de Abril, às 20h
no Cromeleque dos Almendres, Guadalupe, Évora.

Para a cerimónia no Cromeleque, é costume trazer uma oferenda em agradecimento ao sítio: um pau de incenso, um pouco de água, uma pedrinha, uma flor, ou o que achar adequada para exprimir a gratidão.
A participação na cerimónia é por donativo.
Estão todos bem-vindos!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...